Incidente entre socorristas é fato incomum

Socorrista Fábio questionou atitude do médico do SAMU - Foto: vídeo/captura
Socorrista Fábio questionou atitude do médico do SAMU – Foto: vídeo/captura

Da redação, com agazeta.net

A briga entre integrantes das equipes de socorro às vítimas do acidente na BR-317 expõe possíveis falhas no procedimento de salvamento. O médico do Samu recebeu uma das vítimas que foi transferida do helicóptero para a ambulância. Ao perceber a condição do acidentado, brigou com o militar responsável pelo transporte até Rio Branco.

“Essa p… não, senhor! Essa p… não, senhor, rapaz! O senhor pode ser médico, mas eu já trabalhei muito tempo nisso aí e sei como se faz”, vociferou o profissional responsável pelo transporte na aeronave.

Ao ouvir o adjetivo “incompetente” dito pelo médico, o militar reagiu. “Incompetente é o senhor!” Uma enfermeira tentava conter os ânimos. O fato é que Valdemar Muniz dos Santos saiu do local do acidente consciente e morreu em Rio Branco.

De acordo com a secretária de Saúde, Suely Melo, “a direção do Samu vai investigar o que houve entre os integrantes da equipe”.

A enfermeira questionou o fato de a vítima não estar entubada. Há indícios, inclusive, de que a vítima já estivesse falecido no trajeto para Rio Branco.

Veja aqui uma parte da briga entre os integrantes da equipe socorrista (Ver vídeo)

O fato

O acidente aconteceu aproximadamente às 8h30min. e 9 horas. De acordo com testemunhas, o Fiat Pálio tentou desviar um buraco na rodovia quando colidiu de frente com a Amarok.

Outras versões indicam que o Pálio foi ultrapassar um terceiro veículo e colidiu com a caminhonete. O choque frontal aliado à alta velocidade foi fatal para três pessoas: Wildes Jardim da Silva, Celiete de Araújo Correia de Almeida e Valdemar Muniz dos Santos (que foi transportado no helicóptero).

Comentários