fbpx
Conecte-se conosco

Geral

Policial que matou picolezeiro a tiros é condenado a 12 anos de prisão; entenda o caso

Publicado

em

O policial penal terá que cumprir a condenação em regime fechado

O policial penal Alessandro Rosas Lopes, acusado de matar o picolezeiro Gilcimar Silva Honorato, foi condenado pelo Conselho de Sentença da 2ª Vara do Tribunal do Júri e Auditoria Militar a 12 anos de prisão pelo assassinato.

De acordo com as investigações, Alessandro tinha uma desentendimento com o picolezeiro. Ele estaria ingerindo bebida alcoólica quando voltou a discutir com o trabalhador, que percebeu que o policial havia sacado uma arma de fogo. O picolezeiro saiu correndo para tentar fugir do tiro, quando foi baleado pelas costas duas vezes e morreu no local.

O policial penal terá que cumprir a condenação em regime fechado, já que o juiz Alesson Braz negou que Alessandro recorra da sentença em liberdade.

Entenda o caso

Gilcimar Silva Honorato, de 38 anos, foi morto com dois tiros no peito no dia 12 de dezembro de 2020, em um bar na rua Euclides da Cunha, no bairro Esperança, em Rio Branco.

Segundo informações da polícia, Gilcimar estava bêbado e consumia bebidas alcoólicas com o policial penal Alessandro Rosas Lopes, 38 anos, conhecido como Guerrerinha, e mais uma pessoa.

Durante a bebedeira, a vítima discutiu e entrou em luta corporal com o policial penal. De acordo com a polícia, a motivação da discussão é desconhecida. Após a briga, Gilcimar desferiu um golpe de faca contra o ombro de Alessandro.

Para se defender, Alessandro sacou uma pistola que estava na sua cintura e efetuou dois tiros no peito de Gilcimar. Após a ação, o policial fugiu em um veículo com um amigo ainda não identificado.

O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) foi acionado e prestou os primeiros atendimentos a vítima. Depois de estabilizado, o homem foi encaminhado ao pronto-socorro de Rio Branco em estado de saúde gravíssimo. Minutos depois de dar entrada no PS, Gilcimar não resistiu aos ferimentos e acabou morrendo.

Policiais militares estiveram no local do ocorrido, identificaram da placa do veículo do agente e foram até a residência do policial penal no bairro João Eduardo 1, onde encontraram o Alessandro com o ferimento no ombro e com o amigo que o acompanhou na fuga.

Os militares apreenderam a pistola do agente e a faca utilizada no crime. O policial penal recebeu voz de prisão e foi conduzido para a Delegacia de Flagrantes (Defla), para a tomada das providências cabíveis.

Comentários

Geral

Em Xapuri, Defesa Civil não autoriza retorno para casa por conta própria

Publicado

em

Por Raimari Cardoso

Com a vazante do Rio Acre após a enchente atingir a segunda maior cota história em Xapuri, muita gente põe as mãos à obra, inicia o processo de limpeza e planeja o retorno por conta própria para as suas casas, uma medida que nem sempre é segura.

Neste domingo, 3, o prefeito Bira Vasconcelos divulgou um vídeo no qual afirma que a Defesa Civil não autoriza que as pessoas retornem nesse momento para as áreas alagadiças e pede paciência dos moradores para esperar o momento mais adequado.

“Entendemos a preocupação das pessoas com o seu patrimônio, mas acima desse patrimônio tem a vida. Então, se você está na casa de parentes, não se avexe para voltar porque você pode estar pondo em risco a sua vida e da sua família”, diz o gestor.

O prefeito acrescenta que a prefeitura, bombeiros e toda a estrutura da Defesa Civil já está trabalhando nas vistorias nas áreas que estão instáveis para que o retorno seja feito com segurança.

Veja o vídeo:


Comentários

Continue lendo

Geral

Gladson reconhece atuação de Rueda na enchente: “Me ligou lá no começo e está com a gente até agora”

Publicado

em

Fotos: Ton Lindoso/Ascom

O governador Gladson Cameli (PP-AC) recebeu, na tarde deste domingo (3) doações provenientes do gabinete do deputado federal Fábio Rueda (UNIÃO-AC). O governador estava acompanhado da vice-governadora Mailza (PP-AC); secretário de Governo e coordenador do programa Juntos pelo Acre, Alysson Bestene; deputado estadual Eduardo Ribeiro (PSD-AC) e membros do governo estadual que estão mobilizados no enfrentamento à cheia.

Durante o recebimento, Gladson aproveitou a oportunidade para, diante dos presentes na Biblioteca Pública — que funciona como ponto focal do programa nos recebimentos de donativos — elogiar a atuação do deputado Rueda que, além de usar a sua estrutura de gabinete para mobilizar recursos céleres e visita de ministros ao Acre, também se preocupou em estar presente nos locais afetados e ajudar com doação de itens essenciais, como água e cestas básicas.

“Deputado, lhe agradeço. Estamos juntos. Gente, o Rueda me ligou lá no começo da alagação e está com a gente até agora. União é a palavra do momento, e sua atitude, deputado, mostra o compromisso com nosso Estado. Isso não é política, é humanidade! Lhe agradeço”, disse Gladson Cameli no momento do recebimento das doações.

Rueda parabenizou o trabalho feito pelo poder executivo — tanto União quanto Estado e prefeituras — e se colocou à disposição para continuar unindo forças para enfrentar esse problema. “Conte conosco para que, juntos, a gente continue lutando em Brasília por recursos céleres, presença de qualidade da União e apoio total nesse enfrentamento. Estamos irmanados e vamos vencer essa juntos”.

Ministros no Acre

Rueda foi um dos deputados que solicitou a vinda ministerial ao Acre. Quando esteve em Jordão, Rueda entrou em contato com Waldez Góes (Integração e Desenvolvimento Regional) para destravar recursos e, no dia seguinte, reuniu em Brasília com o ministro, junto da bancada federal acreana.

Na volta ao território acreano, continuou conversando e sensibilizando o governo federal da situação, ao mesmo tempo em que se preocupou em ajudar e estar presente nas regiões afetadas. Foi Rueda que anunciou, no sábado (2), o adiantamento da vinda de Waldez e da ministra Marina Silva (Meio Ambiente e Mudança do Clima). O fato foi destaque na imprensa local.

Os ministros chegam ao Acre na segunda-feira (4) e devem visitar o município de Brasiléia, região de fronteira.

Agendas

No sábado (2), Rueda conheceu o programa Juntos pelo Acre. Apresentado pelo secretário de Governo Alysson Bestene — que também é coordenador do programa Juntos pelo Acre — Rueda conheceu toda estrutura do programa.

Em seguida, o deputado conheceu o trabalho realizado pelo Corpo de Bombeiros do Estado do Acre (CBMAC). Fizeram as honras o comandante-geral Charles Santos e o coordenador-geral da Defesa Civil estadual, Carlos Batista. O CBMAC é uma das instituições linha de frente no enfrentamento à enchente. Além de colocar o mandato à disposição, Rueda também conheceu demais projetos, indicadores da corporação e quer estreitar os laços, para fortalecer ainda mais todas as instituições que cuidam dos acreanos.

Juntaram-se à agenda proposta pelo gabinete de Rueda o deputado federal Ulysses e o senador Alan Rick, ambos do União Brasil.

No domingo (3), o gabinete do deputado esteve com a presidente do Tribunal de Justiça do Acre, Regina Ferrari; a coordenadora das Mulheres, Eva Evangelista; o prefeito de Rio Branco, Tião Bocalom, secretários municipais e o deputado licenciado Eduardo Velloso (UNIÃO-AC) para alinhar, entre esses três poderes, medidas para cuidar das pessoas instaladas no Parque de Exposições.

A tarde, os trabalhos aconteceram na Biblioteca Pública, sob o comando do governador Gladson Cameli — onde Rueda oficializou a entrega dos donativos.

Mais município afetado

O governador Gladson Cameli declarou situação de emergência em mais duas cidades do Acre. O decreto nº 11.421 abrange também as cidades de Manoel Urbano e Rodrigues Alves. O número sobe para 19 das 22 cidades acreanas.

Agora, as cidades que estão em situação de emergência são: Assis Brasil, Brasileia, Capixaba, Cruzeiro do Sul, Epitaciolândia, Feijó, Jordão, Mâncio Lima, Marechal Thaumaturgo, Plácido de Castro, Porto Acre, Porto Walter, Rio Branco, Santa Rosa do Purus, Sena Madureira, Tarauacá, Xapuri, Manoel Urbano e Rodrigues Alves.

O decreto vale por 180 dias.

Comentários

Continue lendo

Geral

Em Sena Madureira, duas escolas estaduais tem aulas suspensas devido a enchente do Rio Iaco

Publicado

em

Enchente do Rio Iaco causa suspensão das aulas em Sena Madureira/Foto: Reprodução

Na quadra da Escola de Ensino Médio Dom Júlio Mattioli há famílias abrigadas, entretanto, as aulas continuam normalmente

De acordo com a professora Irlane Diniz, coordenadora do Núcleo da SEE em Sena Madureira, a partir desta segunda-feira (4) duas escolas terão suas atividades suspensas, são elas: Raimundo Magalhães, situada no Segundo Distrito, e Fontenele de Castro, que fica na Rua Padre Egídio. “Estamos fazendo a avaliação diariamente para decidirmos sobre as demais escolas”, destacou.

Na quadra da Escola de Ensino Médio Dom Júlio Mattioli há famílias abrigadas, entretanto, as aulas continuam normalmente. No que se refere às escolas gerenciadas pela Prefeitura, as aulas estão suspensas temporariamente em todas as unidades de ensino, englobando as creches.

Neste domingo (3) o nível das águas do rio Iaco atingiu 16,46 centímetros, excedendo em 1,26 metros a cota de transbordamento.

Comentários

Continue lendo






Em alta