Rocha confirma convite para ir ao PSL e Gladson diz que poderá ir junto

Vice-governador quer fortalecer partido com candidaturas a prefeito nos municípios do Acre.

Vice-governador, Major Rocha, pode estar com os dias contados no PSDB após 12 anos.
Alexandre Lima e Marcus José

O assunto da possível ida do vice-governador para o PSL parece que ainda está longe de acabar. Durante a visita da comitiva na região do Alto Acre nesta sexta-feira (26), o jornal oaltoacre.com conversou com os dois.

Rocha confirmou que teria recebido um convite da executiva e do presidente nacional do PSL, Luciano Bivar. “Disse pra ele que tinha interesse sim e vim conversar com o PSL no Acre. Infelizmente houve uma resistência e me coloquei à disposição do presidente, mas caso estivesse na direção do partido e carta branca para fazer as mudanças necessárias. A ideia não é dividir, é somar e caso isso aconteça, poderá ser nos próximos dias”, disse o vice-governador.

Sobre o abaixo-assinado, Rocha comentou que acredita que o PSL nacional quer um partido grande e forte no Acre. “No acre, o PSL ainda é um partido nanico, não tem nenhum liderança de expressão, nenhuma candidatura que dispute com chance de ganhar eleição e o que queremos é fortalecer a legenda, trazendo um grupo que me acompanha a 12 anos no PSDB, com a ideia de levar todos para que da fato fortaleça o partido e torna-lo um partido grande”, destacou.

Em relação ao Minoru Kimpara, disse que ainda não conversou com ele, mas, caso aconteça sua ida ao PSL, o convite será estendido para que possa acompanhar. Em relação ao interior, acredita que nada irá atrapalhar o partido e irá conversar com cada liderança para fortalecer as candidaturas e eleger prefeitos pela sigla.

Foi perguntado que teria convidado o governador Gladson Cameli, que atualmente está e foi eleito pelo Progressistas. “Já fiz esse convite tempos atrás para o Gladson vir para o PSDB. Ele ficou muito tentado e quase que vaio, e agora fiz o convite depois que soube dele sobre a intensão de sair do PP. Se vier será muito bem-vindo caso eu for para o PSL e irá somar… Acredito que nenhum partido, seja ele qual for, irá recusar uma liderança do porte do Gladson”, destacou.

Rocha acredita que partido que recusa liderança, é partido que quer viver de feudo, isolado e não quer crescer. O vice-governador completou que caso mude, acredita que Epitaciolândia tem uma candidatura forte onde atual pré-candidato pontua bem e acha que se deve manter para que intensificar a liderança na regional do Alto Acre.

Gladson confirma possível saída do PP caso não façam políticas corretas

Também em vídeo, foi perguntado se o governador Gladson Cameli (PP), quando visitava o hospital Regional Raimundo Chaar em Brasiléia, da possibilidade de mudar de partido a convite do seu vice. Foi enfático em dizer que “tudo é possível!”.

Governador Gladson Cameli demonstrou insatisfação dentro do PP.

O gestor do Acre falou do seu trabalho atual, que é combater a pandemia, mas demonstrou que seu atual partido não está alinhado, pois, estaria fazendo o que não está beneficiando a população. “Cada um siga e faça o que acha, o que não vou é ficar nesse debate e adulando. Se o incomodado sou eu… me retiro!”, finalizou.

Comentários