Conecte-se conosco





Flash

Imigrantes com teste positivo para Covid-19 deixam abrigo em Assis Brasil e prefeitura não sabe do paradeiro deles

Publicado

em

Imigrantes com teste positivo para Covid-19 deixam abrigo em Assis Brasil e prefeitura não sabe de paradeiro deles — Foto: Arquivo/Prefeitura de Assis Brasil

Por Iryá Rodrigues

Os sete imigrantes que testaram positivo para infecção pelo novo coronavírus e que estavam em isolamento no ginásio da cidade de Assis Brasil, no interior do Acre, deixaram o local e a prefeitura não sabe do paradeiro deles.

Segundo o secretário de Assistência Social da cidade, Marissandro Nascimento, após perceberem que os imigrantes não estavam mais no local de isolamento, as equipes procuraram por eles nos dois abrigos da cidade e também na Ponte da Integração, que liga Assis Brasil ao Peru, onde ao menos 60 imigrantes continuam acampados, mas eles não foram localizados. O grupo de imigrantes se concentra na cidade do interior do Acre depois de ter sido barrado de entrar no Peru para seguir viagem.

“Nós tínhamos esse pessoal dentro de um abrigo exclusivo para quem estava contaminado, que era no ginásio, e era levado para eles café, almoço e janta. Em um desses dias de atendimento com alimentação, o responsável pela entrega percebeu tinha apenas quatro e depois saíram todos. A gente procurou nos abrigos para ver se encontrava esse pessoal, mas não encontramos. Aí, percebemos que está saindo muita gente da cidade e que eles podem ter ido embora”, informou o secretário.

Além dos cerca de 60 imigrantes que continuam acampados na ponte, o secretário disse que 104 ainda estão no abrigo na Escola Irís Célia e outros 95 na Escola Edilsa Maria Batista, totalizando mais de 250 pessoas. A cidade chegou a ter mais de 600 imigrantes que tentam deixar o país.

“Esses últimos dias temos percebido uma redução do quantitativo de imigrantes, chegamos a ter 670 na ficha de atendimentos da assistência. Eles têm saído da cidade em ônibus e táxis, ontem [quinta, 4], eu mesmo disponibilizei um ônibus da assistência que levou 15 imigrantes para o abrigo estadual, em Rio Branco. Eles pediram para voltar porque querem ir para os estados que eles estavam. Fora os que estão saindo por conta própria, mas não sei se estão indo para Rio Branco ou se estão buscando rota alternativa”, disse Nascimento.

A reportagem entrou em contato com a secretária de Estado de Assistência Social, Direitos Humanos e Mulheres, Ana Paula Lima, para confirmar a chegada de imigrantes no abrigo estadual, em Rio Branco, e se houve aumento da demanda, mas não obteve sucesso até última atualização desta reportagem.

Testagem suspensa

Depois que 13 imigrantes testaram positivos para Covid-19, a Prefeitura de Assis Brasil, decidiu suspender a testagem dos que estão retidos na cidade sem conseguir passar para o Peru por não ter mais espaço para mantê-los em isolamento.

A informação foi confirmada pelo prefeito da cidade, Jerry Correia e pela Secretaria Municipal de Saúde. Do total de imigrantes que testou positivo para Covid-19, sete foram levados para isolamento no ginásio e outros seis ficaram em hotéis por terem se recusado a ficar no ginásio.

As testagens nos imigrantes foram iniciadas no último dia 24 de fevereiro e foram suspensas na terça (2).

Centro de testagem e atendimento

A prefeitura de Assis Brasil montou um centro de testagem e atendimento médico para os imigrantes, onde essas pessoas são atendidas por profissional de saúde pelo menos duas vezes na semana. Pelo planejamento, as que apresentassem sintomas de Covid-19 seriam testadas. O centro foi instalado em um prédio público da prefeitura.

A iniciativa de testagem dos imigrantes se deu após uma haitiana de 35 anos testar positivo para Covid-19. Ela foi levada para o Hospital Regional de Brasileia, e, como o quadro da paciente se agravou, ela foi transferida para Rio Branco.

A Sesacre informou que o estado ofertou 600 testes que estão sob responsabilidade da Unidade Estadual Mista de Assis Brasil para serem disponibilizados ao município após a entrega do plano de testagem ao Comitê Operacional de Emergência da secretaria.

A ideia é que o imigrante novo que chegar na cidade, ao solicitar acesso ao abrigo, deverá ser direcionado ao centro de testagem e atendimento médico ao imigrante para que, de acordo com a triagem e, se houver necessidade do teste rápido, esse estrangeiro tenha um destino correto, sem possibilidade de contaminar os imigrantes já alojados.

Assistência

Além da testagem para Covid-19, a prefeitura vem atendendo os imigrantes há mais de ano com alimentação, água potável, abrigo e assistência médica, mas, nos últimos 20 dias, o fluxo voltou a ficar mais intenso na cidade.

Diariamente, são entregues cerca de 300 quentinhas de café da manhã. Além disso, mais 300 refeições no almoço e outras 300 refeições na janta.

Comentários

Em alta