fbpx
Conecte-se conosco

Flash

Grave acidente em Rio Branco: Adolescente embriagada e sem CNH atropela motociclista e passageiro de app

Publicado

em

Um grave acidente ocorreu na última sexta-feira (8) na Estrada Dias Martins, em Rio Branco, deixando um motociclista de aplicativo, Felipe Moreira da Silva, de 24 anos, e seu passageiro, Mauro Gomes de Freitas Neto, de 20 anos, em estado grave. O veículo envolvido, conduzido por uma adolescente de 16 anos sem habilitação, trafegava na contramão e colidiu de frente com a moto, como mostram imagens de câmeras de segurança.

Segundo informações, a jovem teria pego o carro escondido dos pais e estava sob efeito de álcool. Testemunhas relataram que ela trafegava no sentido contrário, do bairro para o centro, quando causou a colisão. Os ocupantes da motocicleta foram socorridos pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e levados ao Pronto Socorro de Rio Branco.

Mauro Gomes de Freitas Neto, passageiro da moto, encontra-se em estado mais grave, com traumatismo craniano, afundamento de crânio, fratura na bacia e no fêmur da perna esquerda, sendo internado na UTI do Pronto Socorro. Já o motociclista Felipe Moreira da Silva sofreu lesões na perna esquerda, na cabeça e apresenta hematoma no olho esquerdo, sendo internado na enfermaria.

Passageiro e motociclista de app ficam em estado grave após serem atropelados por jovem sem CNH — Foto: Arquivo pessoal

O relatório policial indica que a adolescente se recusou a realizar o teste do bafômetro, mas os sinais de embriaguez foram evidentes, como olhos vermelhos, sonolência e odor de álcool no hálito. Após os procedimentos na Delegacia de Flagrantes, a jovem foi liberada na presença do pai.

A identificação do passageiro Mauro Gomes de Freitas Neto foi um desafio, pois ele foi levado ao Pronto Socorro sem documentos. A família ficou sem notícias por aproximadamente 12 horas até que uma enfermeira conseguiu contato com o pai do jovem. A tia de Mauro Gomes relata o estado gravíssimo do sobrinho e pede orações pela sua recuperação.

A esposa do motociclista, Géssila Silva, informa que Felipe trabalhava como motoqueiro de aplicativo e estava em serviço quando ocorreu o acidente. Ela relata que a jovem responsável pelo acidente, de 16 anos, pegou o carro escondido dos pais. Agora, a família aguarda informações sobre a evolução do estado de saúde dos envolvidos e clama por justiça.

Veja o video:

As autoridades seguem investigando o caso para tomar as devidas providências legais diante do gravíssimo acidente causado pela condução irresponsável e embriagada da adolescente sem habilitação.

Comentários

Flash

Municípios do Acre irão receber R$ 2,3 milhões do Ministério do Desenvolvimento Social para executar ações de acolhimento emergencial

Publicado

em

Com objetivo de expor a situação das enchentes no Acre e buscar medidas emergenciais para atendimento das famílias no período de cheia e pós-cheia, a Secretaria de Estado de Assistência Social e Direitos Humanos (SEASDH) recebeu nesta segunda-feira, 4, em Rio Branco, o diretor de Proteção Social Especial do Ministério do Desenvolvimento e Assistência Social, Família e Combate à Fome (MDS), Regis Spindola, que chegou ao estado com os ministros Waldez Góes e Marina Silva.

Em decorrência da segunda maior enchente no Acre, representantes ministeriais visitaram o estado. Foto: Jonas Chaves/SEASDH

Além disso, foi autorizada a utilização dos recursos mensais dos municípios, que somam mais de R$500 mil, para utilização no acolhimento emergencial.

O representante destacou também que o MDS irá unificar e efetuar os pagamentos do programa Bolsa Família. “Todas as famílias dos municípios que fizerem um requerimento receberão, no dia 15 de março, a parcela do programa”, explicou.

No decorrer do dia, os representantes estaduais e federais passaram pelos bairros da capital próximos ao Rio Acre, observando os principais locais afetados pelas águas, bem como a situação das casas e das famílias.

R$ 2,3 milhões serão disponibilizados aos municípios. Foto: Jonas Chaves/SEASDH

A titular da SEASDH, Maria Zilmar da Rocha, destaca que a pasta está atendendo às demandas enviadas pelos municípios, e estão sendo disponibilizados alimentos, água potável, kits de higiene e de limpeza, entre outros itens.

“O Estado tem feito um trabalho incansável, juntando esforços para que a gente possa, da melhor forma possível, ajudar aqueles municípios, aquelas famílias afetadas e as pessoas que estão em vulnerabilidade”, ressaltou.

Secretária e diretores da SEASDH acompanham diretor do MDS em visita aos bairros alagados. Foto: Jonas Chaves/SEASDH

Visita

Durante visita à sede da SEASDH, Regis Spindola pôde conhecer a estrutura da secretaria, além dos avanços nos planos e programas desenvolvidos no Acre. Também foram discutidas medidas para evitar as enchentes e o planejamento de arranjos emergenciais para atendimento das famílias na alagação.

Secretária destaca que Assistência Social está dando todo suporte aos municípios. Foto: Jonas Chaves/SEASDH

O diretor do MDS conheceu também as instalações da Casa Abrigo Mãe da Mata, entidade da rede socioassistencial pública e privada, bem como seus atendimentos e público beneficiado. A instituição busca garantir a proteção integral de indivíduos ou famílias.

Gestor federal conheceu instalações da secretaria, servidores e programas desenvolvidos. Foto: Jonas Chaves/SEASDH

Comentários

Continue lendo

Flash

Ajuda Federal: Ministros de Lula visitam Brasiléia e anunciam ajuda à população afetada pela alagação no Acre

Publicado

em

O município de Brasiléia recebeu a visita da comitiva do governo federal, composta pelos Ministros da Integração e Desenvolvimento Regional, Waldez Góes, e da Ministra do Meio Ambiente e Mudanças Climáticas, Marina Silva.

Os ministros vieram acompanhados do governador do estado do Acre – Gladson Cameli, bancada de senadores, Alan Rick, Sérgio Petecão, deputados Estaduais Tadeu Hassem e Luiz Gonzaga, deputada Federal Antônia Lúcia, além de autoridades civis e militares.

Os representantes do governo federal vieram prestar assistência e anunciar medidas de apoio à população afetada pela enchente do rio Acre, que desabrigou milhares de famílias no município.

O ministro Waldez Góes, destacou o apoio do presidente Lula e a importância da atuação conjunta para minimizar os impactos da enchente em Brasiléia. “Quero mais uma vez expressar nossa solidariedade em nome do presidente Lula. A atuação conjunta é uma recomendação do presidente Lula para diminuir o sofrimento das pessoas. Quero dizer que não faltará o apoio do presidente Lula, que fará o que for necessário para minimizar esses impactos na vida das pessoas atingidas“, destacou o ministro da Defesa.

A ministra Marina Silva expressou solidariedade à população de Brasiléia e destacou que ações estruturantes, como o decreto permanente de emergência climática, estão sendo trabalhadas para enfrentamento desse problema.

“Quero aqui manifestar a minha solidariedade e do presidente Lula com a população de Brasiléia, particularmente com a prefeita Fernanda. Não é fácil uma mulher enfrentar uma crise como essa. Esse é um problema grave que, infelizmente, vem se agravando, e estamos trabalhando em planos estruturantes para que todos os municípios vulneráveis possam ter intervenções continuadas para enfrentar o problema, no sentido de decretar emergência climática permanente nos municípios sujeitos a eventos extremos”, destacou a ministra Marina Silva.

Em Brasiléia, a prefeita Fernanda recebeu as autoridades e percorreram os locais mais afetados na cidade, incluindo o centro, bairro Leonardo Barbosa e Parque Centenário, que sofreram danos significativos, relatou às autoridades federais e estaduais que, pela primeira vez em cem anos de história, a alagação atingiu a zona rural, e os produtores perderam tudo o que tinham. A parte baixa da cidade ficou destruída. “É muito importante a vinda dos ministros, do governador e da bancada federal. A vinda dos ministros representa a presença do nosso presidente Lula. Essa união tripartite é fundamental. Todos viram o estado de calamidade em que Brasiléia se encontra, pessoas perderam casas e sonhos. Não conseguimos mensurar a quantidade de pessoas que perderam suas casas”, pontuou a prefeita.

Também estiveram presentes, os prefeitos dos municípios do Alto Acre, e de Plácido de Castro, atingidos pela enchente.

Brasiléia enfrenta uma situação de calamidade, após ser atingida por mais uma alagação de proporção histórica. Ruas, casas, praças e escolas foram destruídas pelas águas, e pontes na zona rural desabaram, deixando um rastro de destruição que abalou a comunidade local.

Comentários

Continue lendo

Flash

Rio Acre sobe dez centímetros nas últimas horas e registra segunda maior enchente na capital

Publicado

em

O Rio Acre na capital chegou a 17,75 m na medição das 6h desta segunda-feira, 4, registrando assim a segunda maior enchente na capital, ao superar a marca de 17,72 m, de 3 de abril do ano passado. Na noite de domingo, 3, o rio já havia ultrapassado a terceira maior cheia, ao chegar a 17,68 m. Já na segunda medição desta segunda-feira, às 9h, o rio continuou a subir, alcançando o nível de 17,78 m, um acréscimo de dez centímetro em relação à noite de domingo.

Desde a quinta-feira, 29, o rio se mantém acima dos 17 m na capital. A maior cota registrada foi de 18,40 m, em 4 de março de 2015, data da cheia histórica, quando mais de cem mil pessoas foram atingidas.

Rio Acre registra segunda maior enchente na capital. Foto: Pedro Devani/Secom

O governador Gladson Cameli declarou situação de emergência em mais duas cidades do Acre, devido à cheia dos rios no estado. Agora, o decreto nº 11.421abrange Manoel Urbano e Rodrigues Alves. Há uma semana, a emergência foi decretada em 17 cidades, e agora esse número sobe para 19 das 22 cidades acreanas.

Há reconhecimento do governo federal em 17 cidades

A Coordenadoria Estadual de Proteção e Defesa Civil, com a Secretaria de Estado do Meio Ambiente, vem fazendo esse monitoramento em todos os rios acreanos: Juruá, Envira, Tarauacá, Iaco, Purus e Bacia do Acre. Na cabeceiras desses rios, todos apresentam vazantes, segundo o coordenador da Defesa Civil Estadual, coronel Carlos Batista.

“Em Marechal Thaumaturgo, o nível do rio já baixou alguns centímetros, mas em Porto Walter, Rodrigues Alves e Cruzeiro do Sul continuam em elevação. Na Bacia do Juruá, o Rio Moa continua subindo e joga muita água, principalmente para Cruzeiro do Sul. Estamos fazendo todo esse acompanhamento, com o Sistema Estadual de Proteção e Defesa Civil, que são todas as secretarias, no sentido de apoiar, reforçando ações junto às prefeituras e suas coordenadorias municipais de Defesa Civil”, diz.

Na Bacia do Acre, o rio já deu sinal de vazante em Assis Brasil, Brasileia, Epitaciolândia e Xapuri, e já está voltando à calha normal.

“Continuamos acompanhando, a previsão é de mais chuva nos próximos dias, mas esperamos que o rio se estabilize e comece a dar sinais de vazante ainda nesta segunda-feira, 4. Mas são apenas previsões. A estrutura da Defesa Civil Estadual está de prontidão total, dando assistência, como foi feito nos 19 municípios em decretação na situação de emergência, e estamos agora com todo nosso poder operacional, principalmente de ação de assistência e resposta nesses municípios em que o rio continua subindo, como é o caso da nossa capital”, enfatiza.

Confira as máximas do Rio Acre na capital

1º) 18,40 m – 4 de março de 2015

2º) 17,72 m – 3 de abril de 2023

3º) 17,66 m – 14 de março de 1997

4º) 17,60 m – 25 de fevereiro de 2012

5º) 17,11 m – 17 de fevereiro de 1988

6º) 17,01 m – 12 de março de 2014

7º) 16,90 m – 26 de dezembro de 1978

8º) 16,86 m – 4 de abril de 1974

9º) 16,72 m – 21 de fevereiro de 2006

10º) 16,37 m – 29 de março de 1979

Comentários

Continue lendo






Em alta