Por Raimari Cardoso

A campanha eleitoral 2020 já começou de fato e de direito e todos os detalhes relacionados a informações públicas dos candidatos que disputam as cobiçadas cadeiras de prefeito, vice-prefeito e vereador chamam a atenção podendo ou não ter influência na decisão do eleitor na hora do voto.

Em meio aos muitos dados divulgados pela Justiça Eleitoral por meio de seu sistema de informações, um dos itens mais procurados é referente às declarações de bens dos candidatos, ou seja, aquilo que os postulantes aos cargos majoritários e proporcionais informam possuir em seus nomes antes da eleição.

Em Xapuri, onde mais uma vez a eleição municipal será disputada por quatro chapas distintas, os candidatos à prefeitura apresentaram declarações de bens que vão desde um patamar quase milionário, como no caso de Carla Mendonça (PP), a uma condição de materialmente despossuído, como ocorre com Gessi Capelão, do PSD.

Única mulher na disputa municipal e marinheira de primeira viagem em eleições, Carla Mendonça é a candidata mais abastada economicamente deste pleito em Xapuri. Ela declarou bens avaliados em R$ 970 mil, entre casas, terrenos, carro (chevrolet S10/2019-2020) e participação societária em empresa da família.

O candidato do MDB, o advogado Carlos Venícius, tem patrimônio mais modesto. Entre veículos automotores (uma motocicleta Honda Bros 160 ano 2016 e uma Toyota Hilux ano 2015), 50 cabeças de gado, cota de participação em empresa e capital referente a seu escritório particular, o emedebista declarou R$ 416.397,00 em bens.

O atual prefeito e candidato à reeleição, Bira Vasconcelos (PT), é um dos “primos pobres” dessa campanha. Ele repetiu a declaração de bens feita na eleição passada: uma motocicleta Honda Bros 160, de ano não informado, e um carro modelo Spin 2015/2016, que em 2016 custavam R$ 60 mil e agora passaram a valer R$ 48 mil.

Por fim, o candidato do PSD, Gessi Capelão, que deixou o MDB durante a pré-campanha para lançar candidatura própria pelo partido do senador Sérgio Petecão, é o único entre os postulantes em Xapuri que alega nada possuir. Como em 2016, quando foi eleito vereador pela terceira vez consecutiva, Capelão declarou à Justiça Eleitoral não ter bens a serem cadastrados.

Exigência

Para disputar uma eleição é necessário a todos os candidatos apresentar ao Tribunal Regional Eleitoral, no ato de pedido do registro, uma série de informações, entre elas a declaração de bens atualizada, preenchida no Sistema CANDex e assinada pelo candidato na via impressa pelo sistema.

Cada bem declarado pelo candidato a uma das vagas eletivas precisa ser definido pelo tipo, por uma descrição e por seu respectivo valor monetário. Os tipos de bens disponíveis são os mesmos existentes no programa de Declaração de Imposto de Renda da Pessoa Física (DIRPF).

Comentários