fbpx
Conecte-se conosco

Geral

Veja vídeos: Antigo prédio da Cageacre em Brasiléia é consumido pelo fogo

Publicado

em

Screenshot

Populares registram um incêndio no antigo prédio abandonado da CAgeacre na cidade de Brasiléia na tarde desta segunda-feira, dia 1º de julho.

Vários vídeos foram registrados mostrando as chamas consumindo a estrutura. O prédio se encontra abandonado a décadas na cidade. local era usado pelo Estado para realizar o armazenamento de arros, feijão, milho, entre outros produtos produzidos por produtores rurais.

Screenshot

Homens do Bombeiros foram acionados e tudo leva a crer em um incêndio criminoso, uma vez que o prédio não possui ligação elétrica. Muitos móveis velhos e até mesmo alguns veículos eram guardados no interior.

Segundo informações, o prédio é patrimônio do INSS, foi adjudicado no ano 2000 para pagamento de dívidas que vem se externando até a presente data.

A fumaça chamou a atenção dos moradores que acionaram os bombeiros para apagar as chamas.

Mais informações a qualquer momento.

Comentários

Continue lendo

Geral

Mega-sena acumula novamente e prêmio vai a R$ 65 milhões para o próximo sorteio, na quinta-feira (25).

Publicado

em

A quina teve 65 apostas ganhadoras e cada uma vai receber R$ 51.676,02. Já a quadra registrou 4.346 ganhadores, com prêmio de R$ 1.104,11 para cada. Foto art/internet

Nenhum apostador acertou as seis dezenas do concurso 2.752 da Mega-Sena, sorteadas nesta terça-feira (23) no Espaço da Sorte, em São Paulo. Com isso, o prêmio da faixa principal acumulou e está estimado em R$ 65 milhões para o próximo sorteio, na quinta-feira (25).

Os números sorteados foram: 04 – 15 – 24 – 40 – 44 – 47

A quina teve 65 apostas ganhadoras e cada uma vai receber R$ 51.676,02. Já a quadra registrou 4.346 ganhadores, com prêmio de R$ 1.104,11 para cada.

As apostas para o próximo concurso podem ser feitas até as 19h (horário de Brasília) do dia do sorteio, nas casas lotéricas credenciadas pela Caixa em todo o país, ou pela internet. No caso das lotéricas, os estabelecimentos podem fechar antes das 19h. O jogo simples, com seis dezenas marcadas, custa R$ 5.

Comentários

Continue lendo

Geral

Pai e filha estão desaparecidos após naufrágio no Amazonas

Publicado

em

Por

Acidente aconteceu durante uma tempestade que atingiu a região, quando as vítimas navegavam entre as comunidades Albano e Sororó, localizadas no município de Urucará.

Pai e filha estão desaparecidos após naufrágio no Amazonas — Foto: Reprodução

Por g1 AM

Pai e filha estão desaparecidos após a canoa em que estavam naufragar em Urucará, interior do Amazonas. O acidente aconteceu durante uma tempestade que atingiu a região, no último sábado (20). Segundo os bombeiros, as buscas estão sendo feitas na superfície para tentar localizá-los.

O naufrágio foi registrado entre as comunidades Albano e Sororó, no município de Urucará. No momento do acidente, Saul Nobre da Silva, de 27 anos, e Ana Sofia Nobre Teixeira, de 2 anos, estavam acompanhados de Ana Elma Teixeira dos Santos, esposa e mãe das vítimas, respectivamente, que foi salva por moradores da região.

Segundo o Corpo de Bombeiros de Parintins, que foi acionado para atender o ocorrido, o acidente aconteceu bem no meio do rio, que tem pelo menos três quilômetros de largura. Ainda conforme a equipe, a embarcação não teria afundado de imediato e as vítimas nadaram por certa de distância.

“A esposa foi encontrada a seis quilômetros do local do naufrágio”, contou o comandante dos bombeiros de Parintins, Almeida.

O comandante explicou ainda que as buscas, que acontecem desde a tarde de sábado (20), têm sido feitas apenas na superfície.

“Não tem como mergulhar, porque são pelo menos três quilômetros de largura no meio. Então, fica impraticável o mergulho considerando as distâncias”, explicou Almeida.

Além do Corpo de Bombeiros, a Marinha do Brasil e a Polícia Civil de Urucará foram acionados para acompanhar o caso.

Comentários

Continue lendo

Geral

Seca: Governo federal decreta emergência em Porto Velho e mais 17 cidades de RO

Publicado

em

Na segunda-feira (22), o nível do rio Madeira marcou 2,85 metros.

Com a severa seca que afeta Porto Velho e outros municípios de Rondônia, o Ministério da Integração e do Desenvolvimento Regional (MIDR), através da Defesa Civil Nacional, publicou a portaria 2.545 no Diário Oficial da União, reconhecendo a situação de emergência na capital e em mais 17 cidades do estado.

As cidades afetadas, além de Porto Velho, incluem Alta Floresta D’Oeste, Alto Alegre dos Parecis, Ariquemes, Campo Novo de Rondônia, Cerejeiras, Cujubim, Espigão D’Oeste, Jaru, Ji-Paraná, Machadinho D’Oeste, Ministro Andreazza, Nova Mamoré, Primavera de Rondônia, Santa Luzia D’Oeste, São Miguel do Guaporé, Seringueiras e Urupá.

Com o reconhecimento da situação de emergência, as prefeituras dessas localidades estão autorizadas a solicitar recursos do Governo Federal para ações de defesa civil. Estes recursos podem ser utilizados para a compra de cestas básicas, água mineral, refeições para trabalhadores e voluntários, kits de limpeza e higiene pessoal, entre outros itens essenciais.

Nesta segunda-feira (22), a Defesa Civil Municipal informou que o nível do rio Madeira em Porto Velho está em 2,85 metros, o menor registrado neste ano. Em comparação, no mesmo período de 2023, o nível do Madeira era de 5,40 metros, quase o dobro do registrado atualmente.

Preocupado com a crise hídrica, o prefeito Hildon Chaves havia antecipado a possibilidade de problemas relacionados à seca e à crise no abastecimento de combustíveis e mantimentos, que chegam à capital principalmente via fluvial. Em junho passado, ele enviou um documento ao ministro de Minas e Energia, Alexandre Silveira, solicitando providências para enfrentar a crise hídrica. O documento pedia autorização para o transporte de combustível e outros produtos, tanto por via fluvial quanto rodoviária, para garantir o armazenamento organizado e mitigar os problemas causados pela seca emergencial.

A situação de emergência busca mobilizar recursos e medidas urgentes para minimizar os impactos da seca e garantir o fornecimento de recursos essenciais para as populações afetadas.

Fonte: com informações SMC

Comentários

Continue lendo