O governador Tião Viana e o secretário de Justiça e Direitos Humanos, Nilson Mourão (Foto: Sérgio Vale/Secom)
O governador Tião Viana e o secretário de Justiça e Direitos Humanos, Nilson Mourão (Foto: Sérgio Vale/Secom)

Em reunião com o governador Tião Viana, o secretário de Justiça e Direitos Humanos, Nilson Mourão, pediu que o Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS) seja acionado para liberar a segunda parcela para apoio aos haitianos que estão em Brasileia.

Em dezembro, após articulação do governador Tião Viana, o Ministério do Desenvolvimento Social acordou a liberação de uma verba no valor total de R$ 540 mil, divididos em duas parcelas. “Estamos na fase final de aplicação da primeira parcela e precisamos que a segunda parte seja liberada para que possamos manter a alimentação dos haitianos que estão na nossa fronteira. Com a segunda parcela atenderemos março, abril e parte de maio”, explicou Mourão.

Ainda segundo o secretário, a ajuda humanitária que tem sido dispensada aos imigrantes inclui assistência à saúde, alimentação, abrigo, documentação e contratação para o trabalho. Em média chegam à fronteira acreana diariamente 20 haitianos e saem, também em média, 10 por dia.

Em média chegam à fronteira acreana diariamente 20 haitianos (Foto: Gleilson Miranda/Secom)
Em média chegam à fronteira acreana diariamente 20 haitianos (Foto: Gleilson Miranda/Secom)

 

“Calculamos que haverá uma retenção de fluxo, pois o Ministério do Trabalho fará uma pausa na emissão de carteiras,  para adequar o seu sistema. Isso vai permitir atrasar as saídas, e, com a chegada de novos imigrantes todos os dias, vai reter o fluxo e aumentar a quantidade de haitianos abrigados”, avalia o secretário.

Mourão explicou que agora as levas de imigrantes haitianos são compostas, em sua maioria, por mulheres, e grávidas. Já passaram pelo Acre 4,3 mil haitianos. No Eestado ficaram 40 imigrantes, todos empregados.

Comentários