Conecte-se conosco

Flash

Aumento no valor do gás domiciliar pesa no bolso do consumidor

Publicado

em

Ouça áudio:

O ano de 2020 foi marcado por sucessivos aumentos no preço do gás. Em 1º de janeiro deste ano, o produto vendido no Rio Grande do Sul de forma canalizada conta com uma nova tabela, que trouxe preços mais amargos. A Companhia de Gás do Estado do Rio Grande do Sul (Sulgás), que comercializa e distribui o produto, reajustou em 7,7% o preço do gás natural domiciliar e o comercial em 9,37%.

A Sulgás diz que o último reajuste foi realizado em outubro de 2019 e que o atual aumento “visa somente realinhar as tarifas de acordo com o aumento do custo do gás nesse período, que também é diretamente impactado pela variação do dólar”.

Em Santa Catarina, neste mês, a Agência Reguladora de Serviços Públicos do estado (Aresc) também aumentou em 13,43% o preço do gás natural de domicílio; e em 16,6% do gás a consumidores comerciais.

Em 3 dezembro do ano passado, a Petrobras aumentou em 5% o preço médio do GLP, também conhecido como gás de cozinha. O acréscimo é válido para revendedoras. O reajuste fez com que valor médio do botijão de gás de 13kg comercializado pela estatal às revendedoras passasse para R$ 33,89. Ao longo de 2020, houve variação média de 21,9% no preço do produto, o que corresponde a R$ 6,08 por botijão de gás.

Consumidor

O impacto desse reajuste foi sentido no restaurante do empresário e chefe de cozinha Marcello Lopes, de Brasília. Para 2021, para compensar esse aumento, ele pretende investir em equipamentos elétricos e em energia renovável. “Comecei janeiro de 2020 pagando R$ 258 com gás de cozinha e, hoje, estou pagando R$ 335. Ou seja, foi um aumento absurdo”, afirma.

Segundo a Agência Nacional de Petróleo (ANP), em Brasília, o botijão de gás varia entre R$ 69,99 e R$ 93. Em Rio Branco, capital do Acre, o preço varia entre R$ 90 e R$ 98.

César Bergo, presidente do Conselho Regional de Economia do Distrito Federal (Corecon-DF), diz que o valor do gás de cozinha varia em todo o País conforme a oferta e a demanda do produto em cada estado. De acordo com ele, o aumento no valor do gás de cozinha ao longo do ano passado pode ser explicado pela variação do preço do petróleo, um dos componentes dessa mercadoria. Além disso, ele cita a falta de competitividade no setor.

“O preço sobe também pelo fato da Petrobras ser praticamente um monopólio do gás de cozinha. Dessa forma, o mercado fica sujeito às tratativas da Petrobras de compra e importação do produto”, explica.

 

Carinne Souza, dona de uma lanchonete no Guará, região administrativa do Distrito Federal, conta que precisou repassar aos seus clientes o aumento do gás de cozinha.

“Para compensar isso, precisamos economizar, por exemplo, no gasto com luz, com água e reduzindo a compra de alimentos. E, infelizmente, nós tivemos que repassar esse prejuízo para os clientes, aumentando os valores dos itens que vendemos.”

Nordeste

Em Campina Grande (PB), segundo pesquisa feita em dezembro pelo Procon do município, o preço médio do botijão de gás foi de R$ 75,88 à vista. No mesmo mês de 2019, o preço médio encontrado à vista foi de R$ 69.

De acordo com a Petrobras, o valor dado pela empresa ao comercializar o GLP para as distribuidoras pode ser representado pela soma de duas parcelas: uma referente ao produto vendido pela empresa e outra parcela de tributos, que são cobrados pelos estados e pela União. No preço do botijão pago pelos consumidores nos pontos de revenda também estão incluídos os custos e as margens de comercialização das distribuidoras e dos pontos de revenda.

Comentários

Flash

Dois chilenos são presos por briga e por causarem congestionamento na ponte entre Brasiléia e Epitaciolândia

Publicado

em

Dois chilenos que ficavam em uma casinha de ponto de ónibus foram encaminhado pelos PMs para o 10 Batalhão de Polícia Militar por brigarem e causarem congestionamento sob a ponte que interliga os municípios de Brasiléia e Epitaciolândia.

De acordo com as informações e videos feito por populares que passavam no local, os gringos estavam com sintomas de embriagues e trocavam socos por pelo menos 40 minutos com intervalos.

Quando passado um dos intervalos, os dois voltaram a se bater, só que não se deram conta que no momento havia um veiculo da Policia Militar que ia rumo a Epitaciolândia e de imediato apreendeu os dois e encaminhou para a delegacia.

O caso deve ser analisado pelo delegado do municipio, os cidadãos não possuem documentos e são estrangeiro, ainda não foi possível identificar seus nomes.

Ambos tiveram ferimentos nas narinas e cabeça mas passam bem.

Veja os videos:

Comentários

Continue lendo

Flash

Polícia boliviana prende dois Brasileiros envolvido nos roubos da cidade de Cobija-Pando

Publicado

em

O Departamento de Análises Criminal e Inteligencia (D.A.C.I) da Bolívia, apreendeu neste ultimo  Domingo, 29, dois delinquentes envolvidos nos assaltos contínuos que ocorrem na cidade vizinha do Acre, Cobija.

Os mesmos estavam sob a posse de uma Pistola e estava sendo acusados por assalto cometido na rua Otto Felipe Braun em frente ao mercado central de Cobija e no bairro Nazaria Rua Manuripi no dia 26 de janeiro deste ano.

Ambos os sujeitos detidos são identificados como “D. W. P. DA S. ” E “C. DE S. C. ” de nacionalidade brasileira.

Os apreendidos foram encaminhados ao Ministério Público do pais pela suposta comissão dos crimes de posse, porte e portação de arma de fogo incluindo roubo agravado que serão julgado conforme a lei boliviana.

 

Fontes: Comando da policia de pando e La Voz del Norte

Comentários

Continue lendo

Flash

Sociedade segura é sociedade próspera, diz Coronel Ulysses

Publicado

em

O deputado eleito Coronel Ulysses (UB) reiterou esta semana, em Brasília, seu compromisso com a segurança pública no Estado, ”já que representa a proteção da própria cidadania”. Por isto mesmo, reafirmou seu empenho com a valorização, fortalecimento e modernização das polícias Militar, Civil, Penal, Corpo de Bombeiros e Socio Educativo do Acre ,”forças que, em sintonia e de forma complementar, trabalham pela defesa da pessoa e do patrimônio”.

Um dos fundadores do COE(Comandos e Operações Especiais), Bope(Batalhão de Operações Policiais Especiais) e Gefron (Guarda Especial de Fronteira) no Estado, Coronel Ulysses lembrou que toda sua carreira pública militar “se confunde com a defesa intransigente da sociedade e seus valores num combate sem tréguas à criminalidade”. E destacou que segurança pública, “vai ao encontro de uma das maiores reivindicações da sociedade acreana durante a campanha.“O povo clama por segurança, paz e tranquilidade”, afirmou.

“Envidarei todo esforço necessário para buscar Recursos para a Segurança no Estado”.

O Deputado eleito salientou que as forças de segurança no Acre “tem todo um histórico de luta pela comunidade e em defesa da sociedade. Nada mais justo, portanto, que tenha um representante de seus legítimos interesses na Câmara Federal”. Ele afirmou que visa alocar recursos para que as corporações garantam meios indispensáveis para a proteção do cidadão, seus bens e seus direitos. “Os recursos deverão ajudar na formação de um contingente necessário e o devido aparelhamento das instituições. Vamos ainda lutar para prover os agentes da segurança de uma remuneração mais digna e justa”.

Trabalho Parlamentar x Criminalidade

Enquanto parlamentar, o Coronel Ulysses pretende também dedicar-se ao combate naquilo que considera CRISE DE CRIMINALIDADE, algo que vem sendo vivenciado no Brasil nos últimos 30 anos.A intenção, segundo o deputado eleito, é chamar a atenção à fragilidade da atual legislação penal existente e a atuação danosa dos Tribunas Superiores em decisões pró-crime em virtude da omissão do Legislativo.

 “Quero ainda enfatizar a ideia distorcida existente em muitos ambientes acadêmicos que apresentam o criminoso muitas vezes como vítima de uma sociedade injusta, quando na verdade a inclinação pelo crime é uma escolha pessoal ,‘resultante da opinião deturpada que, no Brasil, o crime compensa.’”, salientou.

No mesmo sentido, o deputado eleito quer, no Parlamento, desmascarar a farsa que o Brasil promove encarceramento em massa , “quando na verdade apenas 1/5 dos criminosos levados ao Judiciário são submetidos minimamente à custódia do Estado, enquanto os demais são beneficiados pela ‘benevolência’ do nosso Código Penal”. Coronel Ulysses deseja ainda mapear a condição atual de alguns indivíduos que cometeram crimes violentos intencionais e comparar as condições dos familiares das vítimas, “num trabalho que promete surpreender “.

Sociedade próspera

Por fim, o Coronel Ulysses destacou que todo seu histórico militar fez compreender que a segurança pública é capaz de propiciar uma sociedade saudável, onde o trabalho preventivo prevalece as ações meramente repressivas. ”Meu esforço parlamentar visa, fundamentalmente, a proteção das pessoas, o cumprimento das leis e o combate à criminalidade. Afinal, sociedade segura é sinônimo de sociedade próspera.”, concluiu.

Comentários

Continue lendo

Em alta