Com este, já são sete veículos queimados em menos de 24 horas.
Atentados começaram após morte de suspeitos em tentativa de assalto.

G1

Princípio de incêndio em ônibus foi registrado na parada final do bairro Santa Inês (Foto: Arquivo pessoal)
Princípio de incêndio em ônibus foi registrado na parada final do bairro Santa Inês (Foto: Arquivo pessoal)

Um novo ataque a ônibus foi registrado na tarde desta terça-feira (6), no bairro Santa Inês, em Rio Branco. O princípio de incêndio ao coletivo ocorreu no momento em que era realizada uma coletiva da cúpula da Segurança Pública do Acre, em reposta aos seis veículos incendiados durante a madrugada desta terça. A onda de ataques começou após a morte de dois suspeitos de tentar assaltar um clínica na capital.

Moradora do bairro Santa Inês, Elizane de Andrade, de 26 anos, relata que estava em casa quando viu dois homens armados em uma bicicleta se aproximarem do ônibus. “Eles tiraram a cobradora e o motorista do ônibus. A gente se trancou e chamamos a polícia. Chegou outro ônibus e conseguiram apagar o fogo”, diz.

Imagem celular
Imagem celular

De acordo com o secretário de Segurança Pública, Emylson Farias, a ordem para incendiar os veículos está partindo de dentro do presídio. Dois ônibus e quatro carros foram incendiados na madrugada desta terça-feira (6), como retaliação contra a morte de dois suspeitos de assalto.

Durante a coletiva, Farias disse que a Segurança não descarta possíveis novos ataques, mas garantiu que o Estado está preparado para combater as represálias. “A Segurança está sempre atenta a qualquer situação. Não vamos admitir qualquer desequilíbrio em Rio Branco e no estado. Nosso objetivo é salvar vidas e patrimônios no Acre”, finalizou.

Entenda o caso
Denis Fortunato de Souza, de 25 anos, e Fábio Andrade de Araújo Pereira, de 32 anos, foram baleados após tentativa de assalto à Clínica Santa Lúcia, localizada na Avenida Getúlio Vargas, em Rio Branco, nesta segunda-feira (5). Eles foram atingidos por um policial à paisana que estava na clínica no momento em que se preparavam para fugir em uma moto. Os suspeitos chegaram a ser socorridos por uma equipe do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e levados para o Pronto-Socorro, mas não resistiram. Segundo a polícia, outros dois suspeitos continuam foragidos.

Após a morte dos dois suspeitos, ao menos quatro carros e dois ônibus foram incendiados durante a madrugada desta terça-feira (6), de acordo com Centro Integrado de Operações de Segurança Pública (Ciosp).

A Segurança Pública informou, durante coletiva, que os ataques foram uma retaliação contra a morte dos envolvidos no assalto.  O secretário da pasta, Emylson Farias, disse que as polícias militar, civil e federal foram reforçadas, além disso Exército e Força Nacional também ajudam no combate à violência.

Comentários