Conecte-se conosco

Brasil

Menina de 11 anos é suspeita de matar a mãe com ajuda do namorado de 14

Publicado

em

O crime aconteceu na quinta-feira (27) e teve uma reviravolta, já que as primeiras informações apontavam que o suspeito do assassinato seria o marido da mulher

Uma menina de 11 anos é suspeita de matar a própria mãe a facadas, com ajuda do namorado de 14 anos, no bairro Jaburuna, em Vila Velha. O crime aconteceu na noite de quinta-feira (27) e teve uma reviravolta, já que as primeiras informações apontavam que o suspeito do assassinato seria o marido da mulher.

A polícia estava trabalhando com duas hipóteses: a primeira, seria de que o homem estava agredido a vítima, quando a filha e o namorado chegaram em casa, viram a cena e entraram em luta corporal com ele, por isso, teriam se machucado.

Na segunda versão, no entanto, os papéis se invertem: segundo a polícia, a filha da mulher e o namorado aproveitaram que a vítima estava sozinha em casa e a atacaram.

Momentos depois, o homem chegou do trabalho, se deparou com a companheira sendo esfaqueada e entrou em luta corporal com a menina e o adolescente.

A menina registrou em um diário a ideia do assassinato. Em uma das páginas, ela escreveu que mataria os pais para poder ficar com o namorado.

Na quarta-feira (26), a garota deixou um registro no diário que dizia: “Eu estou completamente apaixonada por um garoto. A gente vai matar meus pais para ficar juntinhos.”

Segundo o delegado que coordena as investigações do caso, disse que o adolescente contou em depoimento que atraiu a mãe e quando ela se aproximou o garoto começou a dar as facadas. A menina também desferiu os golpes.

Em depoimento, o menino disse ainda que a mulher, uma vendedora de 38 anos, chegou se trancar no quarto após as facadas, mas depois abriu a porta. Quando a menina e o namorado entraram, ela estava caída no chão sem vida.

O padrasto da menina não estava em casa na hora do crime. Quando ele chegou do trabalho, abriu a porta percebeu que havia uma cadeira atrás dela e que o chão estava sujo de sangue.

O barulho da cadeira teria alertado a enteada e o namorado, que ainda estavam na residência. Assim que o padrasto se aproximou da menina, o garoto, que estava escondido, o atingiu na cabeça com um taco de beisebol.

O padrasto contou que correu e desceu as escadas da casa, que fica no segundo andar, e seguiu até o portão de acesso à rua. Do lado de fora, vizinhos queriam agredi-lo, achando que ele tinha matado a esposa.

“A menina gritava alto: ‘você matou a minha mãe!’. Você matou a minha mãe. Fiquei com medo das pessoas me lincharam. E eu não podia subir a escada porque os dois estavam lá e não deixavam”, contou o padrasto.

A Polícia Militar chegou pouco depois. Feridos, o padrasto e o menino foram levados para o Hospital Estadual Antonio Bezerra de Faria. Já a menina foi levada pelo Conselho Tutelar para a casa dos avós maternos.

Investigadores da Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa foram até o hospital e o garoto acabou confessando o crime. Após o atendimento, ele foi conduzido para a delegacia, onde prestou depoimento.

Em depoimento, o garoto disse ainda o que teria motivado o crime: a namorada teria sido abusada pelo pai quando era mais nova e reclamava que a mãe pegava no pé com relação a algumas tarefas do dia a dia.

O padrasto afirma que a companheira era uma mãe zelosa. Disse ainda que a enteada não tinha o pai presente e que desde que começou a se relacionar com a mãe dela, há mais de dois anos, tratava a menina como uma filha.

A menina também foi conduzida para a delegacia. Familiares, porém, não compareceram. Por volta das 10 horas desta sexta-feira (28), ela foi levada para o Conselho Tutelar. O delegado explica que, por causa da idade, ela não vai responder pela morte da mãe.

Já o namorado dela foi autuado em flagrante por ato infracional análogo a homicídio qualificado por motivo fútil e com traição ou emboscada ou recurso que dificulte ou impossibilite a defesa da vítima.

Ele também vai responder por ato infracional análogo à tentativa de homicídio. Até o final da manhã, ele continuava na Delegacia Regional de Vila Velha. O adolescente será encaminhado a uma unidade sócio educativa.

Comentários


Brasil

Sebrae: pequenos negócios respondem por 8 em cada 10 empregos criados

Publicado

em

No acumulado de 2022, o país contabiliza 2,3 milhões de novos postos

Levantamento realizado pelo Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequena Empresas (Sebrae) mostra que, em outubro, os pequenos negócios foram responsáveis por cerca de oito a cada dez novas vagas de trabalho criadas no país. O saldo positivo de empregos gerados por empresas de todo tipo porte no país, nesse período, foi de 159.454, sendo que os pequenos negócios respondem por 125.114 das contratações (78,5%).

“Pelo décimo mês consecutivo, as micro e pequenas empresas apresentaram saldo positivo na geração de empregos no país”, avaliou o Sebrae, por meio de nota.

No acumulado de 2022, o país contabiliza 2,3 milhões de novos postos de trabalho – desses, 1,661 milhão (71,6%) por meio de micro e pequenas empresas. A participação de médias e grandes na geração de empregos é de 22%, com 513 mil contratações.

Setores

Entre os sete setores da economia analisados, as micro e pequenas empresas apresentaram saldo positivo em todos, enquanto médias e grandes empresas registraram saldo negativo na construção civil e na extrativa mineral. Na área de serviços, por exemplo, o saldo de contratações dos pequenos negócios foi de 60,2 mil, enquanto médias e grandes empresas aumentaram seus quadros em 29,1 mil novos contratados.

As contratações pelos pequenos negócios no comércio também foram bem superiores: quase cinco vezes mais do que a de médias e grandes – 39,1 mil contra 8,3 mil, respectivamente.

No acumulado de 2022, as micro e pequenas empresas do setor de serviços foram as que mais contrataram, com 850.781 novos empregos, além de 274.679 postos na construção civil e 262.143 no comércio.

Comentários


Continue lendo

Brasil

PEC da Transição deve cair para 2 anos, mas valor será mantido

Publicado

em

A cúpula menor, voltada para baixo, abriga o Plenário do Senado Federal. A cúpula maior, voltada para cima, abriga o Plenário da Câmara dos Deputados.

Intenção é discutir matéria na CCJ do Senado na quarta

O relator do Orçamento Geral da União, senador Marcelo Castro (MDB-PI), disse nesta segunda-feira (5) que o senador Alexandre Silveira (PSD-MG) será o relator da chamada Proposta de Emenda à Constituição (PEC) da Transição na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado.

Com o prazo apertado para apreciar o texto, nas duas Casas do Congresso, até a semana que vem, a proposta exclui do teto de gastos R$ 175 bilhões para pagamento do Bolsa Família no valor de R$ 600, a partir de janeiro de 2023. A PEC também tira do teto mais R$ 23 bilhões para serem aplicados em investimentos, quando houver excesso de arrecadação.

A intenção dos senadores é discutir a PEC na CCJ nesta terça-feira (6) e votar a matéria no colegiado já na manhã de quarta-feira (7) e à tarde no plenário do Senado. Na semana seguinte, a expectativa é que a Câmara dos Deputados aprecie a proposta.

Inicialmente, a equipe de transição defendeu que a exclusão dos valores do teto de gastos valesse por quatro anos, mas, segundo Marcelo Castro, a proposta não foi bem recebida e deve ser modificada por um substitutivo que propõe dois anos de prazo.

“Hoje vai ser um dia de articulações, negociações, de conversar com os senadores, de contar os votos para que amanhã a gente possa aprovar, se possível, na Comissão de Justiça [do Senado]”, explicou Castro. O senador lembrou que, para ser aprovado, o texto, precisa de, no mínimo, 49 votos favoráveis de senadores e 308 de deputados em dois turnos de votação em cada uma das Casas.

A reunião ocorreu pela manhã na residência oficial do presidente da Câmara Arthur Lira (PP-AL) e também contou com a presença do presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG). Além deles, participam os senadores Davi Alcolumbre (União-AP) e Alexandre Silveira (PSD-MG) e os deputados Hugo Leal (PSD-RJ) e Celso Sabino (União-PA), presidente da Comissão Mista de Orçamento (CMO) e cotado para ser o relator da PEC na Câmara.

Comentários


Continue lendo

Brasil

Mais de 22 mil aves marinhas morrem de gripe aviária no Peru

Publicado

em

Primeiros casos surgiram há duas semanas e obrigaram o governo peruano a decretar alerta sanitário por 180 dias

Gripe aviária matou milhares de aves marinhas no Peru
ERNESTO BENAVIDES / AFP

Por AFP

O Peru elevou nesta segunda-feira (5) para mais de 22 mil o número de aves marinhas e costeiras mortas desde o surgimento de um surto de gripe aviária que atinge países das Américas e da Europa, registraram as autoridades.

O último relatório do Serviço Nacional de Florestas e Vida Selvagem contabilizou 16.890 pelicanos, 4.324 atobás, 630 Patola-de-pés-azuis e 168 biguás mortos, entre outras espécies que vivem em áreas costeiras e áreas naturais.

Os primeiros casos de gripe aviária do tipo H5N1 surgiram há duas semanas e obrigaram o governo a decretar alerta sanitário por 180 dias.

Peru declarou alerta sanitário por 180 dias após casos de gripe aviária

Peru declarou alerta sanitário por 180 dias após casos de gripe aviária Ernesto Benavides / AFP

Mais de 5 mil aves no litoral costeiro e nas praias do país morreram na última semana.

A doença “é como a covid para as aves, que afeta umas mais que outras”, disse à AFP a chefe de Gestão Sustentável do Serviço Florestal, Doris Rodríguez.

Há uma semana, mais de 37 mil aves foram abatidas em fazendas de criação em todo o país.

O surto de gripe aviária levou à proibição de rinhas de galos e feiras de aves planejadas para os feriados de Natal e Ano Novo.

Comentários


Continue lendo

Em alta