Sem alternativa, os policiais fizeram a limpeza, mesmo alegando desvio de função e falta de respeito do comando

Policiais fazendo faxina/Foto: blog 4 de maio
Policiais fazendo faxina/Foto: blog 4 de maio

O comando da Polícia Militar, depois de dispensar uma prestadora de serviços, está obrigando os policiais a fazerem a faxina nos quartéis. A denúncia é do presidente da Associação dos Militares do Acre (AME), Joelson Dias, para quem a prática caracteriza desvio de função. “Isso é um absurdo”, desabafou ele, dizendo que vai acionar a Justiça acreana para por fim à ilegalidade.

No ano passado, um grupo de policiais militares do 3º Batalhão, localizado na Baixada do Sol, na Estrada da Sobral, denunciou que um oficial, responsável pelo comando na área, ordenou que seus subordinados colocassem uniformes de educação física e fizessem faxina nas dependências do prédio.

Caso não fizessem a limpeza, poderiam ser punidos por praticar crime militar, tipificado no regime disciplinar como desobediência, podendo acarretar até em prisão. Sem alternativa, os policiais fizeram a limpeza, mesmo alegando desvio de função e falta de respeito do comando.

“Os policias são treinados para servir e proteger, portanto não somos obrigam fazer os serviços de limpeza”, disparou Dias, atribuindo à dispensa da empresa aos corte nos orçamentos da instituição. “Não vamos pagar por uma crise que não causamos”.

O deputado federal Major Rocha (PSDB) pretende realizar mobilizações e incentivar os militares a resistir ao pedido para gerar ações na Justiça. “Neste caso, é importante que todos os superiores se oponham ao desvio de função e não obriguem os soldados a fazer o que é ilegal e imoral”, declarou o parlamentar.

Comentários