Produtores ouviram as propostas dos representantes da empresa Peixes da Amazônia.

Audiência entre produtores e empresa Peixes da Amazônia em Brasiléia mostra preocupação com o futuro do pescado no Alto Acre

Alexandre Lima

Uma reunião ocorrida na cidade de Brasiléia, praticamente a portas fechadas com produtores de peixe do município, demonstrou que o setor está levando preocupação com vários produtores que vem sendo lesados pela empresa Peixes da Amazônia no Acre.

Após várias denuncias contra a empresa e que pode está deixando um prejuízo de mais de R$ 4 milhões de reais, representantes da empresa foram convidados a dar explicações aos produtores, afim de acalmar todos com boas notícias.

O empresário Joaquim Lira, que representou o vereador Joelso Pontes (PP), fez algumas indagações no intuito de ajudar os produtores, que estão com seus produtores sem poder comercializar e com seus financiamentos sem poder honrar junto ao banco credor.

De uma vez que a empresa Peixe da Amazônia não vem pagando os pescados e os mesmo não podem vender para o mercado peruano. Em conversa com um produtor, o mesmo vem reclamando da alta taxa cobrada pelo Banco credor, que é de 8,5% ao ano.

O mesmo achou injusta a taxa, uma vez que o BNDS financia dinheiro a 2,5% ao ano. Joaquim Lira sugeriu como solução, a vinda do superintendente do Banco da Amazônia no Acre, para que o mesmo busque uma renegociação com os produtores prejudicados com o projeto do peixe.

Petecão visita Lira

Em uma visita na residência do empresário Joaquim Lira, o senador Sérgio Petecão se propôs em intermediar a vinda do superintende nos próximos dias à Brasiléia, para se reunir com os produtores e buscar uma solução desse problema.

“Estou me dispondo a trazer o superintendente do Banco da Amazônia, Marivaldo Melo, para que venha tentar solucionar os problemas desses produtores. Já liguei para ele que combinado a vinda à Brasileia”, disse o senador Sérgio Petecão.

Senador Petecão esteve com o empresário Joaquim Lira e se comprometeu intermediar a vinda do representante do Basa em Brasiléia.

Comentários