Casal está desaparecido desde o dia 2 de junho em Rio Branco.
Polícia analisa imagens de câmera de segurança na busca por suspeitos.

G1

Rairleny Ganum da Silva, de 19 anos, e Arnaldo Reis Praxedes, 63 anos, desaparecem no dia 2 de junho (Foto: Arquivo Pessoal)
Rairleny Ganum da Silva, de 19 anos, e Arnaldo Reis Praxedes, 63 anos, desaparecem no dia 2 de junho (Foto: Arquivo Pessoal)

Após 10 dias do desaparecimento da estudante Rairleny Ganum da Silva, de 19 anos, e Arnaldo Reis Praxedes, 63 anos, a polícia ainda não possui suspeitos e reafirma que nenhuma hipótese foi descartada entre elas sequestro, homicídio e latrocínio.

Rairleny, e Praxedes  têm um filho de quatro anos. O casal saiu no dia 2 de junho, quando ele afirmou que teria arrumado um emprego para ela como faxineira e após isso não foram mais vistos.No dia 3 de junho o carro em que estavam foi encontrado incendiado no Ramal do Pica Pau, na Estrada do Amapá, em Rio Branco. A polícia relata ainda, que no mesmo dia que encontrou o carro, a casa  de Praxedes foi invadida e foram levadas duas televisões.

O delegado responsável pelo caso, Pedro Paulo Buzolin, explica que a polícia analisa imagens de câmeras de segurança e realizou uma perícia na casa de Praxedes em busca de indícios que possam identificar a ação de algum suspeito no desaparecimento. “Continuamos investigando, mas ainda não temos nada robusto. Ninguém foi identificado”, disse.

Com o coração angustiado, Rairla Ganum, irmã de Rairleny, conta que a falta de informações deixa a família cada vez mais apreensiva. Segundo ela, ninguém apareceu dizendo ter visto a estudante ou com qualquer informação do paradeiro do casal.

A família não perde a esperança e acreditam que o resultado da perícia e análise das imagens das câmeras ajudem a encontrar vestígio que explique o paradeiro de Rairleny. “Estamos sofrendo muito, mas temos esperança de que ela seja encontrada. Infelizmente não tivemos informações, mas sei que vamos achar ela onde quer que esteja”, destaca.

Entenda o caso
A estudante Rairleny Ganum da Silva, de 19 anos, e Arnaldo Reis Praxedes, 63 anos, estão desaparecidos desde o último dia 2 de junho em Rio Branco. De acordo com os familiares da jovem, ela estava em casa quando Praxedes teria ido buscá-la com a promessa de que teria encontrado um emprego para ela como faxineira. Os dois têm um filho de quatro anos e a menina possui também uma filha de dois. A família do aposentado não comenta o caso.

Para cobrar respostas das autoridades, um grupo de familiares e amigos da estudante realizou um protesto na tarde do dia 6 de junho e fechou a Rua do Divisor, no Bairro Vitória, em Rio Branco, por pelo menos uma hora.


saiba mais

Comentários