A viagem, que será acompanhada até o hospital por um profissional médico do Acre, foi viabilizada pelo governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado de Saúde (Sesacre) e Tratamento Fora de Domicilio (TFD).

A Policlínica do Tucumã ficou sendo o centro de referência para atendimento e acompanhamento das jovens.
Fhaidy Acosta/Sesacre

Duas das adolescentes que apresentaram reações adversas após, supostamente, receberem doses da vacina contra o HPV embarcam neste sábado para São Paulo, onde iniciarão as avaliações de saúde. A viagem, que será acompanhada até o hospital por um profissional médico do Acre, foi viabilizada pelo governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado de Saúde (Sesacre) e Tratamento Fora de Domicilio (TFD). Ao todo serão encaminhadas 12 adolescentes para centros de referências.

Elas ficarão, em média, de 7 a 15 dias internadas no Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (HCFMUSP). O Estado disponibilizou ajuda de custo e também articulou a hospedagem em uma casa de apoio para as acompanhantes.

Em abril deste ano, o governador Gladson Cameli trouxe ao estado o neurocirurgião Élcio Machado, profissional que já tratou de outros casos semelhantes, para prestar atendimento e aconselhar o melhor tratamento a ser feito.

Na Sesacre, o Departamento de Vigilância em Saúde (DVS) não tem medido esforços para garantir o atendimento de todas as adolescentes. A Policlínica do Tucumã ficou sendo o centro de referência para atendimento e acompanhamento das jovens.

O Departamento de Vigilância em Saúde foi peça fundamental para transformar o termo de cooperação em portaria, garantindo o repasse do recurso para o tratamento das adolescentes.

“A portaria foi de suma importância, para agilizar o encaminhamento das adolescentes, a um centro de referência de pesquisa na busca de um diagnóstico preciso. Sinto-me feliz em poder dar uma resposta positiva a essas famílias”, explica Glória Nascimento, chefe de Departamento de Vigilância em Saúde.

Comentários