A base do governo ficou restrita aos deputados Astério Moreira, Jamil Asfury, Ney Amorim, Geraldo Pereira, Elson Santiago e Helder Paiva.

Da Redação, com Agências

O clima político na base do governo de Tião Viana (PT) é de zorra total.  A observação foi feita neste sábado pelo colunista político Luís Carlos Moreira Jorge, em sua coluna diária no jornal A Gazeta.

“Não consigo entender como o Tião, que é do ramo político, deixa sua base de apoio se esfarelar na Aleac por coisas pequenas”, disse Moreira, que esticou: “A base do governo está restrita a seis deputados”. Vejam as notas:

Momento crítico

O governador Tião Viana vive o momento mais crítico da sua administração. A sua sorte é que a eleição é no próximo ano. E como eleição é momento poderá estar bem e se reeleger. Não consigo entender como o Tião, que é do ramo político, deixa sua base de apoio se esfarelar na Aleac por coisas pequenas. Essa briga com os secretários é um exemplo. A não liberação de emendas outro entrave. Isso se resolve com diálogo, jamais com cabo-de-guerra. Sabe disso.

Grupo majoritário

Caso se mantenha, somando os votos da oposição, o grupo rebelde aprova o que quer na Aleac, pois , teria 15 votos. Os deputados que restaram fiéis ao governo seriam apenas seis.

Minoria de votos

A base do governo ficou restrita aos deputados Astério Moreira, Jamil Asfury, Ney Amorim, Geraldo Pereira, Elson Santiago e Helder Paiva, número insuficiente para barrar a manobra.

Zorra total

O clima na base do governo é de zorra total, ninguém manda em ninguém. Ontem, fizeram um pacto de não retirarem as suas assinaturas da PEC que acaba as pensões de ex-governadores.

Leia mais na coluna do Crica

Comentários