fbpx
Conecte-se conosco

Acre

Matador em série e chefe de facção estão entre os mortos em rebelião de presídio de segurança máxima no AC

Publicado

em

Cinco homens foram assassinados durante a rebelião que durou mais de 24 horas no presídio Antônio Amaro, em Rio Branco. Mortos eram considerados lideranças de organização criminosa.

A Secretaria Estadual de Segurança Pública do Acre confirmou nesta sexta-feira (28) a identificação dos cinco presos que foram mortos durante a rebelião no presídio de Segurança Máxima Antônio Amaro Alves, em Rio Branco, que durou mais de 24 horas.

A Segurança afirmou que o que o motivou a rebelião foi uma tentativa de fuga dos presos, mas há a hipótese também de ter sido por disputa de território entre facções criminosas rivais. Porém, a Sejusp disse que essa possibilidade ainda é investigada.

Os mortos são considerados chefes de uma organização criminosa e, segundo o Instituto Médico Legal (IML), três deles foram decapitados.

A rebelião no presídio de segurança máxima começou por volta das 9h de quarta-feira (26) e acabou às 10h dessa quinta (27). Um policial penal foi mantido refém pelos detentos durante toda a ação e, ao ser liberado, foi levado para o Pronto Socorro. Um outro policial foi atingido logo no primeiro dia com um tiro de raspão na região ocular e também foi parar no PS.

Entre os executados estão:

 

  • Ricardinho Vitorino de Souza – vulgo Anjo da Morte: Conhecido como matador de um grupo criminoso que atua na capital, ele estava preso desde fevereiro de 2020. Na época da prisão, a Polícia Civil informou que ele executava ordens que partiam de dentro do presídio junto com outros comparsas. Ele confessou participação em 15 homicídios ocorridos na capital acreana.
  • Marcos Cunha Lindoso – vulgo Dragão: Considerado um dos maiores chefes de uma facção criminosa com atuação no estado, ele foi preso em São Paulo em 2018. Ele chegou a ser resgatado quando participava de uma feira de artesanato no Centro de Rio Branco, durante atividade externa. Ele era condenado por tráfico de drogas e por integrar organização criminosa.
  • Francisco das Chagas Oliveira da Silva – vulgo Ozim: Também ligado a uma facção criminosa. Ele foi condenado em 2020 a mais de 20 anos por integrar organização criminosa.
  • Lucas de Freitas – vulgo Poloco: Em 2020, ele foi condenado a mais de 29 anos pela morte de Florípedes Paixão dos Santos, de 37 anos, ocorrida em abril de 2015. Ele também era suspeito de envolvimento em um latrocínio de um policial militar aposentado.
  • David Lourenço da Silva – vulgo Mendigo: Ele cumpria pena por integrar organização criminosa.

Investigações

 

Em coletiva, nessa quinta-feira (27), a Segurança informou que ainda não sabe como a rebelião iniciou e nem como os presos tiveram acesso a 15 armas usadas para manter um policial penal e um detento reféns por mais de 24 horas. Na ação, cinco presos foram mortos por outros detentos.

Outra versão é de que a rebelião teria sido causada por um grupo criminoso que queria demonstrar poder. A ação teria sido orquestrada para que esse grupo pudesse matar membros da facção rival.

“Tivemos uma situação de crise no presídio Antônio Amaro, quando aproximadamente 13 detentos tentaram empreender fuga do presídio, rendendo o faxineiro e um policial penal. No primeiro momento houve uma tentativa de sair dos presídios e foram impedidos pela guarnição do Iapen [Instituto de Administração Penitenciária]. O que vale ressaltar é que não tivemos uma rebelião, tivemos uma tentativa de fuga com tomada de refém e, infelizmente, constatamos os cinco detentos que serão identificados e depois divulgados os nomes dessas pessoas”, disse o secretário.

 

O presidente do Instituto de Administração Penitenciária do Acre (Iapen-AC), Glauber Feitoza disse ainda que vai ser feito um levantamento sobre os danos na estrutura.

O representante do Conselho Comunitário da OAB-AC, Romano Gouveia, que acompanhou as negociações falou que o foco foi garantir o restabelecimento da ordem.

“O presídio ficou totalmente tomado pelos reeducandos. Temos uma fragilidade que vai ser corrigida pelo Estado e agora cessou. Os presos estavam com fuzil e adentraram em todos os setores. Acompanhamos as negociações e neste momento começa o trabalho da perícia, que não podemos interferir. O que sabemos é de cinco corpos. Agora, as imagens vão dizer quem atacou e quem invadiu os prédios”, disse.

Presídio Antônio Amaro teve rebelião de cerca de 24 horas — Foto: arte/g1

Presídio Antônio Amaro teve rebelião de cerca de 24 horas — Foto: arte/g1

Medidas de segurança

 

As visitas nos presídios devem ser suspensas até que tudo seja apurado. Ainda na manhã dessa quinta-feira (27), membros do Ministério Público do Acre (MP-AC) e delegados da Polícia Civil foram ao presídio ouvir testemunhas. A Sejusp informou que, inicialmente, 13 presos teriam iniciado a rebelião. Mas, esse número pode aumentar de acordo com as oitivas.

Desde a noite de quarta-feira (26), a Polícia Militar reforçou o efetivo nas ruas da capital. “Continuamos atentos com o reforço do policiamento na capital, nos pontos mais sensíveis onde tivemos informações de conflito”, destacou o secretário da Sejusp.

O gabinete de crise do governo também informou que uma equipe da Secretaria Nacional de Políticas Penais deve chegar ao estado com o objetivo de avaliar o cenário e tomar as providências necessárias para evitar desdobramentos da rebelião.

O Batalhão de Operações Especiais (Bope) e representantes do Ministério Público também estão dentro do presídio.

IML isolado

 

Um esquema de segurança foi montado na frente do Instituto Médico Legal (IML) em Rio Branco . Desde a noite de quarta-feira (26), familiares de presos buscavam informações. Após o fim da rebelião, mais famílias se reuniram em frente ao instituto.

Os corpos chegaram ao local por volta das 12h25 dessa quinta (27) e os nomes dos presos mortos só foram divulgados nesta sexta (28), após a confirmação da identificação.

Presídio Antônio Amaro está tomado pela facção criminosa  — Foto: Reprodução/Google Maps

Presídio Antônio Amaro está tomado pela facção criminosa — Foto: Reprodução/Google Maps

Sobre o presídio

 

O presídio de Segurança Máxima Antônio Amaro Alves existe há 15 anos e tem, ao todo, 99 presos. Instituto de Administração Penitenciária do Estado do Acre (Iapen-AC). Os tipos de presos são aqueles que exercem poder de liderança nos grupos criminosos que fazem parte. Os grupos criminosos são separados por pavilhões.

Rebelião

 

A rebelião, segundo o gabinete de crise, começou por volta das 9h30 (horário do Acre). Segundo informações do gabinete de crise, os presos renderam policiais penais e tiveram acesso às armas que foram usadas para tomar o presídio. Foram mais de 24 horas de rebelião e mais de 16 horas de negociação.

Um policial penal do Grupo Penitenciário de Operações Especiais (GPOE) foi atingido no início da ação, com um tiro de raspão na região ocular. E outro foi pego como refém e permaneceu na mira dos presos até o fim da rebelião.

O ministro da Justiça e Segurança Pública, Flávio Dino, colocou equipes à disposição para apoiar o governo do Acre. “Em face de crise no sistema penitenciário estadual do Acre, falei com o governador Gladson Cameli e coloquei nossa equipe à disposição para auxiliar no que for cabível”, disse o ministro.

Comentários

Acre

Controle Interno da Sesacre mostra que MedTrauma recebe sem nota de empenho, declara a deputada Michelle Melo

Publicado

em

Documento apresentado vai de encontro com a lei que exige apresentação de nota fiscal mostrando o menor valor das órteses e próteses usadas na cirurgia,o que gera ainda mais dúvidas sobre superfaturamento no contrato.

Com a repercussão do debate na Assembleia Legislativa do Estado do Acre (ALEAC), relacionado ao possível ato de corrupção a discussão envolvendo a empresa Medtrauma, novamente tomou conta do plenário na manhã desta quarta-feira, 21.

A deputada Dra. Michelle Melo, de forma contundente e responsável apresentou novas evidências durante a sua fala na tribuna. A parlamentar durante seu pronunciamento pontuou questionamentos do Controle Interno do Estado, contratos e situações críticas envolvendo a empresa Medtrauma.

A parlamentar detalhou inúmeras denúncias após a exposição negativa do caso em rede nacional.

“Após a nossa fala na tribuna da Assembleia Legislativa, recebemos diversas denúncias internas tanto da Sesacre, como também de pacientes com prontuários de cirurgias que não realizaram. Documentos comprovam que existem pagamentos sem empenho destinados a Medtrauma, ação que contraria diretamente a lei federal. Existe, no mínimo, uma vista grossa em relação a esse contrato por parte do governo do estado,” alertou a deputada.

Em relação as falhas e problemas contratuais envolvendo a empresa, a deputada afirmou que sempre estará ao lado da saúde e da população acreana.

“Estou ao lado do paciente que é o lado mais frágil. Precisamos que a gestão trabalhe e se existir um contrato que está sob suspeita de corrupção, o trabalho precisa ser feito da maneira que não prejudique os atendimentos. Não podemos pactuar com a possível corrupção e contratos superfaturados. Como apresento nos documentos, o Controle Interno da própria secretaria de Estado de Saúde, alertou várias situações e está afirmando a ausência de nota fiscal que comprove que o menor preço de mercado está sendo praticado,” finalizou a parlamentar.

Comentários

Continue lendo

Acre

Fábio Rueda fala de suas prioridades na Câmara Federal após assumir recentemente o mandato

Publicado

em

“Sabemos da grandeza e da responsabilidade que abraçamos”. A afirmação é de Fábio Rueda, que conta inicialmente com 4 meses para exercer o mandato com o licenciamento de Eduardo Velloso na Câmara Federal. Médico cirurgião cardíaco de formação, Dr. Rueda faz questão de ressaltar que, além da saúde, educação, agronegócio e segurança são “bandeiras” que serão defendidas durante seu período no mandato.

”Existe um espaço importante onde através de parcerias poderemos ajudar os nossos 22 municípios e nosso estado do Acre a estar inserido num projeto maior de desenvolvimento do nosso país”, assegura.

No tema saúde, Rueda lembrou que participou ativamente da introdução da cirurgia cardiovascular (sua especialidade médica) no estado do Acre há mais de uma década em Rio Branco. ”Coisa que não existia antes, já que se procurava este atendimento fora do Estado”.

E pontuou que atualmente se verifica exatamente o contrário. ”Hoje recebemos pessoas de outros estados e até mesmo de nossos países vizínhos para serem submetidos a cirurgias do coração no Acre”. Segundo Dr. Rueda, este trabalho pode ser fortalecido ainda mais no mandato, “não só nesta especialidade, mas na saúde como um todo com uma parceria imprescindível com nosso governo e municípios. Esta é a nossa ideia, o nosso projeto inicial”.

Projetos elaborados

Rueda protocolou 2 projetos já na primeira semana de mandato: um que visa a valorização dos agentes comunitários de combate a endemias e agentes comunitários de saúde com incentivo de insalubridade no grau máximo. De acordo com o deputado, trata-se de uma forma de fortalecer os profissionais que sempre atenderam com tanta atenção – não só durante a pandemia- mas de uma maneira geral se dedicaram com tanta diligência ao povo brasileiro. Outro projeto, destacou , pretende introduzir o ensino de primeiros socorros no ensino programático nas cadeiras de educação física do nível médio.

Além disso, sublinhou , o mandato é uma ferramenta muito ampla. E lembrou que já entrou em contato com o ministro Juscelino Filho, das Comunicações, para levar ,através de parceria, internet às comunidades ribeirinhas e escolas públicas. São programas, afirma, que começam a se tornar realidade e com a articulação correta a gente vai conseguir trazer soluções bastante concretas também para o Estado do Acre.

Para o deputado são exemplos que, juntamente com a saúde, poderão trazer enormes benefícios para o Estado. ”Sem esquecer do agronegócio, o carro-chefe do nosso país, que possui um espaço tremendo de crescimento no nosso Estado”, finalizou.

Comentários

Continue lendo

Acre

Vídeo: Catador de latas é flagrado comendo cachorro morto atropelado em Rio Branco

Publicado

em

No início da tarde desta terça-feira (20), uma cena chocante ocorreu em Rio Branco, quando o catador de latinhas, identificado como Ronielson Silva do Nascimento, de 24 anos, foi flagrado comendo um cachorro que havia sido atropelado e morto na Avenida Nações Unidas, no bairro do 7° BEC.

De acordo com relatos da polícia, Ronielson, residente na parte alta da cidade, estava percorrendo as ruas em busca de latinhas para vender quando deparou-se com o animal atropelado. Ignorando a cena, ele teria pegado uma faca e começado a cortar e consumir o corpo do cachorro.

O incidente bizarro chamou a atenção de policiais militares do 1° Batalhão, que imediatamente acionaram o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) para assistência. Ronielson foi então detido e encaminhado para uma ambulância de suporte básico do Samu, onde foi algemado.

Embora não haja registros de problemas mentais anteriores de Ronielson, nem passagens pelo Hospital de Saúde Mental do Acre (Hosmac) ou pela polícia, o jovem foi conduzido à Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da Baixada da Sobral para uma lavagem estomacal. Apesar do comportamento, nenhuma acusação formal foi feita contra ele, uma vez que o animal já estava morto no momento do incidente. A única apreensão foi da faca utilizada.

Comentários

Continue lendo






Em alta