fbpx
Conecte-se conosco

Extra

Transportes pesados ​​anuncia bloqueio de rodovias federais e das fronteiras a partir de 27 de junho

Publicado

em

O Ministro das Obras Públicas da Bolívia gerou controvérsia ao curtir um vídeo na sua conta TikTok, que posteriormente foi desativada, onde ele aparecia dançando em comemoração à ausência de bloqueios que haviam sido anunciados

Representantes de vários setores de transportes leves e pesados, assinaram um acordo de greve e bloqueio de estradas e de fronteira com a Bolívia. Foto cedida 

A expansão nacional do transporte pesado realizada no dia de ontem sexta-feira em Santa Cruz determinou o início de uma greve mobilizada com bloqueios de estradas e o bloqueio das fronteiras da Bolívia a partir de quinta-feira, 27 de junho, caso o Governo não atenda às suas reivindicações no prazo de 72 horas. Além disso, exigem, entre outras questões, a demissão do Ministro das Obras Públicas, Édgar Montaño.

Representantes de vários setores de transportes leves e pesados, assinaram um pacto de unidade que se refletiu em seis pontos. Além do bloqueio e da renúncia de Montaño, exigem que o Governo resolva a situação económica do país e os problemas na Alfândega Nacional, na Receita Federal e na Direção de Investigação e Prevenção de Roubos de Veículos (Diprove).

Representantes de vários setores de transporte da Bolívia exigem, entre outras questões, a demissão do Ministro das Obras Públicas, Édgar Montaño. Foto assessoria

O próprio ministro das Obras Públicas, Édgar Montaño, informou em coletiva que na última segunda-feira à noite ainda existia 10 pontos de bloqueio e anunciou que estava preparando uma denúncia contra os transportadores que estão a impedindo a rede rodoviária federal funcionar, e que foi fechada com terra, queima de pneus e outros objetos.

Com fotos em mãos, Montaño detalhou pelo menos sete placas de veículos que participaram dos bloqueios da última segunda-feira  em quatro departamentos da Bolívia e explicou que servirão como prova de quem participou da medida.

Na reunião também foi discutido e decidido ratificar um acordo interinstitucional com a Confederação Nacional dos Trabalhadores Autônomos da Bolívia e exigir o decreto supremo para a regulamentação das aplicações de transporte.

Além disso, decidiram exigir a revogação do Decreto Supremo 4.732, em vigor há dois anos, que regulamenta os contratos de compra e venda de imóveis.

No último domingo, dia 16, dirigentes dos transportes pesados ​​reuniram-se com o presidente, Luis Arce, e decidiram rescindir a greve convocada para segunda-feira, dia 17. Deram ao presidente 90 dias para resolver a crise económica.

Os dirigentes relataram na reunião, que durou mais de três horas, não houve um verdadeiro diálogo com o presidente Arce e não foi alcançado qualquer acordo.

O Ministro das Obras Públicas da Bolívia gerou controvérsia ao curtir um vídeo na sua conta TikTok, que posteriormente foi desativada, onde ele aparecia dançando em comemoração à ausência de bloqueios que haviam sido anunciados. Esta atitude recebeu muitas críticas, especialmente do setor dos transportes, que considerou a ação do ministro como uma forma de ridicularizar o movimento e desrespeitar a seriedade da situação.

A dança em comemoração à não realização dos bloqueios pode ter sido interpretada como uma falta de sensibilidade em relação às preocupações e demandas dos trabalhadores do setor de transportes, que provavelmente estavam se manifestando por questões importantes e sentiram que sua causa não foi levada a sério.

A desativação subsequente da conta TikTok do ministro pode indicar uma tentativa de mitigar os danos causados pela repercussão negativa dessa ação. No entanto, o incidente certamente destacou a importância da comunicação sensível e respeitosa por parte dos funcionários públicos, especialmente em um contexto onde questões sociais e políticas estão em jogo.

Representantes de vários setores de transportes, assinaram um pacto de unidade que se refletiu em seis pontos. Além do bloqueio e da renúncia de Ministro, exigem que o Governo resolva a situação económica do país e os problemas na Alfândega Nacional. Foto cedida

Comentários

Continue lendo

Extra

Polícia prende dois com grande quantidade de entorpecentes em Epitaciolândia

Publicado

em

A Força Integrada de Combate ao Crime Organizado do Acre (FICCO/AC) realizou uma operação bem-sucedida na tarde de sexta-feira, 12 de julho, resultando na apreensão de aproximadamente 21 kg de drogas em Epitaciolândia, na BR-317. Dois suspeitos foram presos durante a ação.

Segundo informações, durante uma patrulha de rotina, policiais da FICCO/AC avistaram duas motocicletas carregando diversos sacos plásticos suspeitos, frequentemente utilizados para o transporte de entorpecentes. Ao dar comando de parada aos condutores, uma busca rápida nas bagagens revelou a presença de 19 kg de maconha, 1 kg de skunk e 1 kg de cocaína, totalizando 21 kg de drogas.

Os veículos e os indivíduos foram imediatamente conduzidos à Delegacia de Polícia Federal para os procedimentos legais. Os suspeitos poderão enfrentar acusações judiciais por tráfico de drogas.

A Força Integrada de Combate ao Crime Organizado

A FICCO/AC é uma força-tarefa composta por diversas agências de segurança, incluindo a Polícia Federal, Polícia Rodoviária Federal, Polícia Civil, Polícia Militar e Polícia Penal. Esta operação demonstra a eficácia da cooperação entre as diferentes forças de segurança na luta contra o crime organizado no Acre.

A apreensão reflete o comprometimento da FICCO/AC em combater o tráfico de drogas e outras atividades criminosas na região, garantindo maior segurança para a população.

Esta operação é mais um passo importante na estratégia de combate ao tráfico de drogas no estado do Acre. A apreensão de grandes quantidades de entorpecentes e a prisão de envolvidos ajudam a desarticular redes criminosas e a reduzir a circulação de drogas na região.

As investigações continuarão para identificar e prender outros possíveis envolvidos na operação de transporte e distribuição das drogas apreendidas. A FICCO/AC reafirma seu compromisso com a segurança pública e a luta contra o crime organizado.

Comentários

Continue lendo

Extra

A neve cobre as áreas altas de Santa Cruz e reduz as temperaturas para -5,5 graus

Publicado

em

Screenshot

A sensação térmica atingiu 8 graus abaixo de zero

Um manto branco cobriu as áreas altas de Vallegrande nesta sexta-feira, 12 de julho, em consequência de uma nevasca que deixou temperaturas de até -5,5 graus Celsius na região de Palmarito Tocaso, segundo o serviço meteorológico da Prefeitura. A sensação térmica chegou até a -8 graus.

As baixas temperaturas, que duram desde o final da semana passada e devem continuar na próxima semana, provocaram o congelamento de culturas e plantas, bem como de torneiras, na zona.

Segundo especialistas, a neve difere da geada por cobrir a parte superior das árvores, enquanto a geada afeta apenas as plantas pequenas.

Estas condições climáticas também foram registradas nos municípios de Chuquisaca e Tarija.

Screenshot

Geadas e nevascas nos vales de Santa Cruz tiveram maior impacto nas pastagens, segundo Governo

Entretanto, técnicos estão nos vales de Santa Cruz em coordenação com os produtores para realizar trabalhos de contenção para evitar que as geadas tenham um impacto maior.

O coordenador do Programa de Saúde Hortícola do Serviço Agrícola Departamental de Santa Cruz (Sedacruz), Jaime Chávez, informou nesta sexta-feira que as geadas e nevascas nos vales de Santa Cruz tiveram maior impacto nas pastagens e não nas culturas características desta área do departamento de Santa Cruz.

Os efeitos nas pastagens estão sendo avaliados por técnicos, bem como apurados se há lavouras danificadas, por isso espera-se um relatório mais aprofundado nas próximas horas.

Screenshot

Da mesma forma, explicou que o fenômeno climático que mais causa danos é a geada negra, que atinge os tecidos da planta causando a morte; No entanto, ele também destacou que a diminuição das temperaturas favorece o setor frutícola porque as plantas precisam de horas frias para estimular o crescimento dos frutos.

Nesse sentido, a autoridade também esclareceu que a maior produção na zona alta dos vales de Santa Cruz é a batata, enquanto nas zonas baixas, como em Pampagrande, Mairana e Samaipata, são as hortaliças, que abastecem o Santa Cruz. mercado.

O responsável afirmou ainda que os técnicos do Governo estão a coordenar com os produtores a realização de trabalhos de contenção para evitar que as geadas tenham maior impacto.

CLIQUE AQUI PARA VER REPORTAGEM ORIGINAL COM VÍDEO

Comentários

Continue lendo

Extra

Ministério Público do Acre realiza Audiência pública em Brasiléia para tratar da falta de médicos especialistas

Publicado

em

Prefeita Fernanda Hassem ressalta importância de encontro sobre saúde no Alto Acre

Os Prefeitos, os Secretários de Saúde, os Secretários de Planejamento dos Municípios de Brasileia, Epitaciolândia, Assis Brasil e Xapuri, o Diretor do Hospital Regional do Alto Acre Raimundo Chaar e a Secretaria Estadual de Saúde, foram os convidados a participar, como também a sociedade civil.

A audiência pública, regulamentada, teve como objetivo discutir os impactos e buscar possíveis soluções para o subdimensionamento dos profissionais médicos especialistas no Hospital Regional do Alto Acre Raimundo Chaar.

Na manhã desta sexta-feira, 12, Brasiléia sediou uma audiência pública crucial no auditório do SENAC. O evento, promovido pelo Ministério Público do Estado do Acre, abordou a alarmante falta de médicos especialistas no Hospital Regional do Alto Acre, um problema que afeta diretamente a qualidade dos serviços de saúde na região.

A audiência foi presidida pelos Promotores de Justiça Juleandro Martins de Oliveira, Rafael Maciel da Silva, Renan Augusto Gonçalves Batista, Eduardo Lopes de Faria, e pela Procuradora de Justiça Gilcely Evangelista de Araújo Souza. Estiveram presentes prefeitos, secretários de saúde e planejamento dos municípios de Brasiléia, Epitaciolândia, Assis Brasil e Xapuri, além do Diretor do Hospital Regional do Alto Acre, Raimundo Chaar, e representantes da Secretaria Estadual de Saúde (SESACRE).

Participação das Autoridades e Comunidade

Foram também convidados a participar da audiência pública representantes da Secretaria de Estado da Casa Civil, Secretaria de Estado de Administração (SEAD), Secretaria de Planejamento e Gestão (SEPLAG), Assembleia Legislativa, câmaras de vereadores, conselhos de saúde, Sindicato dos Médicos do Acre (SINDMED/AC) e a população interessada. A audiência contou com debates intensos e a apresentação de propostas concretas, buscando soluções viáveis para melhorar o atendimento médico especializado na região.

Intervenção da Prefeita Fernanda Hassem

A prefeita de Brasiléia, Fernanda Hassem, destacou a importância do encontro para discutir os impactos da carência de profissionais médicos especializados. Ela ressaltou a audiência pública como um espaço democrático e participativo, onde as vozes da comunidade e dos especialistas são consideradas nas decisões políticas e administrativas. Fernanda Hassem reafirmou o compromisso da administração municipal em colaborar ativamente com as demais instâncias de governo e com a população para melhorar as condições de saúde na região. Encorajou a continuidade do diálogo e a implementação de medidas para aprimorar o atendimento médico no Alto Acre.

Desafios e Propostas

Durante o evento, foram ressaltados os desafios enfrentados diariamente pelos profissionais de saúde e a necessidade urgente de investimentos e políticas públicas que possam mitigar a falta de especialistas. A carência de recursos humanos qualificados tem impactado diretamente a qualidade do serviço prestado à comunidade, gerando preocupações e demandas por ações imediatas por parte das autoridades competentes.

Próximos Passos

A audiência pública em Brasiléia foi um passo importante na direção de encontrar soluções eficazes para o problema do subdimensionamento dos profissionais médicos especialistas no Hospital Regional do Alto Acre. A mobilização da sociedade civil e o compromisso das lideranças políticas locais demonstram a importância de buscar medidas concretas para melhorar a infraestrutura e o atendimento de saúde na região. O debate continua e novas iniciativas estão sendo planejadas para garantir que as necessidades da população sejam atendidas de maneira eficaz e humanizada.

A presença e o engajamento da prefeita Fernanda Hassem e de outras autoridades na audiência pública reforçam o comprometimento em enfrentar os desafios da saúde pública local e em trabalhar para garantir um futuro melhor para todos os moradores de Brasiléia e região.

Prefeitos, os Secretários de Saúde, os Secretários de Planejamento de Brasileia, Epitaciolândia, Assis Brasil e Xapuri, e o Diretor do Hospital Regional do Alto Acre Raimundo Chaar e a Secretaria Estadual de Saúde participaram da Audiência.

Durante o evento, foram destacados os desafios enfrentados diariamente pelos profissionais de saúde e a necessidade urgente de investimentos e políticas públicas que possam mitigar essa carência de especialistas. A falta de recursos humanos qualificados tem afetado diretamente a qualidade do serviço prestado à comunidade, gerando preocupações e demandas por ações imediatas por parte das autoridades competentes.

A audiência pública em Brasileia foi um importante passo na direção de encontrar soluções eficazes para o problema do subdimensionamento dos profissionais médicos especialistas no hospital regional. A mobilização da sociedade civil e o compromisso das lideranças políticas locais demonstram a importância de se buscar medidas concretas para melhorar a infraestrutura e o atendimento de saúde na região do Alto Acre.

O debate continua e novas iniciativas estão sendo planejadas para garantir que as necessidades da população sejam atendidas de maneira eficaz e humanizada.

Veja vídeo reportagem com o deputado José Adailton Cruz Pereira, e o promotor de justiça Martins de Oliveira 

Comentários

Continue lendo