bloqueio das pontes poderá durar dias e afetar o comércio, além do desabastecimento de combustível - Foto: Almir Andrade.
bloqueio das pontes poderá durar dias e afetar o comércio, além do desabastecimento de combustível – Foto: Almir Andrade.

Alexandre Lima, com Almir Andrade

As negociações que aconteceram no final do dia desta quarta-feira, dia 7, na cidade de Cobija, envolvendo os funcionários da SEDCAN – Serviços Departamental de ‘Caminos’, não rendeu bons resultados.

Segundo foi informado, os funcionários estariam chegando ao terceiro mês sem receber e sem nenhuma perspectiva para os próximos dias. Como forma de pressionar, resolveram interditar as duas pontes que ligam o Brasil, através do Acre, à Bolívia.

O prazo seria de 48 horas inicialmente, mas no final do dia foram chamados para uma rodada de negociações. O que resultou na liberação para passagem de veículos, mas, que poderiam voltar caso não tivessem um boa notícia.

A falta de combustível é uma das grandes preocupações em Pando - Foto: Almir Andrade
A falta de combustível é uma das grandes preocupações em Pando – Foto: Almir Andrade

Como de fato aconteceu, os bloqueios retornaram nas primeiras horas desta quinta-feira (8), como haviam prometido. Segundo eles, são mais de 250 funcionários que estão sem receber e alguns já estariam passando por necessidades.

Foi informado que os protestos poderão se esticar por dias, fato esse que prejudica os dois lados comercialmente. Com a chegada das festas de final de ano, o prejuízo para ambos os lados serão incalculáveis, uma vez que a fronteira necessita do turismo, além do grande volume de vendas entre os dois países.

Uma das radicalizações do protesto que poderá acontecer a qualquer momento, seria o impedimento de pessoas que entram e saem a pé. Os mais prejudicados, serão os acadêmicos de medicina que estão concluindo o ano letivo em Cobija.

Mais informações a qualquer momento.

    Falta de pagamento atinge carca de 250 funcionários diretamente.
Falta de pagamento atinge carca de 250 funcionários diretamente.

Matéria relacionada:

Bolivianos liberam pontes para fazer negociação com governo de Pando

Comentários