Com o PSL de Jair Bolsonaro abrindo mão dos recursos do fundo eleitoral para se apresentar contra o uso de verba pública em campanhas políticas, o candidato ao Palácio Rio Branco Coronel Ulysses (PSL) tem recorrido majoritariamente ao autofinanciamento para arcar com os custos da disputa neste primeiro turno.

Conforme os dados disponíveis no portal do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), o policial militar já arrecadou, até agora, R$ 89,6 mil. Desse total, R$ 40 mil foram doados por Dayanna Menezes Araújo, mulher do candidato.

É no nome de Dayanna que está a empresa de segurança privada VIP, ligada ao oficial, e que mantém contratos com o governo Sebastião Viana (PT) e a Prefeitura de Rio Branco. O candidato tirou do próprio bolso R$ 27 mil para bancar a campanha.

O terceiro maior doador é o candidato ao Senado pelo PSL, Paulo Pedrazza, que transferiu R$ 20 mil para o caixa do candidato a governador. Dos cinco postulantes para a sucessão de Sebastião Viana, Coronel Araújo é o que mais recorreu a doações de pessoas físicas, enquanto os demais fazem uso exclusivo do fundo eleitoral.

Comentários