A Justiça do Acre rejeitou o recurso de apelação e manteve a condenação do ex-chefe do Departamento Estadual de Trânsito do Acre (Detran-AC), Michel Messias Diniz, a cinco anos e quatro meses de reclusão, em regime semiaberto, por facilitar a emissão de carteiras de habilitação para reprovados.

__________________

A decisão é da Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Acre (TJ-AC) que julgou a apelação de Diniz. O advogado do acusado, Gilliard Nobre, disse que já foi notificado da decisão e vai entrar com um novo recurso.

__________________

Segundo a Justiça, entre os anos de 2008 e 2009, Diniz era comissionado e, conforme a denúncia, facilitou a inserção de dados falsos no sistema do Detran em processos de habilitação de motoristas que não tinham passado na prova prática. Ele chegou a responder um processo administrativo e foi exonerado.

Em fevereiro deste ano, a 4ª Vara Criminal da Comarca de Rio Branco condenou o ex-servidor pelo crime. Além dos anos de reclusão, o ex-gestor foi condenado ao pagamento de 100 dias multa.

Manutenção da pena

Em uma nova decisão, o TJ-AC destacou que Diniz tinha inserido dados falsos no sistema de pelo menos 25 pessoas. O caso chegou à polícia após um funcionário de uma autoescola desconfiar do esquema.

Na apelação, o acusado alegou que não tinha como a denúncia confirmar a fraude porque não foram apresentadas provas dos fatos. Contudo, o relator do processo, desembargador Élcio Mendes, afirmou que a corregedoria do Detran identificou que o ex-servidor alterou prontuários de condutores no sistema.

Ainda segundo a Justiça, o ex-servidor teria, inclusive, feito alterações na própria Carteira Nacional de Habilitação (CNH), adicionando categorias sem as devidas provas e exames.

Comentários