O setor privado, que assina carteira de trabalho, emprega formalmente 60 mil acreanos – Foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil

Segundo a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) Contínua, divulgada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), nesta sexta-feira (23), o Estado Acre fechou 2017 com 42 mil pessoas sem ocupação, mostrando uma estabilidade.

O trabalho por conta própria foi o que mais teve ascensão. Segundo o levantamento, dos mais de 300 mil ocupados, 91 mil trabalham por conta própria. A taxa de desocupação no estado foi de 12,2%. Em contraponto, o estudo aponta que 302 mil acreanos fecharam o ano com alguma ocupação.

O segundo que mais emprega é o setor público – incluindo estatuários e militares – que engloba 65 mil da população economicamente ativa no estado. O setor privado, que assina carteira de trabalho, emprega 60 mil acreanos. O rendimento médio real mais alto é do empregador, segundo o levantamento, com uma renda de R$ 4.110.

Comentários