Em alusão aos três anos de implantação do Grupo Penitenciário de Operações Especiais, o Instituto de Administração Penitenciária (Iapen) realizou na manhã desta sexta-feira, 17, a segunda prova tática de rusticidade GPOE e a cerimônia de entrega de materiais táticos para os policiais penais.

Durante o evento, os profissionais receberam uma homenagem pela importância do trabalho de cada um que faz parte do GPOE dentro do Complexo Penitenciário de Rio Branco, além de medalhas para os participantes da prova e um café da manhã.

O policial penal Manoel Freire ficou em 1º lugar na Prova Tática de Rusticidade e falou da importância de não só comemorar a implantação do GPOE, bem como competir em uma prova que já faz parte do dia a dia deles.

Presidente do Iapen, Lucas Gomes com os policiais penais equipados com o novos materiais de segurança Foto: Ascom.

“É uma prova rústica com etapas que consistem em tiros, obstáculos e uso de gás, tentando mostrar a realidade das intervenções que muitas vezes são necessárias realizar dentro do presídio. Graças aos treinos e capacitação, todos os que participaram são vencedores pelo seu empenho e dedicação na prova e no cotidiano”, completou.

A prova contou com a participação especial da bombeira militar cabo Michele Garcia, choqueana 77, referência nacional por ter formado no 2º curso de controle de distúrbios civis no ano de 2019 no Estado do Acre.

Além da prova tática, novos materiais de segurança, como capacetes, joelheiras, cassetetes e caneleiras foram entregues aos policiais penais durante o evento. De acordo com o presidente do Iapen, Lucas Gomes, no total são 300 kits antitumulto que serão essenciais para o grupo.

“O GPOE é um grupo importante para a manutenção da ordem e da disciplina. Ele trabalha em situações excepcionais e de crises e teve uma relevância nesse último ano com mudanças importantes dentro do Sistema Penitenciário. O governo não tem medido esforços e mais uma vez cumprimos mais um avanço com a entrega desses equipamentos que serão necessários aos serviços realizados pelo grupo”, finalizou.

GPOE

O grupo de intervenção tem como finalidade manter a ordem e a disciplina em conflitos, motins e rebeliões ocorridos dentro das unidades prisionais. Em 2019 foram mais de 39 operações conjuntas, mais de 30 mil movimentações de presos no complexo, 2.500 rondas preventivas dentro e fora do complexo penitenciário, bem como apoio de escolta de alto risco, apreensão de armas de fogo e implantação de novos procedimentos de segurança.

No total são 300 kits antitumulto que serão essenciais para o grupo Foto: Ascom.

Comentários