Conecte-se conosco

Geral

Aplicativo e-Título reúne diversos serviços para o eleitor

Publicado

em

A instalação é gratuita e pode ser feita em qualquer celular ou tablet
A instalação é gratuita e pode ser feita em qualquer celular ou tablet

Uma forma rápida e prática de acessar informações e serviços da Justiça Eleitoral é o e- Título. O aplicativo está disponível para as plataformas Android e IOS, e pode ser instalado gratuitamente em aparelhos celulares ou tablets.

O e-Título permite a consulta do local de votação, emissão de certidões de quitação e de crimes eleitorais, inscrição como mesário voluntário e justificativa de ausência às urnas. Também oferece informações sobre as Eleições 2022, por meio de notificações.

No caso de locais de votação que mudaram de endereço e de eleitores que solicitaram o voto em trânsito, os dados serão atualizados automaticamente no aplicativo, sendo possível o acesso às novas informações.

Identificação do eleitor

Caso já tenha sido feita a coleta de dados biométricos, aparecerá também a fotografia do eleitor no aplicativo. Nessa situação, a pessoa poderá usar o e-Título para se identificar ao mesário no dia da votação.

Entretanto, é importante que as pessoas, ao se dirigirem ao local de votação, levem sempre um documento oficial de identificação com foto, para o caso de haver algum problema de funcionamento do dispositivo móvel. Servem como documento oficial de identificação a carteira de identidade, carteira de categoria profissional, passaporte, certificado de reservista, carteira de trabalho e carteira de habilitação.

Download

Ao fazer o download do aplicativo, deverão ser preenchidas informações pessoais, conforme as constantes do Cadastro Eleitoral. O usuário também deverá criar uma senha, com letras maiúsculas e minúsculas, números e caracteres especiais.

É importante lembrar que o e-Título deve ser instalado com antecedência, pois no dia das eleições – 2 de outubro – não será possível baixar o aplicativo.

 

Comentários

Geral

Gladson encontra Lula e pede Casas Populares, recuperação da BR-364 e solução para internet

Publicado

em

O governador Gladson Cameli (PP) apresentou na manhã desta sexta-feira, 27, no Palácio do Planalto, em Brasília, ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), três projetos prioritários do Acre visando apoio do governo federal – o primeiro trata da recuperação e manutenção da BR-364, o segundo, se refere a construção de casas populares e por último, a implantação da Infovia, que interligará o Estado via Internet de alta qualidade.

O chefe do executivo acreano fez questão de defender a indicação desses projetos já na reunião do Fórum de Governadores, realizada no fim da tarde de quinta-feira, 26, na capital federal. O objetivo do encontro entre os governantes foi reunir as prioridades dos estados e alinhar as reivindicações conjuntas a serem entregues para o chefe do Palácio do Planalto, Lula.

Cameli destacou que as propostas visam buscar o desenvolvimento do estado na locomoção da população aos municípios e a melhora na qualidade de rede de internet – um dos problemas mais recorrentes nos últimos anos enfrentado pela sociedade civil e empresários. “Priorizamos a BR-364, as casas populares e a Infovia em virtude da necessidade, urgência e importância para avançar no desenvolvimento do Estado e para melhorar a vida das pessoas, que é o objetivo do meu governo”, declarou Cameli.

Proposta conjunta

Já do Fórum, os governadores também debateram, entre as propostas conjuntas a serem entregues ao presidente Lula, a busca de soluções para a recuperação das perdas de arrecadação do ICMS causadas pelas leis complementares 192 e 194, de 2022, que, na prática, reduzem o imposto incidente, por exemplo, sobre combustíveis.

 

Por Saimo Martins do AC24HORAS

Comentários

Continue lendo

Geral

Governo nomeia Francisca Arara como Assessora Especial Indígena

Publicado

em

Uma grande liderança reconhecida na representatividade nacional e internacional na defesa dos povos indígenas, Francisca Arara, do povo Arara, foi nomeada nesta quinta-feira, 26, como Assessora Especial Indígena no Gabinete do governador Gladson Cameli.

Aos 44 anos, Francisca tem uma militância de mais de 20 anos em pautas relacionadas às políticas públicas dos povos indígenas, mudanças climáticas e gestão territorial. Ela relata que está emocionada e que agora vai poder ajudar nas pautas indígenas com uma participação direta junto ao Gabinete do governador.

Francisca Arara é nomeada para ser Assessora Especial Indígena no Gabinete do governador Gladson Cameli. Foto: Arquivo pessoal

“Para mim, é uma honra, como mulher indígena, do povo Arara, poder contribuir com o nosso estado. Já atuei nacionalmente e internacionalmente e agora vou ajudar o nosso Acre. Trabalhando diretamente no Gabinete do governador, vou ter mais proximidade e conversar com ele sobre os problemas e soluções relacionados aos povos originários. O nosso Estado vai estar dialogando diretamente com os povos indígenas e, para mim, é uma satisfação e estou muito emocionada”, destaca.

O governador falou da importância de ter uma liderança para trabalhar junto ao governo na condução e elaboração de políticas direcionadas aos povos originários: “Vejo a Francisca Arara como uma mulher forte, uma liderança feminina que agora vai nos ajudar e trabalhar na condução das políticas públicas do Acre. O Estado precisa de lideranças como ela, e agora estaremos caminhando juntos para fortalecer ainda mais o trabalho que já estávamos fazendo”.

Gladson falou ainda da necessidade de debates voltados aos povos indígenas e afirmou que a pauta climática precisa ser prioridade. “Queremos o Estado dialogando diretamente com os povos indígenas e, com a Francisca trabalhando ao nosso lado, vamos poder tratar essa pauta mais de perto”.

A liderança disse ainda que pretende contribuir ainda mais e que tem uma boa relação com os povos indígenas.

Foto: Arquivo pessoal

“Falei para o governador que não era a minha intenção, mas que estava aberta a contribuir, porque tenho uma relação boa com as demais lideranças, com os parceiros e com a equipe do governo. Disse que a gente poderia fazer um bom trabalho, se tiver esse trabalho sincero por parte do Estado nesses quatro anos de governo para com os povos originários, é o que a gente mais sonhou na nossa vida, ter um lugar dos povos indígenas para que a gente possa ter mais autonomia”, acrescentou.

A secretária de Estado do Meio Ambiente e das Políticas Indígenas, Julie Messias, falou que a escolha de Francisca Arara foi assertiva e que a liderança vai somar no que diz respeito ao diálogo entre Estado e povos indígenas.

“O nome da Francisca vai estabelecer ainda mais o diálogo entre o Estado e os povos indígenas e vai ajudar a desenhar as políticas públicas. A Francisca Arara tem um papel fundamental nesse processo, que é o de estar dentro de um espaço de governo como uma mulher indígena e criando um ambiente de diálogo onde se entenda quais são as reais demandas dos povos e o que é necessário para que o Estado possa trazer para o ambiente das políticas públicas”, disse Messias.

Julie lembrou ainda do trabalho em conjunto que Francisca teve na criação do Comitê Regional para Parcerias com Povos Indígenas e Comunidades Tradicionais da Força-Tarefa dos Governadores para Clima e Floresta.

“Nós participamos da criação do comitê para o estreitamento de parcerias com povos indígenas e povos de comunidades tradicionais da força-tarefa dos governadores. Ela é uma liderança fundamental que tem apoiado, inclusive, a criação dos demais comitês dos outros países, dos outros entes subnacionais que integram essa importante iniciativa da força-tarefa e a nível de Brasil. Nós criamos o comitê regional com um grupo atuante de representação de indígenas dos nove estados da Amazônia Legal”.

Quem é Francisca?

Francisca Arara tem 44 anos e atua na causa indígena há mais de 20 anos. Ela é do povo Arara, aldeia Foz do Nilo, localizada no município de Porto Walter, distante 640 quilômetros da capital acreana. Começou sua carreira como professora ensinando os indígenas de sua aldeia quando ainda tinha 11 anos. Foi presidente da Organização dos Professores Indígenas do Acre (Opiac) entre 2005 a 2019. Foi assessora Política da Associação do Movimento dos Agentes Agroflorestais Indígenas do Acre (Amaaiac). É licenciada em pedagogia em ciências da natureza pela Universidade Federal do Acre (Ufac) no Campus Floresta, em Cruzeiro do Sul.

É conhecida nacionalmente e internacionalmente pelo seu engajamento na pauta de mudanças climáticas e no movimento indígena e tem levado para o mundo ideias de governanças para as pautas das políticas públicas direcionadas aos povos indígenas e políticas socioambientais do Acre.

Já atuou no Instituto de Mudanças Climáticas (IMC) e ajudou na retomada da Câmara Temática Indígena (CTI), importante instância de governança dentro da Comissão de Validação e Acompanhamento (Ceva), do Sistema de Incentivos a Serviços Ambientais (SISA). A liderança também atuou no Grupo de Trabalho Técnico de Salvaguarda na Comissão Nacional para REDD+ e foi membra titular do Projeto Florestas+, ambos do Ministério de Meio Ambiente (MMA).

Comentários

Continue lendo

Geral

Novo Caged: assessor da presidência da Fecomércio-AC comenta vagas de trabalho geradas no Acre

Publicado

em

Dados do Novo Caged foram divulgados pelo Ministério do Trabalho e Emprego

Foram geradas 464 novas vagas de trabalho em novembro de 2022 no Acre, segundo informações divulgadas recentemente pelo Novo Caged, do Ministério do Trabalho e Emprego. Em todo o País, foram criados 135.495 postos de trabalho, o que indica mais contratações do que desligamentos.

O assessor da presidência da Fecomércio-AC, Egídio Garó, ao comentar sobre o assunto, afirmou que, no geral, com dados referentes são volume de empregos gerados, o comércio se destaca com a criação de 105.969 postos; seguido pelos serviços, com 92.213 vagas. Segmentos econômicos como Indústria, no entanto, reduziram sua força de trabalho, notadamente na indústria de transformação, indicando as dificuldades da cadeia produtiva industrial e seus custos operacionais.

“E, no Acre, o mesmo se repete. Foram geradas 464 novas vagas de trabalho no mês de novembro, sendo que houve 3.534 admissões contra 3.070 desligamentos no período, acumulando um saldo positivo de 8.233 novos postos. Uma evolução de 9,47%”, reforçou o assessor.

Dentre os municípios acreanos, o responsável pelo maior número de novas vagas foi Rio Branco, com 595 novos postos; seguido de Cruzeiro do Sul, com 37 novas vagas; Acrelândia, com 19 postos e Senador Guiomard, com 16 novas vagas. No revés, os municípios que tiveram uma redução no saldo de empregos formais foram: Porto Acre, reduzindo 97 postos; Rodrigues Alves, reduzindo 32 postos; e Xapuri, com saldo negativo de 20 vagas.

Segundo Garó, no acumulado anual, Rio Branco mostrou um saldo positivo de 4.991 vagas. “Seguido por Sena Madureira, com 892 novos postos; Cruzeiro do Sul, com 642 vagas; Senador Guiomard, com 344 vagas disponíveis em estoque; Bujari, com 310 postos; Feijó, com 232 vagas; e Epitaciolândia, com 196 novos postos criados ao longo do ano”, disse.

A geração de empregos no Estado foi observada no comércio e serviços, especificamente nas atividades de informação, comunicação e atividades financeiras, imobiliárias, profissionais e administrativas. “Tais resultados foram positivos em todo o Estado, em todos os setores econômicos, ao longo de todo o ano de 2022, projetando um cenário de crescimento para os próximos meses, dentro da linha de tendência observada”, finalizou Garó.

Comentários

Continue lendo

Em alta