Com o objetivo de levar conhecimentos e sensibilizar, professores, alunos, servidores das escolas e a comunidade, sobre a importância da saúde emocional e afetiva de criança e adolescentes, a prefeitura de Brasiléia por meio do Centro de Atenção Psicossocial- CAPS e Núcleo de Apoio à Saúde da Família-NASF, intensificaram as ações de conscientização e preservação da vida nas escolas do município.

Palestras e roda de conversa sobre saúde mental, depressão e suicídio foram realizadas  com alunos das escolas KJK, IOP, e Fontenele de Castro, sob a orientação das psicólogas Euri Severino (NASF) e Luma Braga (CAPS).

A coordenadora de Educação e Saúde de Brasiléia, Vânia Carolina, ressalta que estão  sendo programadas palestras e rodas de conversas para todas as escolas do município, tendo em vista que os adolescentes tem sido os mais afetados pelas estatísticas das doenças de saúde mental e suicídio.

“Estamos debatendo com as escolas do município temas importantes para a saúde pública, como a depressão, que vem crescendo a cada dia e que infelizmente o país ainda não está preparado para tratar. É uma preocupação constante para nós profissionais que estamos na ponta, por isso estamos trabalhando nas escolas, porque nossos adolescentes tem sido a classe mais afetada”, explicou Vânia Carolina.

A psicóloga Luma Braga destaca que a campanha realizada nas escolas é de suma importância para orientar e prevenir a respeito dos sintomas da depressão, “estamos trabalhando para prevenir que os adolescentes entrem em quadro depressivos. Com esse trabalho, eles mesmo poderão identificar se algum colega está passando por quadro depressivo, e assim procurar ajuda de um profissional ou até mesmo de um professor da escola para que sejam tomadas providencias”, disse.

A Secretaria Municipal de Saúde de Brasiléia juntamente com CAPS e NASF irão trabalhar, além do tema depressão, com conscientização sobre gravidez na adolescência, infecções sexualmente transmissíveis e drogas, durante ano letivo, visitando todas as escolas do município.

SECOM – Verônica Rodrigues

Comentários