É justamente entre os meses de janeiro a abril que ocorrem as maiores epidemias de viroses respiratórias na região amazônica

No inverno amazônico é comum o acreano sofrer com gripes e resfriados, por conta das fortes chuvas e da variação climática típica da região. Entretanto diante do cenário de pandemia do novo coronavírus (Covid-19), alguns sintomas podem ser confundidos.

A médica infectologista Rita Medeiros afirmou que, por ser a região Norte áreas muito úmidas, o Covid-19 pode sim se proliferar. Saber diferenciar os sintomas de uma gripe, resfriado ou do novo vírus, é fundamental antes de ser levantada qualquer hipótese de contaminação pela doença.

“Estamos na estação mais chuvosa, período das epidemias de gripe na região e circulação aumentada de muitos vírus respiratórios. É justamente entre os meses de janeiro a abril que ocorrem as maiores epidemias de viroses respiratórias na região amazônica”, diz a infectologista.

O Ministério da Saúde elaborou materiais de divulgação explicando cada uma das síndromes e como os sintomas se manifestam. No caso da febre, por exemplo, a ocorrência dela é comum em casos de Covid-19 e de gripe, mas rara em resfriados.

Já os espirros são comuns em resfriados, mas raros tanto em gripes quanto em Covid-19. O nariz entupido aparece frequentemente em resfriados, às vezes em gripes e, raramente, em casos do novo coronavírus.

____________

A dor de cabeça é rara em resfriados, comum em gripes e pode surgir em infecções pelo novo coronavírus.

____________

Quando uma pessoa estiver com sintomas correspondentes à Covid-19, é importante seguir as orientações do Ministério da Saúde e procurar um posto de saúde para obter orientação médica quanto às medidas.

Vale lembrar que o Acre possui até esta segunda-feira (23), 17 caso de novo coronavirus confirmado. Os dois estados brasileiros com maiores ocorrências são os estados de São Paulo e Rio de Janeiro.

Fonte: Ministério da Saúde

Comentários