Na conversa, o especialista explica o que é a doença, se o sentimento de pânico entre a população é necessário e, principalmente, o que todo mundo quer saber, se o coronavírus pode chegar ao Acre.

“O coronavírus também é frequente no reino animal. O que ocorreu dessa vez foi uma mutação no vírus e o vírus novo que circulava nos animais passou a circular entre nós seres humanos”.
Por Leônidas Badaró

O mundo tem uma nova preocupação na área de saúde que atende pelo nome de coronavírus. Já são mais de 80 mil casos em 50 países, sendo a maior parte ainda concentrada na China, onde surgiu a doença. Na mesma velocidade que sobe o número de casos, também crescem as notícias falsas sobre a doença. As ‘fake news’ são tamanhas que obrigaram o Ministério da Saúde a criar um selo de informação verdadeiro ou falso para orientar a população.

Como as pessoas ainda têm muitas dúvidas em relação à doença, a reportagem conversou como médico Thor Dantas, um dos mais respeitados infectologistas do Acre. Na conversa, o especialista explica o que é a doença, se o sentimento de pânico entre a população é necessário e, principalmente, o que todo mundo quer saber, se o coronavírus pode chegar ao Acre.

O que é o coronavírus?

Médico Thor Dantas – “Coronavírus é um grupo de vírus que ocorre com muita frequência nas infecções entres seres humanos, sendo responsável por 30% dos resfriados que ocorrem entre a gente. Só que o coronavírus também é frequente no reino animal. O que ocorreu dessa vez foi uma mutação no vírus e o vírus novo que circulava nos animais passou a circular entre nós seres humanos promovendo um quadro de infecção respiratória, que na maioria das vezes se apresenta como resfriado comum, mas que também pode se apresentar com quadro grave maior”.

Quais as formas de transmissão?

Médico Thor Dantas – “É por via respiratória, como toda gripe ou resfriado por meio da tosse, do espirro. Mas assim como todos os vírus respiratórios, também é transmitido pelas mãos. Temos o hábito de quando tossimos ou espirramos colocarmos a mão para proteger, ao fazer isso e tocar ou cumprimentar uma pessoa ou até tocar em uma mesa, por exemplo, já existe a possibilidade de outra pessoa se infectar”.

Os sintomas se assemelham a de uma gripe comum. O diagnóstico se torna mais difícil?

Médico Thor Dantas – “A única forma de distinguir o coronavírus de outras gripes ou resfriados comuns é fazendo o exame. Mas esse exame só é necessário se você tem a suspeita de ter tido contado com alguém que tenha o coronavírus. No quadro atual, onde o único caso registrado no Brasil é de alguém que veio da Itália, só se tem suspeita se alguém teve contato com esse paciente ou tenha voltado do exterior”.

Qual o nível de preocupação que a população deve ter em relação ao coronavírus?

Médico Thor Dantas – “Eu diria que o nível de preocupação que devemos ter é o mesmo que qualquer país do mundo está tendo. A gente não tem que ficar em pânico. Se fizemos uma comparação com a gripe, que tem uma vacina e que a gente recomenda que se vacinem, já que muitos idosos morrem todos os anos, é mais ou menos o que tá acontecendo com o coronavírus. Um grupo pequeno de pessoas, geralmente os idosos e quem tem doença crônica são os que têm o risco de um quadro mais grave. A maior parte das pessoas vai ter um quadro leve”.

É questão de tempo para que o coronavírus chegue ao Acre?

Médico Thor Dantas – “É muito provável que chegue, que esse vírus se dissemine por todos os países do mundo porque é muito fácil a transmissão de um vírus respiratório que encontra uma população suscetível. Pode ser que com a vigilância a gente impeça que se espalhe, pode ser que o nosso clima quente ajude, já que os vírus respiratórios se disseminam mais rápido em locais frios. Isso só o tempo vai dizer, mas se chegar, temos que está preparados e sem pânico para enfrentar a situação”.

Há algo que cada pessoa pode fazer para evitar a disseminação do vírus?

Médico Thor Dantas – “Existem medidas de âmbito individual e coletivo. Na questão individual, qualquer um que está com uma infecção respiratória precisa adotar o chamamos de etiqueta respiratória, que é evitar contato com outras pessoas, aglomerações, evitar beijos e abraços, é preciso evitar também tossir ou respirar sem o lenço e logo após, além de descartar esse lenço, lavar bem as mãos com água e sabão ou com álcool gel. Na parte coletiva, a saúde pública tem o papel que é identificar o primeiro caso e evitar que esse caso se torne em novos casos. Se identifica, se isola esse paciente para que ele não entre em contato com outras pessoas, pode ser até na sua própria casa, e isso já faz com que se evite passar o vírus para outras pessoas”.

O Acre está preparado para identificar e tratar possíveis casos de coronavírus?

Médico Thor Dantas – “Eu diria que ninguém tá 100% preparado para encarar uma doença que não existia antes. O que a gente está fazendo, que é o que todo estado está fazendo, é se preparando. Tenho visto o Acre se preparando com as áreas técnicas da Sesacre, fazendo capacitação, organizando as redes de assistência, os fluxos de atendimento, de coleta e diagnóstico. Se preparando é que se faz o dever de casa. Estamos todos nos preparando e vejo um grande empenho da secretaria nesse sentido”, finaliza.

Comentários