Conecte-se conosco





Flash

Adolescente que viu família ser morta após estupro volta a passar por cirurgias em hospital no Acre

Publicado

em

O crime ocorreu no último dia 13 de setembro, depois que o pai da menina flagrou um acreano estuprando a filha e decidiu amarrá-lo para chamar a polícia.

Adolescente boliviana que viu família ser morta após estupro passa por duas cirurgias em hospital no AC — Foto: Reprodução/Rede Amazônica Acre

Por Iryá Rodrigues

A adolescente boliviana de 14 anos, que viu a mãe e os dois irmãos serem mortos e também levou quatro tiros após ser estuprada por um acreano, está fazendo mais duas cirurgias nesta quinta-feira (15) no pronto-socorro de Rio Branco.

A direção da unidade informou que um dos procedimentos é feito por uma equipe de ortopedista, em um dos braços da menina, e o outro por um cirurgião buco-maxilo-facial. A menina está reagindo bem, segundo a direção.

A menina já havia passado por uma cirurgia no braço no mesmo hospital. No dia 18 de setembro, ela apresentou alterações nos exames e, por segurança, foi levada para uma UTI do Hospital da Criança para manter a estabilidade do quadro clínico. No dia 1º de outubro, ela voltou ao PS da capital para aguardar pelas cirurgias.

Crime bárbaro

O crime ocorreu no último dia 13 de setembro, na área de fronteira entre o Acre e a Bolívia, depois que o pai da menina flagrou um acreano estuprando a filha e decidiu amarrá-lo para chamar a polícia.

Enquanto isso, parentes do suspeito de estupro apareceram e atacaram a família boliviana em sua propriedade, que fica perto das cidades de Acrelândia e Plácido de Castro, no Acre. Após atirar contra a família, os suspeitos ainda queimaram a casa.

Corpos foram achados na propriedade da família boliviana na área de fronteira — Foto: Arquivo/PM-AC

Prisões e apreensões

A Polícia Civil do Acre investiga o caso. Segundo o delegado Samuel Mendes, de Acrelândia, inicialmente dois homens foram presos em flagrante, mas um deles acabou sendo solto e o outro foi levado ao presídio de Rio Branco.

A reportagem tentou contato com o delegado nesta quinta-feira (15) para saber se tem alguma novidade sobre as investigações, mas não obteve resposta até última atualização desta reportagem.

No dia 17 de setembro, a Polícia Militar apreendeu um menor de 17 anos e conduziu duas pessoas investigadas pela morte da família para a delegacia de Acrelândia. No final do mês de setembro, a Justiça acreana negou o pedido de liberdade feito pela defesa do adolescente.

A PM foi até a propriedade da família dos suspeitos, que fica no interior do Acre, cumprir o mandado de internação do menor e um de prisão contra o suspeito do estupro, mas ele se escondeu na mata. Duas armas de fogo que teriam sido usadas no crime foram apreendidas.

Comentários

Em alta