Conecte-se conosco

Geral

João Marcos Luz propõe a recompensa de R$ 1000 para quem denunciar o crime de furto de fios

Publicado

em

Com o aparecimento frequente de notícias do furto de fios de cobre, o vereador João Marcos Luz (MDB) usou a tribuna, durante a sessão da Câmara de Rio Branco, na quinta-feira, 23, para propor uma recompensa de R$ 1000 para quem denunciar os envolvidos na prática desse crime na capital.

O parlamentar apontou que o combate ao crime deve ser feito em parceria com a população e combatido em sua raiz, ou seja, buscando a punição do receptador, a pessoa que compra o produto roubado.

“É necessário a união de todos os cidadãos para ajudar a combater o problema. Por isso, é importante denunciar e fiscalizar os envolvidos no furto de fios. E proponho aqui, em nossa casa, a oferta de R$ 1000 de recompensa para quem denunciar esses criminosos, tirando até do nosso próprio salário se for necessário. Temos que ir atrás desses receptadores, porque eles incentivam a prática desse crime”, afirmou.

Para além do prejuízo financeiro, o vereador cobrou a ampliação do serviço de segurança pública.

“O que aconteceu na terça-feira, quando o desfile foi prejudicado pelo apagão causado pelo furto da fiação elétrica, é só um retrato do que já acontece há meses. Não estamos vendo nenhuma ação das forças de segurança”, disse.

Comentários

Geral

Vídeo: Polícia Militar age rápido e recupera veículo após assalto em Cruzeiro do Sul

Publicado

em

Após um assalto registrado nas primeiras horas da manhã desta terça-feira, 21, a Polícia Militar de Cruzeiro do Sul recuperou o veículo modelo Onix branco, que havia sido roubado durante a ação de três indivíduos, contra uma mulher, no bairro do Telégrafo.

De acordo com a PM, o veículo foi recuperado próximo ao município de Rodrigues Alves.

Os criminosos abandonaram o carro e fugiram para dentro de uma mata nas proximidades pista. Foi acionada a perícia para o local e realizada a confecção do Boletim de Ocorrência; após os procedimentos, o veículo foi entregue a delegacia para o procedimento de restituição e criminais.


Comentários

Continue lendo

Geral

Operação Átria prende mais de 4 mil por violência contra a mulher

Publicado

em

Feminicídios têm aumento de 5% em 2022, diz secretário

Brasília (DF), 17/02/2023 – Fotografia para ilustrar matéria sobre violência infantil, na foto uma criança é vista em silhueta através de uma porta. Foto: Marcelo Casal/Agência Brasil

Em três semanas, 4.255 pessoas foram presas no âmbito da Operação Átria, que combate crimes contra a mulher em todos os estados brasileiros. Desse total, 3.598 prisões foram em flagrante, conforme balanço parcial divulgado nesta terça-feira (21) pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública.

De um total de 20.024 inquéritos policiais instaurados durante o período, 17.958 foram concluídos. A pasta informou ainda que foram apreendidas 340 armas brancas, 269 armas de fogo e 6.068 munições.

Segundo o balanço, 7.276 denúncias foram apuradas, 23.963 diligências policiais, contabilizadas e 23.963 vítimas, atendidas. Foram também solicitadas 20.540 medidas protetivas, houve 767 retiradas de pertence e 2.034 palestras foram realizadas.

O balanço final da Operação Átria, que começou em 8 de março, será divulgado pelo ministério no próximo dia 28.

Em entrevista coletiva, o secretário Nacional de Segurança Pública, Francisco Tadeu Barbosa de Alencar, considerou a violência de gênero um quadro grave no Brasil. De acordo com o secretário, o país registrou, ao longo do ano passado, aumento de 5% no número de feminicídios.

“A cada dia, quatro mulheres são mortas e, a cada hora, 26 são agredidas. Esses indicadores nos obrigam a ter uma centralidade no eixo de enfrentamento da violência contra a mulher”, disse.

Brasília 21/03/2023 - Secretário Nacional de Segurança Pública, Tadeu Alencar, durante coletiva após evento sobre enfrentamento à violência contra a mulher, no ministério da Justiça.
Foto: Antonio Cruz/Agência Brasil
O secretário nacional de Segurança, Tadeu Alencar, em evento sobre violência contra a mulher – Antonio Cruz/Agência Brasil

“O Estado brasileiro está muito longe ainda de uma situação ideal de enfrentamento.”

Para a delegada de Polícia Civil do Espirito Santo, Cláudia Dematté de Freitas Coutinho, operações nacionais como a Átria fortalecem o enfrentamento à violência contra a mulher realizado diariamente por unidades especializadas de segurança pública.

Brasília 21/03/2023 - A delegada do Espirito Santo, Cláudia Dematté, durante coletiva após evento sobre enfrentamento à violência contra a mulher, no ministério da Justiça.
Foto: Antonio Cruz/Agência Brasil
Feminicídios são a ponta do iceberg, diz Cláudia Dematté – Antonio Cruz/Agência Brasil

“É uma violência que sempre existiu em nossa sociedade, fruto de um machismo estruturado e estruturante”, disse Cláudia.

Para a delegada, feminicídios são apenas a ponta do iceberg, e a maioria dos casos começa com violência verbal. “Denuncie desde a primeira violência sofrida”, concluiu.

Edição: Nádia Franco

Comentários

Continue lendo

Geral

Justiça solta Youssef pela segunda vez em menos de 24 horas

Publicado

em

Doleiro recebeu duas ordens de soltura e uma de prisão no mesmo dia

Brasília – Doleiro Alberto Youssef depõe na Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) dos Fundos de Pensão (Valter Campanato/Agência Brasil)

Em um dia de reviravoltas para Alberto Youssef, o juiz Eduardo Fernando Appio, da 13ª Vara Federal em Curitiba, decidiu cumprir a decisão de segunda instância e mandou soltar o doleiro, um dos delatores da Operação Lava Jato. Foi a segunda decisão de soltura proferida em menos de 24 horas.

A decisão foi tomada após o Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4), sediado em Porto Alegre, conceder novo habeas corpus a favor do doleiro. Horas antes, o desembargador Marcelo Malucelli, do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4), sediado em Porto Alegre, havia entendido haver ilegalidade na decretação da prisão, ocorrida ontem (20), e determinou sua soltura.

No entanto, Appio decretou nova prisão de Youssef mesmo após a determinação do TRF4. Ao manter a prisão, o juiz argumentou que novos documentos justificaram a decisão. Porém, em uma nova decisão, o magistrado da 13ª Vara Federal em Curitiba determinou a soltura do doleiro. Foram três decisões a respeito da liberdade do delator da Operação Lava Jato ao longo desta terça-feira (21). Duas pela liberdade e uma pela manutenção da sua prisão.

Ao decretar ontem (20) a prisão de Youssef, Appio levou em conta informações prestadas pela Receita Federal sobre o patrimônio do doleiro. De acordo com a decisão, Youssef não devolveu aos cofres públicos todos os valores desviados e possui vida incompatível com a “situação da imensa maioria dos cidadãos brasileiros”. Segundo a Receita, ele tentou ainda comprar um helicóptero e um avião.

Defesa

A defesa de Alberto Youssef sustenta que a prisão é ilegal por ter sido decretada de ofício, ou seja, sem requerimento do Ministério Público Federal (MPF).

Além disso, a defesa argumenta que o processo que deu origem à representação fiscal da Receita Federal estava suspenso e que o doleiro está usando tornozeleira eletrônica, fatos que afastariam a necessidade de prisão preventiva.

Edição: Marcelo Brandão

Comentários

Continue lendo

Em alta