A vítima chegou a tentar suicídio diante das chantagens que vinha recebendo do suspeito

SAIMO MARTINS

Na manhã desta quarta-feira (22),  as Polícias Civis dos estados de Pernambuco e Minas Gerais, sob o comando dos delegados de Polícia Civil,  Paulo Amorim (PE) e Marcos de Alencar (MG), deflagraram a Operação ‘Tarquínio’ e cumpriram dois mandados de busca e apreensão expedidos pela Justiça do Acre, um em Pernambuco e outro em Minas Gerais.

Segundo informações repassadas pelo delegado Nilton Buscaro, a investigação iniciou quando uma mulher procurou a 5ª Delegacia Regional de Polícia Civil, no Acre, noticiando suposto constrangimento ilegal praticado por um indivíduo que estaria chantageando e ameaçar divulgar imagens íntimas dela.

Entenda o caso:

Em 2019, a vítima aceitou um convite na rede social Facebook. Inicialmente o indivíduo demonstrou interesse em fazer amizade, mas não demorou muito para paquerá-la, sendo que, após muita insistência, começaram a trocar mensagens picantes e imagens (fotos e vídeos) íntimos.

“Em determinado momento o indivíduo deflagrou o golpe, dizendo que as imagens que ele havia enviado não eram dele, mas sim de outra vítima do sexo masculino, e exigiu que a mulher enviasse nudez dela introduzindo o dedo na vagina e no ânus, sob pena dele divulgar os vídeos íntimos para parentes e amigos”, explicou o delegado.

Em meio a violência psicológica, a  vítima enviou as imagens exigidas. Não contente e predeterminado em fazer nova vítima, o indivíduo determinou que ela mantivesse relação sexual com um homem, filmasse o ato e, depois, encaminhasse os dados do terceiro para ele, tendo por objetivo chantageá-lo no futuro próximo.

“Ao perceber a gravidade dos fatos, a mulher tentou suicídio e foi hospitalizada. No hospital o indivíduo voltou a fazer contato com ela exigindo o depósito de R$ 400,00 e, como não conseguiu falar mais com a vítima, enviou as imagens para algumas pessoas”,  explicou o delegado, dizendo que a vítima caiu em estupro virtual.

Segundo o delegado Nilton César Boscaro, da Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher (Deam), a investigação vem sendo feita desde 2019 no Acre.

A investigação

A Polícia Civil do Estado do Acre localizou os endereços dos imóveis de onde partiram as conexões de internet. Após representação policial  o MM. Juízo da 2ª Vara Criminal da Comarca de Rio Branco decretou busca e apreensão nas residências do principal suspeito, residente em Pernambuco, e da suposta cúmplice, moradora de Minas Gerais, a qual teria atuado como coautora nos crimes de estupro virtual e extorsão.

“Há cerca de dois meses estamos investigando o caso. A vítima disse que estava sofrendo ameaças para realização do crime de estupro virtual. No ano passado, uma mulher relatou que fez uma amizade nas redes sociais com um deles”, disse.

Mediante as conversas com os criminosos, ambos começaram a trocar vídeos, mas não satisfeitos, o suspeito pediu para ela enviar nudes, no entanto a vítima se recusou.

Foi então, que o golpista fez uma chantagem e disse que se a acreana não fizesse o que ele pediu, ele iria expor o vídeo nas redes sociais.

“Ela começou a mandar nudes, porém, não satisfeito ela começou a ser chantageada por dinheiro para não divulgar as imagens e vídeos”, conta o delegado.

Nilton explicou que duas pessoas tiveram mandados de buscas e apreensão, uma em Pernambuco e outra de Minas Gerais.

Do nome da operação: Operação Tarquínio

“Sexto Tarquínio” foi filho do último rei de Roma (Tarquínio, o Soberbo). Sexto Tarquínio era o filho mais velho.

Segundo a lenda, Sexto Tarquínio se apaixonou pela bela e casta Lucrécia, filha de um influente aristocrata, a qual era casada com um notável patrício e, mesmo ciente de tais circunstâncias, a estuprou. Lucrécia, em resposta suicidou-se, deflagrando um processo que culminou com a queda do Reino de Roma e o estabelecimento da República.

Comentários