Gina Menezes

Em reunião realizada na última quinta-feira (14), uma comissão de empresários do setor de terceirizados se reuniu com o assessor do governo do Acre, Gilvandro Assis, para tratarem sobre o pagamento do 13° salário dos trabalhadores do setor que está sem previsão para ocorrer.

O encontro aconteceu depois da insistência do líder do movimento, Fagner Calegario, que defende os interesses da categoria. A reunião contou, ainda, com a presença do chefe da Casa Civil da Prefeitura de Rio Branco, André Kamai. O servidor municipal teria acompanhado a reunião a pedido do prefeito de Rio Branco, Marcus Alexandre (PT), que demonstra preocupação com a situação dos terceirizados do Estado.

Um empresário que participou da reunião, que prefere não se identificar, afirmou que o encontro teve momentos de tensão após Gilvandro levantar o tom de voz para os empresários momento em que Calegário partiu em defesa dos trabalhadores terceirizados.
Procurado pela reportagem, Calegário confirmou o ocorrido, mas preferiu não polemizar o assunto.

“Ele defende o lado dele e eu defendo o meu, minha função é manter a harmonia nessa relação apesar do governo não ver dessa forma. O que eu não posso ver calado é mais empresas fecharem por não estarem recebendo do governo. Quando tomei a iniciativa de sentar com o governo o que procuro é mediar a situação buscando uma solução pacífica. Não podemos deixar quer os nossos trabalhadores terceirizados saiam prejudicado nessa relação”, diz.

Ficou marcado para esta segunda-feira (18), às 9 horas, um novo encontro na Casa Civil onde uma comissão do Sindicato das Empresas Terceirizadas apresentará uma planilha com os débitos detalhado por Secretarias do Estado e se buscará mais uma vez o recurso para pagamento dos trabalhadores terceirizados.

Comentários