Conecte-se conosco

Extra

Militares dizem que sistema eletrônico de votação não está isento a fraude

Publicado

em

‘O sistema eletrônico de votação não está isento da influência de um eventual código malicioso que possa alterar o seu funcionamento’, diz o relatório

Urnas eletrônicas usadas nas eleições de 2022
RODOLFO BUHRER/REUTERS – 18.12.2022

O Ministério da Defesa apresentou ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) nesta quarta-feira (9) o relatório do trabalho de fiscalização do sistema eletrônico de votação, realizado pela equipe de técnicos militares das Forças Armadas. Segundo o documento, o Tribunal dificultou a análise dos códigos-fonte das urnas eletrônicas. Além disso, os militares apontaram falhas nos mecanismos de fiscalização do sistema no momento da votação. De acordo com as Forças Armadas, o sistema não está isento a fraude.

“Do trabalho realizado, destaco dois pontos. Primeiro, foi observado que a ocorrência de acesso à rede, durante a compilação do código-fonte e consequente geração dos programas (códigos binários), pode configurar relevante risco à segurança do processo. Segundo, dos testes de funcionalidade, realizados por meio do Teste de Integridade e do Projeto-Piloto com Biometria, não é possível afirmar que o sistema eletrônico de votação está isento da influência de um eventual código malicioso que possa alterar o seu funcionamento”, destacou o ministro da Defesa, Paulo Sérgio Nogueira.

Sobre os códigos-fonte, os militares pontuaram que “foram autorizadas somente análises estáticas, ou seja, foi impossibilitada a execução dos códigos-fonte, fato que teve por consequência a não compreensão da sequência de execução de cada parte do sistema, bem como do funcionamento do sistema como um todo”.

Ainda de acordo com o relatório, “não foi autorizado o acesso ao sistema de controle de versões do SEV [sistema eletrônico de votação], o que inviabilizou a comparação da versão compilada com a versão fiscalizada”. “Não há certeza de que o código presente nas urnas é exatamente o que foi verificado”, disseram as Forças Armadas.

Os militares frisaram também que “não foi concedido acesso às bibliotecas de software desenvolvidas por terceiros e referenciadas no código-fonte, limitando o entendimento do sistema inspecionado”. “As restrições à fiscalização no ambiente de análise dificultaram a inspeção de um sistema complexo que possui mais de 17 milhões de linhas de código fonte.”

Nogueira solicitou à corte eleitoral atender a dois pedidos realizados pelos militares: realizar uma investigação técnica para melhor conhecimento do ocorrido na compilação do código-fonte e de seus possíveis efeitos e promover a análise minuciosa dos códigos binários que efetivamente foram executados nas urnas eletrônicas.

Comissão de Transparência

Para as eleições deste ano, o TSE convidou as Forças Armadas a compor a Comissão de Transparência das Eleições (CTE), um colegiado externo com o objetivo de coletar sugestões para aprimorar o processo eleitoral. Além dos militares, participaram membros da Câmara dos Deputados, do Senado Federal, da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) e de órgãos públicos e da sociedade civil.

Desde que passou a atuar na CTE, a Defesa fez vários questionamentos ao TSE e levantou dúvidas sobre a segurança das urnas eletrônicas, apesar de os equipamentos passarem por diversas etapas de preparação e fiscalização, tanto interna quanto externa. Como mostrou o R7, as indagações feitas pelos militares foram as primeiras em 26 anos de urna no Brasil.

Após o primeiro turno das eleições, o presidente do Tribunal, ministro Alexandre de Moraes, determinou que o Ministério da Defesa apresentasse eventual relatório de apuração paralela da votação feita pelos militares.

À época, contudo, a pasta disse que não cabe às entidades fiscalizadoras a realização de auditoria e respondeu que a equipe técnica das Forças Armadas atuou “estritamente dentro da legalidade”. Segundo a Defesa, os militares não fizeram auditoria das urnas e limitaram-se à fiscalização do sistema eletrônico de votação.

Comentários

Extra

Polícia Civil de Xapuri prende dois acusados de estuprar crianças; um tio que estuprava a sobrinha de 7 anos e o pai a filha de 12

Publicado

em

Nesta sábado, dia 26, a Delegacia de Polícia Civil de Xapuri, em que é Titular o Delegado Gustavo Neves, por meio da equipe de investigação chefiada pelo Inspetor Investigador Eurico Feitosa, prenderam dois homens que vinham praticando estupro de vulnerável dentro da própria família. As prisões foram requeridas pela Autoridade Policial nos inquéritos que investigam a prática dos crimes de estupro de vulnerável.

O primeiro a ser preso foi A.L.D. C., de 20 anos, que se encontrava em sua residência localizada no bairro do Pantanal, pólo Maquiar. De acordo com a investigações, este abusava sexualmente de sua sobrinha A.M.L.M de 7 anos de idade mediante ameaça. Autor e vítima moravam juntos na casa da avó da menina e os estupros ocorriam quando a avó saía de casa para trabalhar.

O segundo homem a ser preso, foi R.D.S.M de 30 anos de idade, sendo localizado na casa da namorada no bairro Cerâmica. De acordo com as investigações, conta que R.S.M. mantinha relações sexuais com L.D.C.M, sua própria filha de 12 anos de idade.

A Polícia Civil iniciou as investigações a aproximadamente uma semana, quando tomou conhecimento dos crimes que vinham sendo praticados contra as crianças, sendo que na manhã deste sábado, prendeu os acusados.

Os presos foram conduzidos para a Delegacia de Xapuri e em seguida transferidos para o Complexo Penitenciário Francisco Oliveira em Rio Branco.

Comentários

Continue lendo

Extra

Bandidos explodem caixa eletrônico com dinamite em Cobija

Publicado

em

Na madrugada desta sexta-feira, dia 25, uma forte explosão foi registrada em um caixa automático

Era por volta as 05h10 da madrugada, quando as autoridades policiais foram alertadas dos danos na infraestrutura do banco, mas, os bandidos não teriam levado o dinheiro que estava no caixa.

Analisando a violência causada pela explosão, acreditam que não souberam usar da forma correta para a explodir o caixa eletrônico, que danificou bastante a estrutura do prédio e assustou os moradores na redondeza, que foram acordados com o forte barulho.

Pessoal da Força Especial de Luta Contra o Crime – FELCC, estiveram na cena do crime e buscaram o sistema de segurança para extrair imagens das câmeras em busca de identificar os suspeitos que participaram da intenção de roubo e em que veículo usaram.

No entanto, a polícia de Pando solicitou informações do banco para que pudessem informar sobre a quantia existente no caixa automático e se tiveram êxito em levar dinheiro. Pela maneira violenta de atuação, não descartam que se trata de cidadãos brasileiros que haviam montado vigilância na redondeza.

Segundo às autoridades, o modo usado contra caixas com explosivos, é bem utilizada por bandidos chilenos e brasileiros que estariam por trás do atentado, além de serem de organizações criminosas ligadas ao narcotráfico.

Esta não seria a primeira vez que bandidos utilizam dinamite em caixas eletrônicos na cidade de Cobija. Até o momento não foi informado sobre possíveis prisões de suspeitos.

Comentários

Continue lendo

Extra

CUFA e Prefeitura de Brasiléia beneficiam 200 famílias com 3 Ciclo do Vale-gás

Publicado

em

200 Famílias foram beneficiadas diretamente através do Projeto Social.

A Central Única das Favelas, em parceria com a Prefeitura de Brasiléia, através da Secretaria Municipal de Assistência Social, realizou nesta sexta-feira, 25, entrega do Terceiro Ciclo do Vale- gás no município.
A atividade aconteceu na quadra do bairro Ferreira Silva e contemplou 200 famílias com a distribuição do vale-gás, um projeto social realizado pela Central Única das Favelas (CUFA) para facilitar a reposição de botijões, cujo valor cresceu consideravelmente nos últimos dois anos.

Os contemplados residem nos diferentes bairros de Brasiléia e a ação contempla 200 famílias em situação de vulnerabilidade social, que receberão o vale- gás durante 5 ciclos.

De acordo com o Coordenador da Central Única das Favelas no Acre, Júnior TRZ, a previsão é de que a entrega do quarto ciclo aconteça já no mês de Dezembro. “ Estamos no nosso 3 ciclo da entrega do vale-gás, beneficiando diretamente 200 homens e mulheres aqui de Brasiléia com a recarga do seu gás de cozinha. É uma parceria importante que temos com a Petrobrás e que beneficia milhares de famílias no Brasil”, afirmou Júnior TRZ.

A Prefeita de Brasiléia, Fernanda Hassem participou da atividade. “Hoje estamos aqui na quadra do bairro Ferreira Silva entregando o terceiro ciclo do vale-gás, quero aqui agradecer ao Júnior TRZ e toda equipe da CUFA presente. Nesse momento de dificuldade em que o povo passa, receber esse vale é de grande valia. Agradeço a equipe de Assistência social, em nome do secretário Djahilson Américo, que não tem medido esforços para ajudar as familiais em situação de vulnerabilidade social e que são cadastradas nos programas sociais”, finalizou a Prefeita.

Para receber o Auxílio Gás, a família deve estar inscrita no Cadastro Único e possuir renda familiar mensal menor ou igual a meio salário-mínimo por pessoa.

Comentários

Continue lendo

Em alta