O secretário de saúde do Acre, Alysson Bestene, afirma categoricamente que o governo se preparou para o pior cenário possível diante da ameaça do novo coronavírus, razão pela qual não há nenhuma histeria governamental diante de cada boletim em que o número de infectados aumenta, como no caso dessa quinta-feira (25) quando subiu de 21 para 23 o número de casos.

Na sala de gerência de enfrentamento à pandemia, no quinto andar do prédio onde funcionou o extinto Banacre, centro de Rio Branco, Alysson recebeu ContilNet e Blog do Evandro Cordeiro com a fidalguia de sempre para falar sobre o drama mundial, tudo como manda o protocolo, todos com máscaras e asseados por álcool em gel.

Quanto a situação do governo ante a pandemia , o secretário tem notícia boa. Disse que o sistema de saúde está azeitado, pronto para a mais pessimista situação, pelo menos para uma situação inusitada, como essa pandemia. “Nós nos preparamos para o pior cenário, que Deus nos livre aconteça. Estamos preparados, sempre seguindo as principais orientações da saúde nacional, do gabinete de crise do nosso ministro. O Acre tem cumprido todas as regras do confronto a esse vírus”, disse.

Além das 58 UITs que o Estado já dispõe, estão sendo alugadas mais 20, e outras 20 do hospital Santa Juliana. A UPA do segundo distrito está preparada como base, também. Para Cruzeiro do Sul o governo adquiriu mais 10 UTIs. De forma que, segundo Alysson, não há motivo para nenhuma preocupação caso a doença insista em alcançar acreanos.

Alysson Bestene revela a existência de sincronia entre a equipe do Estado, assim como com as secretarias municipais de saúde. A comunicação tem prevalecido, para o bem do combate ao vírus. Ele elogia a todos, mas abre um parêntesis para a prefeita de Rio Branco, Socorro Neri (PSB), e chama a atenção para um detalhe interessante em meio ao caos: o fato de ninguém estar pensado em política nesse momento. “Agradeço todo apoio que a prefeita Socorro Neri vem dispensando no combate ao vírus, desde o primeiro momento em que ele foi descoberto em nosso estado”, declara.

A orientação do governador é brigar contra o vírus, segundo Alysson, que anuncia também medidas já tomadas em relação aos acessos à capital. 50% já está restrito. Só cruzam as estradas municipais pessoas que atuam nos serviços essenciais. “O importante é terminar todo mundo bem no final”, diz o otimista secretário.

Por fim, o secretário de Saúde comemora um fato de muita relevância em meio a crise: todos os leitos disponíveis pela rede estadual estão vazios. Até agora só uma vítima do coronavírus foi atendida com internação, o fundador da Cooperacre, Manoel da Gameleira, que já está bem perto de anunciar a cura. A advogada Isabela Fernandes, primeira vítima conhecida no Acre, e que ainda está na UTI, foi atendida pela rede privada de saúde, e segundo Alysson, já apresenta melhora.

Comentários