Conecte-se conosco





Brasil

Chuva de meteoros poderá ser vista na madrugada desta quinta-feira (29)

Publicado

em

Fenômeno conhecido como Delta Aquáridas estará no auge nas noites de 28 e 29 de julho

 

Na madrugada desta quinta-feira (29), a chuva de meteoros Delta Aquáridas iluminará o céu. Enquanto a Terra orbita o sol, ela encontra a órbita assimétrica de um cometa, cuja superfície gelada deixa para trás poeira e rochas à medida que aquecem com o calor do sol. Quando essas rochas espaciais caem em direção à nossa atmosfera, “a resistência – ou arrasto – do ar na rocha a torna extremamente quente”, de acordo com a Nasa.

“O que vemos é uma ‘estrela cadente’. Essa faixa brilhante não é realmente a rocha, mas sim o ar quente brilhante à medida que a rocha quente passa pela atmosfera. Quando a Terra encontra muitos meteoros ao mesmo tempo, chamamos isso de chuva de meteoros”.

Possivelmente de origem no Cometa 96P Machholz, a chuva de meteoros Delta Aquáridas do Sul ocorre em qualquer momento entre 12 de julho e 23 de agosto todos os anos. Este ano, o pico será nas noites de 28 e 29 de julho. A Alfa Capricornídeos, uma chuva de meteoros mais fraca, também atinge o pico nessas mesmas noites. Conhecida por emitir bolas de fogo brilhantes durante seu pico, a Alfa Capricornídeos será visível para todos.

A chuva de meteoros Delta Aquáridas pode ser melhor vista no hemisfério sul. Os meteoros, em torno de 10 a 20 por hora, voam a cerca de 145 mil quilômetros por hora. Eles são mais visíveis entre 2h e 3h, em todos os fusos horários, quando a enfraquecida constelação de Aquário, o Portador da Água – o ponto radiante da chuva – está mais alta no céu, de acordo com EarthSky.

Se você sair por cerca de 30 minutos antes da chuva de meteoros, seus olhos podem se ajustar à escuridão, de acordo com a Nasa. Para quem está no hemisfério sul, o brilho está mais perto de cima; as pessoas no hemisfério norte devem olhar para a parte sul do céu. Você não precisa usar um telescópio e não é preciso se concentrar tanto em pontos radiantes, pois os meteoros aparecerão em todas as partes do céu, aconselhou a EarthSky.

Uma lua minguante brilhante (74% cheia) irá obscurecer parte da chuva de meteoros nesta semana, o que torna crítica a observação em uma área com pouca ou nenhuma poluição luminosa – como de edifícios e tráfego. Mas no início de agosto, 13% de lua cheia (uma lua crescente) simplificará a visualização dos meteoros, embora eles estejam fora do pico.

Show de talentos meteórico

Um céu escuro também é importante se você quiser ver o caminho da Delta Aquáridas se cruzar com a chuva de meteoros Perseida. Perseida, o fenômeno mais popular do ano, origina-se de um ponto radiante diferente, é mais brilhante do que a Delta Aquáridas e atinge o pico durante as primeiras manhãs de 11 a 13 de agosto.

Embora compreender e observar os pontos brilhantes não seja crucial para visualizar a Delta Aquáridas, é necessário para distinguir o Delta Aquáridas e a chuva de meteoros Perseidas em agosto, de acordo com a EarthSky.

Enquanto os meteoros da Delta Aquáridas irradiam da vizinhança da constelação de Aquário, as Perseidas atravessam a constelação de Perseus, que fica na parte nordeste do céu. Então, se você estiver no hemisfério norte, os meteoros que aparecem do nordeste são Perseidas, enquanto os meteoros que vêm do sul são Delta Aquáridas.

Há mais chuvas de meteoros que você pode acompanhar durante o restante de 2021, de acordo com o guia da EarthSky:

  • 8 de outubro: Draconídeos
  • 21 de outubro: Oriônidas
  • 4 a 5 de novembro: Taurídeos (ou Taurídas) do Sul
  • 11 a 12 de novembro: Taurídeos (ou Taurídas) do Norte
  • 17 de novembro: Leônidas
  • 13 a 14 de dezembro: Geminídeos
  • 22 de dezembro: Ursídeos

 

 

Com informações de Sarah Molano e Ashley Strickland, da CNN

Comentários

Em alta