Anderson Silva do Brasil antes da luta contra o americano Derek Brunson no UFC 208 em Nova York (Anthony Geathers/Getty Images/AFP)

A punição de Anderson Silva foi atualizada nesta quarta-feira pela Agência Antidoping dos Estados Unidos (USADA) para apenas um ano – a pena poderia ser de até quatro anos. O lutador brasileiro, de 43 anos, está suspenso desde novembro do ano passado, quando foi notificado que havia testado positivo no exame de doping. A suspensão é retroativa, ou seja, ele está liberado para lutar no UFC a partir de novembro deste ano.

A USADA havia encontrado duas substâncias proibidas no organismo do brasileiro, que, na época, alegou tê-las ingerido de forma não premeditada. Anderson Silva utilizou um suplemento que continha metiltestoterona e hidroclorotiazida, que influenciam no desempenho do atleta. No entanto, nesta quarta, a agência anunciou a comprovação de que as substâncias estavam no suplemento sem conhecimento do lutador – o que colaborou para uma punição mais branda.

Revista Veja

Comentários