Casos só são oficialmente reconhecidos como suspeitos após confirmação do Ministério da Saúde, o que ainda não ocorreu. Coleta foi feita em três pacientes de Cruzeiro do Sul.

Hospital do Juruá investiga três casos suspeitos do novo coronavírus no interior do Acre — Foto: Reprodução/TV Globo
Por Iryá Rodrigues e Tácita Muniz, G1 AC

A direção técnica do Hospital do Juruá em Cruzeiro do Sul, no interior do Acre, afirmou, nesta terça-feira (17), que investiga três casos suspeitos de infecção pelo novo coronavírus (Covid-19). De acordo com a unidade, os três pacientes apresentam sintomas e estavam fora do estado. A coleta foi feita e agora o resultado é aguardado.

A unidade não divulgou as idades e nem mais detalhes sobre os casos investigados. Casos só são oficialmente reconhecidos como suspeitos após confirmação do Ministério da Saúde, o que ainda não ocorreu.

A Secretaria de Saúde do Acre (Sesacre) confirmou, nesta terça-feira (17), os três primeiros casos do novo coronavírus (Covid-19) no estado do Acre. A informação foi confirmada nesta terça em coletiva junto com o governador Gladson Cameli.

“Tivemos três pacientes com suspeita clínica de infecção pelo novo coronavírus; dois pacientes receberam atendimento, foi feita a coleta e estão em isolamento domiciliar, sendo acompanhados, com quadro clínico estável, sem apresentar intercorrências. O outro está internado no hospital e também está em regime de tratamento”, disse o diretor técnico do Hospital do Juruá, Marcos Lima.

Mesmo com as suspeitas, o médico disse que é importante esperar o resultado que confirma ou não os casos. Ele falou ainda que a unidade foi capacitada para atender essa demanda.

“A estratégia agora é de contenção, evitar a disseminação desse vírus. Todo paciente com os sintomas é considerado suspeito, por isso, são tomadas todas as medidas médicas sanitárias. Estando em um quadro estável, é feita a coleta e o paciente aguarda em casa, sendo monitorado diariamente”, explica.

As confirmações dos casos ocorreram no mesmo dia em que o governador Gladson Cameli declarou, no Diário Oficial do Estado desta terça-feira (17), situação de emergência devido à pandemia de Covid-19.

‘Vou parar tudo’

“Vou parar tudo. Vou priorizar a saúde”, disse o governador do Acre ao afirmar que não perderia mais tempo e que tomaria medidas mais rígidas para o controle da doença no estado.

A recomendação é que as pessoas evitem locais aglomerados, como shopping, academias e outros. Shows também serão cancelados, segundo o governo.

“Não vou esperar confirmação de contraprova para tomarmos as medidas cabíveis. É uma situação grave que a gente precisa do apoio da sociedade. Quero pedir que a população utilize a rede pública só em casos de sintomas e de uma necessidade mesmo, porque a pandemia é uma situação que a gente tem que poupar também os profissionais e a rede pública de saúde”, pontuou.

Todos eventos e agendas governamentais foram cancelados. Ao todo, são 58 leitos de UTI, 48 em Rio Branco e 10 no interior do estado, estão disponíveis para atender possíveis internações. “Tudo que o estado vai necessitar, a Sesacre está providenciando pelos meios jurídicos”, garantiu.

O decreto 5.465 de emergência, válido por 30 dias e podendo ser prorrogado, aponta ainda que as recomendações valem até que a emergência em saúde prevaleça, assim como determinou o Ministério da Saúde.

Visitas em presídios suspensas

Para manter o controle dentro das unidades penitenciárias do estado, Cameli determinou que o Instituto de Administração Penitenciária do Estado e do Instituto Socioeducativo do Estado (Iapen-AC e ISE-AC) suspendam as visitas sociais por 15 dias.

Para os advogados, o período de suspensão é de cinco dias, “salvo necessidades urgentes ou que envolvam prazos processuais não suspensos”.

As escoltas também seguem suspensas por 15 dias, mas com “exceção de requisições judiciais, inclusões emergenciais e daquelas que por sua natureza, precisam ser realizadas”, determina o decreto.

Sem eventos grandes

Os servidores da Saúde e Segurança também estão proibidos de tirar férias e licenças durante este período. Também ficam proibidos eventos com o público maior do que 100 pessoas. Já os eventos esportivos, se não forem suspensos, devem ocorrer sem a participação de público ou torcida.

As viagens de servidores também foram suspensas.

“Fica autorizada a realização de despesas, inclusive com dispensa de licitação, para a contratação de profissionais e pessoas jurídicas da área da saúde, aquisição de medicamentos, leitos de Unidades de Terapia Intensiva (UTI) e outros insumos, observadas as disposições legais aplicáveis”, estipula.

Além disso, o governo deve emitir um boletim informativo, por meio da Secretaria de Saúde (Sesacre), atualizando a situação de emergência decorrente do coronavírus. As informações vão constar no site do governo.

O decreto finaliza criando um Comitê de Acompanhamento Especial do Covid-19 que vai propor, acompanhar e avaliar as ações e os resultados das determinações.

Comentários