Limite mínimo de velocidade gera polêmica

A Agência Nacional de Telecomunicação (Anatel) definiu uma nova regra de limite mínimo de velocidade de internet. As operadoras serão obrigadas a ofertar no mínimo 80% da velocidade prometida. A medida foi criticada pelo Procon Acre.

Desde o último sábado, as operadoras de internet banda larga fixa e móvel estão tendo que atender a uma nova regra definida pela Anatel. Agora 80% é a taxa mínima de velocidade que as empresas devem oferecer aos seus clientes. No caso de uma internet de 10 megabits por segundo (Mbps), a média mensal de velocidade fornecida deve ser de pelo menos 8 mbps.

A medição pode ser feita através de aplicativos disponíveis pela internet e até mesmo pelas próprias operadoras. Como o Brasil ainda é considerado um dos países com conexão mais lenta, a nova exigência segundo o governo visa pressionar o setor de telecomunicações a investir mais.

O Procon vê com surpresa a nova regra definida pela Anatel, afinal, os consumidores contratam 100% de um serviço e só vão poder exigir 80% dele. Mesmo sob essa crítica o órgão orienta quem se sentir prejudicado para que exija a oferta estipulada e solicite o abatimento proporcional.

Segundo a diretora da divisão de reclamações do Procon, Daniela Barcelos, são poucas as reclamações registradas por velocidade da internet. “Os consumidores acreanos ainda reclamam pouco, agora com os apagões que ocorreram, o volume de reclamações aumentou mais ainda é pouco perto do número de usuários no Estado, mas temos conhecimento que a internet deixa a desejar, o serviço 3 G tem péssima qualidade”, disse.
Em uma das lan house de Rio Branco, o proprietário explica que oferece 10 megas de velocidade e mesmo com poucos internautas navegando “a internet atinge no máximo 80%”, disse.

Acostumados com falta de conexão, que traz prejuízo ao ramo, os profissionais esperam que um dia a internet no Estado se equipare a outras regiões do país. “Se a velocidade fosse 100% da internet, para a empresa seria melhor, a navegação seria mais rápida, abriria os conteúdos com facilidade e os clientes sairiam mais satisfeitos”, opina a atendente Angela Cavalante.

Comentários