O capitão Ricardo Lira, Agente Fluvial do município amazonense informou que as melhorias foram feitas e a balsa foi autorizada a voltar a funcionar, mas sem poder fazer a travessia de carros – apenas pedestres, motos e bicicletas.

Por Raimari Cardoso

O incidente aconteceu na tarde de quinta-feira, 6, na travessia do rio Acre para o ramal Tabocal.

De acordo com testemunhas, o motorista de um Fiat Uno, que não localizado pela reportagem, perdeu o controle do veículo na subida íngreme do barranco e foi parar dentro da água, sendo socorrido pelo operador da balsa.

Os acidentes nessa travessia têm chamado a atenção da Agência Fluvial de Boca do Acre, da Marinha do Brasil, que esteve em Xapuri no mês passado, quando a balsa que faz o transporte de passageiros e veículos naufragou com uma caminhonete pertencente à empresa que faz a recuperação do ramal.

A embarcação foi autuada e impedida de voltar a trafegar até que as deficiências fossem sanadas. O capitão-tenente Ricardo Lira, Agente Fluvial do município amazonense informou nesta quinta-feira que as melhorias foram feitas e a balsa foi autorizada a voltar a funcionar, mas sem poder fazer a travessia de carros – apenas pedestres, motos e bicicletas.

A travessia do rio Acre em Xapuri tem se tornado uma dificuldade crescente nos últimos anos. Com a expansão dos ramais e das propriedades rurais ocorrida nas últimas décadas no lado oposto à sede municipal, as tradicionais catraias deixaram de suprir a necessidade da população urbana e de produtores rurais da região.

Com o crescimento da demanda, o principal modo de ir e vir entre os dois lados da cidade passou a ser por meio de balsas, como ocorre na travessia para o bairro Sibéria e região, com uma embarcação de ferro pertencente ao governo do estado, que a opera por meio do Deracre – Departamento de Estradas e Rodagens do Acre.

Em um ponto mais acima, está a outra travessia, que não dispõe de uma embarcação adequada. É no porto da praça João Damasceno Girão, na rua 17 de novembro, conhecido como “Porto do Abdon”. Lá, a balsa de madeira que faz o transporte de veículos onde aconteceu o incidente desta quinta-feira.

A prefeitura já foi questionada sobre a dificuldade dessa travessia. A resposta foi a de que é necessária uma discussão mais ampla, com o governo do estado e os dois deputados estaduais que têm base em Xapuri, Antônio Pedro (DEM) e Manoel Moraes (PSB), considerando que o município não têm recursos para arcar com a manutenção de uma balsa para esse transporte.

Comentários