Conecte-se conosco





Extra

Hospital Regional do Alto Acre não registra internação por covid-19 a 48 horas

Publicado

em

Hospital regional do Alto Acre não registra internações por Covid-19 por dois dias seguidos – Foto: Alexandre Lima

A ala de internação para infectados por covid-19, do hospital regional do Alto Acre, localizado na cidade de Brasiléia, distante 242km da Capital acreana, está sem pacientes a cerca de 48 horas.

A notícia foi passada por médicos na tarde desta quarta-feira, dia 28. Foi informado que o último paciente recebeu alta na segunda-feira, dia 26. “Estamos muitos felizes em saber que aqui na fronteira não temos casos de pacientes internados nos últimos dias”, destacou a funcionária.

Na contramão do que já passou em meses passados, o hospital regional do Alto Acre em Brasiléia, teve sua lotação máxima alcançada sem poder receber pessoas infectadas. Teve registro de pacientes que literalmente ficaram na fila de espera por um leito.

Ala Covid-19 no Acre – Foto: Odair Leal/Secom/arquivo

Relatos de casos envolvendo perda de vidas e recuperações será um registro na memória de muitos profissionais e famílias. “Tivemos muitas famílias que não puderam se despedir na esperança de ter seu ente de volta ao ser transferido para Rio Branco, mas, tivemos casos de pessoas que foram tratadas aqui mesmo e saíram pela porta da frente e foram casa”, relataram.

Foi informado que, o declínio nas internações foi registrado a partir do mês de junho passado, mas, neste mês julho a queda foi mais acentuada ao ponto de zerar nesta semana.

Outro fator que chamou atenção dos médicos, seria de casos de pessoas que vieram de outros estados sem serem vacinados, ou de algumas que ainda se recusam ser imunizados. “Ainda encontramos esse tipo de barreira aqui no hospital, onde pacientes que foram contaminados ao se recusarem tomar sua dose, ou de pessoas esperaram chegar sua idade”, destacou.

Foi relatado que os casos estão caindo, mas, tem registros de contaminações com sintomas leves que são tratados em casa e são acompanhados pela rede municipal. Destaca que existe os perigos de contaminações e as pessoas não podem baixar a guarda e que os cuidados como; usar máscara, álcool em gel e evitar aglomeração, ainda é uma das principais armas contra o vírus.

 

Comentários

Em alta