José Valdenes (à esquerda) e Ariclene Firminiano (à direita) foram presos em Recife durante a Operação Uller — Foto: Divulgação/Polícia Civil
Por G1 Acre

Os detentos foragidos do Acre e recapturados em Recife (PE), na quinta-feira (17), José Valdenes Viana da Silva e Ariclene Firminiano da Silva, devem voltar para o estado acreano. A informação foi confirmada pela Polícia Civil do Acre, que aguarda a decisão da Justiça pernambucana para os trâmites.

__________________

A assessoria de comunicação da Polícia Civil do Acre confirmou que já foi pedido o recambiamento dos presos.

__________________

Os dois conseguiram fugir durante uma fuga em massa no Complexo Prisional Francisco d’Oliveira Conde (FOC), em Rio Branco, no mês de janeiro, quando 26 detentos fugiram pulando a muralha da unidade prisional.

Com a prisão de José Valdenes e Ariclene, apenas dois ainda seguem foragidos: Dheyci Angelo de Lima e Lima e Francisco dos Santos Braga, segundo o Instituto de Administração Penitenciária do Acre (Iapen-AC).

José Valdenes, conhecido como Rambo, foi condenado pela morte do policial militar Marcos Roberto Araújo Nascimento, morto em dezembro de 2014, em Cruzeiro do Sul, no interior. Já Ariclene Firminiano, o Ari, matou a empresária Janete Pinheiro durante um roubo em 2014.

Fugitivo de presídio do Acre e suspeito de homicídio fora recapturado no Recife, nesta quinta (17) — Foto: Polícia Civil/Divulgação

A captura da dupla ocorreu no bairro do Ibura, na Zona Sul do Recife. Os dois foram autuados em flagrante por uso de documentos falsos. Ao serem detidos, eles apresentaram identidade e habilitação do Ceará e Distrito Federal.

A prisão dos foragidos foi feita durante a Operação Uller da Polícia Civil do Acre em parceria com a Polícia Civil de Pernambuco e o Ministério Público, por meio do Programa Vigia.

Investigados da Delegacia de Repreesão às Ações Criminosas Organizadas (Draco) e o Departamento de Inteligência e da Coordenadoria de Operações e Recursos Especiais (Core) cumpriram um mandado de busca e apreensão no local e acharam os foragidos.

Em uma coletiva em Recife, a Polícia Civil pernambucana explicou que os acusados vão responder pela documentação falsificada. “Nós vamos investigar ainda se houve participação deles em outros delitos. Isso após as investigações que já estão em andamento”, afirmou o delegado Paulo Moraes, da Core) de Pernambuco.

Fuga

José Valdenes e Ariclene Firminiano ficaram quase oito meses foragidos, após a fuga registrada em janeiro deste ano. Eles e mais 24 detentos fugiram do pavilhão L, onde cumpriam pena em regime fechado.

_________________

Na época da fuga em massa, o Iapen disse que os detentos fizeram um buraco na parede da cela e, com lençóis, fizeram cordas escapando pela muralha.

_________________

Um vídeo das câmeras de segurança do FOC mostrou o momento exato da fuga em massa dos 26 presos. O vídeo foi obtido com exclusividade pelo Jornal do Acre 1ª edição e divulgado no final do mês de janeiro.

Comentários