Depois que foi mostrado mais uma vez a situação de pacientes nos corredores do novo pronto-socorro, a Secretaria Estadual de Saúde divulgou uma nota de esclarecimento.

O teor da nota pode ser considerado uma novidade em se tratando de resposta do poder público.

Bem diferente das respostas protocolares que colocam sempre a culpa do atraso no fornecedor, a Sesacre mostra uma sinceridade incomum na gestão pública ao admitir que há problemas nos contratos para o fornecimento de material ortopédico e número insuficiente de médicos para realizar todas as cirurgias necessárias.

O governo afirma que busca alternativas para resolver os problemas o mais rápido possível.

Leia a nota da Sesacre:

NOTA DE ESCLARECIMENTO

A Secretaria de Estado de Saúde do Acre (Sesacre) informa que está buscando alternativas para suprir o setor de ortopedia o mais rápido possível. Segundo informa a direção-geral do Pronto Socorro, com a virada de ano, expiraram os contratos de fornecimento de material ortopédico.

Mas novos contratos estão sendo formalizados e, embora a Sesacre manifeste que a situação requer celeridade, as empresas se negam a fornecer material para as cirurgias antes da assinatura dos novos documentos contratuais.

A direção confirma que está enfrentando situação de corredor na Clínica Cirúrgica B, da Ortopedia. E que isso acontece em razão de que os profissionais não estão conseguindo dar vazão ao número de pacientes para serem operados, inicialmente, na Fundação Hospitalar do Acre. No Pronto Socorro, estão sendo realizadas apenas cirurgias de emergência.

No entanto, a Sesacre está sensível à situação e busca mecanismos para saná-la no mais curto espaço de tempo.

Atenciosamente,

Secretaria de Estado de Saúde do Acre

Comentários