Prefeito tem 29,2% de conceitos ótimo e bom contra 11,6% de avaliações negativas. Metade da população vai votar em candidatos indicados por ele nas próximas eleições

Fonte: A Tribuna

O prefeito de Epitaciolândia, Tião Flores, este bem avaliado pela população de seu município, que aprova sua administração. É o que mostra a pesquisa Data Control, fechada dia 23 de julho, que mostra que o prefeito tem 9,2% de avaliação como ótimo, 20% como bom, 50,8% como regular, 8,3 como ruim e 3,3% como péssimo. E 8,3% não souberam ou quiseram opinar. Desta forma, o prefeito Tião Flores tem 29,2% de aprovação contra 11,6% de desaprovação. Em relação à pesquisa anterior, fechada em junho, o prefeito manteve a taxa de aprovação, dentro da variação da margem de erro, melhorou o conceito ótimo, ampliou o conceito de regular, diminuiu a indefinição e diminuis, fora da margem de erro a desaprovação a sua gestão.

Em junho, 30,8% dos eleitores aprovavam a administração, nível que ficou praticamente estável agora, com 29,2%. Os que avaliam a prefeitura como regular saltaram de 36,5% para 50,8%, os que avaliaram como ruim o trabalho, permaneceram estáveis, com 7,5% em junho e agora 8,3%, mas os que criticaram como péssima a administração tiveram brusca queda, de 10% para apenas 3,3%.

Os bons resultados são creditados à administração eficiente que o prefeito vem fazendo, recuperando o município, que estava em situação caótica ao fim da gestão anterior. Agora, Epitaciolândia tem um prefeito considerado honesto e trabalhador que vem enfrentando e vencendo os desafios e, com isso, recuperando a confiança dos munícipes.

Prefeitura de Epitaciolândia

Um dado interessante revelado na pesquisa, que tem margem de erro de três pontos percentuais e ouviu 25º pessoas na cidade é a capacidade do prefeito orientar o voto dos eleitores na eleição do próximo ano.

Exatamente 50%, metade da população diz na pesquisa que com certeza votará ou poderá votar em candidatos apoiados pelo prefeito Tião Flores e 30% não votaria em quem fosse apoiado por ele, ou não faria desse apoio uma questão decisiva para o voto. Veja o quadro

 

 

 

 

Comentários