fbpx
Conecte-se conosco

Cotidiano

Filipe Toledo conquista bicampeonato mundial de surfe

Publicado

em

Paulista mantém domínio do Brasil, que chega a sete títulos desde 2014

LOWER TRESTLES, CALIFORNIA, UNITED STATES – SEPTEMBER 9: WSL Champion Filipe Toledo of Brazil after winning the 2023 World Title after Title Match 2 of the Finals at the Rip Curl WSL Finals on September 9, 2023 at Lower Trestles, California, United States. (Photo by Thiago Diz/World Surf League)

O brasileiro Filipe Toledo conquistou, neste sábado (9), o bicampeonato da Liga Mundial de Surfe (WSL, pela sigla em inglês). Paulista de Ubatuba, o surfista de 28 anos venceu a etapa final do circuito (WSL Finals), disputada em Lower Trestles, nos Estados Unidos. Na decisão, ele superou o australiano Ethan Ewing duas vezes, em uma melhor de três baterias.

A conquista de Filipinho, como é conhecido, mantém a hegemonia do Brasil no principal circuito de surfe do planeta. De 2014 para cá, quando o também paulista Gabriel Medina foi campeão mundial pela primeira vez, o país esteve sete vezes no topo em nove disputas. As exceções foram em 2016 e 2017. Desde 2018, o título fica com um brasileiro.

Medina segue como surfista do país com mais títulos mundiais, com três conquistas. Além dele e de Filipinho, Adriano de Souza (Mineirinho) e Ítalo Ferreira também foram campeões.

O WSL Finals reuniu os cinco melhores surfistas da temporada. Entre eles, dois brasileiros: Filipinho e o carioca João Chianca, o Chumbinho. Como chegou à Lower Trestles na liderança, o paulista não precisou disputar as baterias preliminares e foi direto para a final.

Chumbinho estreou derrotando o australiano Jack Robinson. Na soma das duas melhores notas que obteve na bateria, ele fez 15.33 pontos (8.33 e 7.00), contra 11.87 (6.00 e 5.87) do adversário. O carioca, porém, não resistiu a Ewing, que conseguiu notas 8.60 e 9.00 logo nas primeiras ondas e garantiu 17.60 de pontuação, ante 14.57 (6.67 e 7.90) do brasileiro. Chumbinho terminou a temporada em quarto lugar. Na sequência, Ewing alcançou um somatório de 17.10 (8.93 e 8.17) e deixou para trás o norte-americano Griffin Colapinto, que obteve 15.96 (8.23 e 7.73), avançando à decisão.

Na primeira bateria da final, Filipinho e Ewing travaram uma disputa equilibrada, com notas elevadas. Com duas manobras aéreas perfeitas, o brasileiro conseguiu um 9.00 e um 8.97, com 17.97 de somatória, um pouco superior aos 17.23 (8.73 e 8.50) do australiano, mas o suficiente para sair na frente no confronto.

A falta de ondas dificultou a vida dos surfistas, que levaram quase 20 minutos para começar a pontuar na bateria seguinte. Mesmo assim, Filipinho mostrou criatividade para buscar um 7.50 e colocar pressão em Ewing. O paulista também obteve um 6.77. O australiano até conseguiu a melhor pontuação da bateria (7.67), mas como a segunda melhor nota foi baixa (4.70), a somatória (12.37) ficou longe do paulista (14.27), que pôde, enfim, celebrar o título.

No feminino, o título do WSL Finals ficou com Caroline Marks. A norte-americana superou a havaiana Carissa Moore, pentacampeã mundial, para vencer o circuito pela primeira vez. A gaúcha Tatiana Weston-Webb, única representante do país na elite do surfe atualmente, finalizou a temporada na oitava posição.

Olimpíada

Em 2024, além de buscar o tricampeonato, Filipinho será um dos representantes do Brasil na Olimpíada. Apesar de o evento ser em Paris, na França, a modalidade será disputada em Teahupo’o, no Taiti. Além dele, Chumbinho também está classificado entre os homens. Há possibilidade de uma terceira vaga se o país for campeão por equipes no Campeonato Mundial da Associação Internacional de Surfe (ISA, pela sigla em inglês), no fim de fevereiro. Nesse caso, ela ficaria com Gabriel Medina, como terceiro melhor brasileiro na temporada da WSL.

Entre as mulheres, Tatiana Weston-Webb já tem lugar assegurado nos jogos. Assim como no masculino, o Brasil pode ganhar uma segunda vaga na disputa feminina se for campeão por equipes no Mundial da ISA, que será destinada a melhor surfista do país que ainda não estiver classificada. Luana Silva – que é nascida no Havaí, mas filha de pais brasileiros – pode ficar com esse lugar extra em Paris 2024.

Edição: Camila Maciel

Comentários

Continue lendo

Cotidiano

“Você terá um amigo leal para toda a vida”, promete Alysson Bestene a Bocalom em convenção

Publicado

em

Alysson Bestene foi o primeiro a discursar na convenção que foi realizada no Ginásio do Sesc

Alysson Bestene, prometeu ao titular da chapa que ele não será apenas um bom vice, mas também um amigo leal com o qual o prefeito poderá contar em caso de vitória. Foto assessoria 

O candidato a vice na chapa de Bocalom, Alysson Bestene, prometeu ao titular da chapa que ele não será apenas um bom vice, mas também um amigo leal com o qual o prefeito poderá contar em caso de vitória.

Empolgado, Alysson garantiu que se empenhará 100% para conquistarem a vitória.

“Estou 100% comprometido e irei para as ruas junto com você e alcançaremos vitória. O senhor terá um vice comprometido e um amigo leal”, declarou.

Alysson Bestene foi o primeiro a discursar na convenção que foi realizada no Ginásio do Sesc.

Comentários

Continue lendo

Cotidiano

Em convenção, Gladson Cameli conclama militância a pedir votos para Bocalom

Publicado

em

A convenção que homologou a candidatura de Tião Bocalom, candidato a reeleição, reuniu centenas de militantes e dezenas de candidatos a vereador

Gladson Cameli afirmou ainda que o projeto é coletivo e para o bem da população de Rio Branco.

O governador Gladson Cameli afirmou durante a convenção que homologou a chapa Bocalom-Alysson que estará inteiramente comprometido com a campanha e pediu que a militância fosse às ruas pedir votos como se fosse para ele próprio. A convenção aconteceu no início da noite de segunda-feira (22) no Ginásio do Sesc.

Gladson Cameli afirmou ainda que o projeto é coletivo e para o bem da população de Rio Branco.

“Estamos comprometidos com um projeto de futuro, de desenvolvimento. Nosso projeto é coletivo, se fossum projeto pessoal nós não recuaríamos da candidatura própria, mas acreditamos na união”, declarou.

A convenção que homologou a candidatura de Tião Bocalom, candidato a reeleição, reuniu centenas de militantes e dezenas de candidatos a vereador.

Comentários

Continue lendo

Cotidiano

“Esta é a primeira vez que tenho a oportunidade de ter tanta gente apoiando nossa candidatura”, diz Bocalom

Publicado

em

Bocalom afirmou ainda que tem muito trabalho a fazer por Rio Branco e por isso pede uma nova chance aos eleitores.

Bocalom agradeceu a todas as pessoas que estiveram com ele nas eleições em que foi derrotado.

Parecendo emocionado e sob aplausos,Tião Bocalom foi o último a discursar na convenção que homologou o nome dele para disputar a reeleição. Perante uma  multidão, Bocalom afirmou que é a primeira vez que tem a oportunidade de ter tanta gente o apoiando.

“Sou grata a cada um que está aqui, a cada apoiador, cada presidente de partido, vereador, deputados, senadores e o governador Gladson. Este momento é de emoção, entusiasmo e comprometimento com nossa campanha”, diz.

Bocalom agradeceu a todas as pessoas que estiveram com ele nas eleições em que foi derrotado.

“Sou grata a todos que caminharam conosco, que sempre acreditaram. Sou grato também a vice-governadora Maiza que em 2020 foi nossa madrinha na ocasião em que vencemos”, declarou.

Bocalom afirmou ainda que tem muito trabalho a fazer por Rio Branco e por isso pede uma nova chance aos eleitores.

“Fizemos muitas obras, mas infelizmente não deu tempo para tudo. Temos muita coisa para inaugurar o ano que vem”, frisou.

Comentários

Continue lendo