O vice-governador Wherles Rocha (PSL) usou as redes sociais neste fim de semana para esclarecer que não fez nenhuma indicação para a direção da Polícia Civil e que perdeu nesta semana um dos seus indicados, o delegado Henrique Maciel, investigado pelo esquema das “rachadinhas”.

Rocha disse que o acordo firmado nas eleições, onde iria comandar as ações da segurança pública, foi quebrado pelo governador Gladson Cameli (Progressistas).

“Em se tratando mais especificamente do seu questionamento, ou seja, do acordo pelo qual eu iria indicar e coordenar a área da segurança, penso que o governador mudou de ideia. Mesmo não tendo desfeito o acordo, tampouco conversado comigo sobre o assunto, as mudanças que ele fez nessa área (nomeações e exonerações) me fazem crer que ele não quis mais continuar com o que havia sido acordado e decidiu assumir pessoalmente a condução desse setor”, declarou.

O militar ressaltou ainda que o atual secretário, coronel Paulo César, responde exclusivamente às ordens de Cameli. “Hoje, a Segurança Pública está sob a responsabilidade pessoal do governador. Já quero adiantar que não tenho qualquer objeção a essa mudança”.

Entretanto, Rocha explicou que enquanto esteve comandando a pasta houve avanços. “Conseguimos muitos avanços, com destaque para a redução significativa de crimes, aquisição de viaturas, armamento, fardamento, computadores, reforma de instalações físicas e outras”, salientou.

Comentários