“Ele precisa entrar no debate que interessa, que é o das propostas”, disse Bittar.

Assessoria

“O governador Tião Viana fica forçando a barra para querer se sair de vítima nos debates”, disse ontem à noite o candidato a governador Marcio Bittar (PSDB), da Coligação Por Um Acre Melhor. Ele fez essa e outras afirmações a jornalistas, logo depois do encerramento do debate na TV Rio Branco, onde o candidato a reeleição passou o tempo inteiro falando de governos de outros estados “para fugir dos assuntos locais que o incomodam”.

Segundo o candidato tucano, Marcio Bittar, vítimas “são as inúmeras pessoas que dormem nas filas dos hospitais a procura dum exame; são as pessoas assaltadas e roubadas no Acre; e as que perdem familiares em assassinatos”. Bittar disse que as pessoas já perceberam a tática do governador Tião Viana nos debates, para fugir dos temas que tiram votos dele todo dia.

Marcio Bittar foi carregado pela militância após o debate/Foto: Assessoria
Marcio Bittar foi carregado pela militância após o debate/Foto: Assessoria

O debate na TV Rio Branco juntou militâncias das duas principais candidaturas. Apoiadores de Marcio Bittar tiraram “plantão” em frente a emissora até o candidato descer as escadas. Ao término, carregado nos braços, Bittar ouviu militantes da oposiçao darem gritos de ordem em comemoração a sua boa atuação. “As pessoas acham que ganhei o debate por que quando tive oportunidade falei de minhas propostas”, assegurou.

Marcio Bittar foi ao debate acompanhado da esposa, Marcia Bittar, de sua vice, Antônia Sales (PMDB), do senador Sérgio Petecão (PSD), de candidatos a deputados federal e estadual de sua coligação, além de assessores. Tranquilo, nem antes, nem depois, demonstrou qualquer nervosismo. “Cumpri meu papel que a democracia me proporcionou”, disse, no final.

O candidato tucano ao governo do Acre parabenizou a emissora de TV e elogiou a organização do debate, que teve de camarotes para as assessorias, a alas vips para as pessoas mais próximas. Já em casa, Bittar fez avaliações mais frias e disse esperar que da próxima oportunidade seu adversário deixe os assuntos locais serem discutidos. “Ele precisa entrar no debate que interessa, que é o das propostas. Eu ainda estou querendo saber que proposta é a dele, depois de 16 anos. Mas ele foge do assunto. Tenta o tempo todo ser vitima”, afirmou.

Comentários