fbpx
Conecte-se conosco

Acre

Emprego, renda e segurança alimentar às famílias acreanas: o agro nos desafios de 2023

Publicado

em

Desde o início de 2019, sob a gestão do governador Gladson Cameli, o agronegócio no Acre teve sua virada de chave e passou a ser uma realidade; realidade esta que traz desenvolvimento, emprego, renda e segurança alimentar às famílias do estado. Isso foi possível graças aos investimentos da iniciativa privada, motivada pela confiança e segurança no governo, investimentos na agricultura familiar, valorização dos servidores públicos, que transformaram esse sonho em realidade, e um olhar diferenciado para todos, desde o pequeno ao grande produtor.

Em pouco tempo, os frutos já surgem: em 2022, o valor bruto da produção agropecuária do Acre está projetado pelo Ministério da Agricultura e Pecuária (Mapa) em R$ 2,6 bilhões, 16% do PIB do estado. Desde 2019, 60% de toda a comercialização de hortaliças e frutas feita pela Central de Abastecimento (Ceasa) de Rio Branco tem sua origem na produção do Acre.

São esses alguns dos números que colocaram o agro acreano como destaque na imprensa nacional: em outubro de 2022, vários sites destacaram a força do agro acreano. Sob o título “Berço do ‘governo da floresta’, Acre se volta para o agro”, o UOL, site mais acessado do Brasil, foi um dos que trouxe o fato.

A reportagem destaca que, desde 2018, o rebanho bovino do Acre saltou de 3,3 milhões para mais de 4 milhões – “um crescimento de 22%, apontam dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE)”. Outros sites destacam que o número de cabeças de gado é quatro vezes maior que o da população.

Números que já se refletem, direta e indiretamente, na geração de emprego e renda. Conforme dados do IBGE, através da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua trimestral, no terceiro trimestre de 2020, 38 mil pessoas no Acre estavam ocupadas, tendo agricultura, pecuária, produção florestal, pesca ou aquicultura como atividade principal. Quatro anos depois, no terceiro trimestre de 2022, o número de ocupação no setor chegou a 42 mil pessoas. Um aumento de 10,5% no período.

O agro também gerou empregos com carteira assinada, de acordo com dados do Novo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério do Trabalho. Em 2020, o número de contratados era de 3,5 mil. Em 2022, o número foi para 3,7 mil. Um crescimento de 6,2% em dois anos.

Pensar no agro é pensar no futuro do Acre. No Estado, o agronegócio já é uma realidade e faz parte da nossa economia: está no alimento que vai à mesa, nos postos de combustíveis, nas lojas agropecuárias, nos hotéis e restaurantes, nos supermercados, nas concessionárias de máquinas agrícolas e camionetas, nas empresas de prestação de serviços agropecuários, nas escolas, com o programa Prato Cheio, do governo do Estado, na merenda escolar e em obras por todo o Acre; está por toda parte.

Na agricultura, já somos autossuficientes em milho, a soja está em crescimento exponencial, café em plena expansão, nossos silos e armazéns, antes vazios, estão funcionando a todo vapor. Na pecuária, mais de 65 mil toneladas de carne por ano abastecem o Acre e percorrem por todo o país, além de gerar subprodutos que são exportados.

A produção integrada de suínos e aves, favorecidas pela produção de grãos, segue gerando divisas para o Estado através das exportações.

No extrativismo, boas práticas de produção repassadas aos produtores a partir das capacitações técnicas nas cadeias produtivas da castanha, do açaí, da borracha, vem garantindo maior rentabilidade e melhores cuidados na preservação ambiental.

Ver tudo isso que o agro tem se tornado, ver toda essa potência, me faz passar um filme na cabeça. Eu nasci em uma família de dez irmãos; sou filho de um lavrador, pequeno agricultor familiar. Vivi na roça até meus 9 anos de idade; foi nessa idade que conheci a cidade grande. Quando saí para a cidade e comecei a estudar numa escola pública, o meu pai continuou na roça e criou esses dez filhos sempre com o labor da terra, uma lida de muito suor e sacrifício. Não teve naquela época o apoio do governo, mas mesmo assim, com muita garra, dificuldade, trabalho na enxada, conseguiu nos dar o sustento com dignidade. Nunca nos faltou o alimento, por exemplo. Foi esse esforço que nos garantiu a segurança alimentar e chegar até aqui.

Vivendo esse novo momento, com o prazer de ser secretário de agricultura por duas vezes, fazer parte como agente de transformação do governo do Acre e dar minha contribuição a esse novo momento como gestor desta pasta, sinto como se eu levasse ao produtor o carinho, cuidado, ajuda que meu pai não teve. Aquele apoio que minha família tanto precisava, mas não teve acesso, que poderia, com a coragem e determinação dos meus pais, até ter formado mais filhos com o nível superior.

Quando ouço os depoimentos dos produtores rurais, em especial do pequeno agricultor, que foi ou está sendo beneficiado com os investimentos do Estado, com a destoca, mecanização, construção de reservatórios de água, aplicação de calcário nas pastagens, distribuição de mudas e instalação de viveiros, uma verdadeira presença de qualidade e ver surgindo uma nova classe média rural, me deixa muito feliz, não apenas pelo prazer da realização, mas pela oportunidade em servir e a transformação que isso gera.

O agro traz emprego, renda, dignidade, a quem mora no campo e na cidade. É com essa energia de realização que nós, do governo do Acre, da Secretaria de Estado de Produção e Agronegócio encerramos o ano de 2022 e planejamos o ano de 2023, com mais realizações, um futuro mais promissor e um agro ainda mais pujante e robusto, e claro: sempre com um olhar para quem mais precisa.

Edivan Maciel de Azevedo é médico veterinário, produtor rural e secretário de Estado de Produção e Agronegócio

Comentários

Continue lendo

Acre

Presidente do TJAC articula com prefeito de Cruzeiro do Sul sobre Família Acolhedora

Publicado

em

Por

Entre as pautas para o fortalecimento institucional, a desembargadora-presidente tratou sobre o programa Família Acolhedora

Em agenda no Juruá, a presidente do Tribunal de Justiça do Acre (TJAC), desembargadora Regina Ferrari visitou nesta quarta-feira, 24, o prefeito de Cruzeiro do Sul, Zequinha Lima. A magistrada esteve acompanhada da juíza de Direito titular Gláucia Gomes, da Comarca de Mâncio Lima, e do juiz de Direito substituto da Vara da Infância e Juventude da Comarca de Cruzeiro do Sul, Luís Rosa.

Entre as pautas para o fortalecimento institucional, a desembargadora-presidente tratou sobre o programa Família Acolhedora, que seleciona famílias e fornece capacitação para que essas famílias recebam, em suas residências, até duas crianças, em regime de guarda provisória. O programa é executado pela Prefeitura de Rio Branco em parceria com o TJAC, e a desembargadora-presidente, entusiasta nas causas da criança e do adolescente, dialogou com o prefeito de Cruzeiro do Sul para que ele também faça parte da ação.

“Não há restrições de gênero, raça ou orientação sexual, apenas é preciso cuidar, dar carinho e ter disponibilidade para atender temporariamente a criança ou adolescente. Contamos muito com a adesão da Prefeitura de Cruzeiro do Sul. O prefeito apresentou interesse na causa e vamos alinhar a questão”, disse a desembargadora.

Os juízes de Direito que acompanharam a presidente na agenda também compartilharam situações de famílias que acolhem as crianças e adolescentes em vulnerabilidade tanto no município de Mâncio Lima quanto em Cruzeiro do Sul.

O prefeito agradeceu pela visita, mostrou interesse em aderir à causa como forma de demonstrar respeito e inclusão permitindo que os jovens possam ter a esperança de uma vida melhor e garantiu que o assunto estará sendo trabalhado pela equipe da Assessoria Jurídica do município.

Estiveram presentes na agenda o secretário de Gestão, Matheus Lima; o secretário da Casa Civil, Ney Wilian; o secretário de Comunicação Chico Melo, e a controladora-geral, Marcelle Martins.

Família Acolhedora

O trabalho tem a missão de propiciar que crianças e adolescentes, em situação de vulnerabilidade, sejam recebidas em um lar e não direcionadas para instituições. Assim, essas crianças ou adolescentes ficam provisoriamente com famílias acolhedoras pelo período que se busca a reintegração na família biológica.

Em Rio Branco, é oferecida uma bolsa-auxílio de um salário mínimo, para os cuidados necessários do infante.

Os participantes precisam estar sempre cientes de que o serviço de acolhimento familiar é, por natureza, provisório, uma vez que a qualquer momento a criança ou adolescente acolhido pode ser reinserido na família de origem, se houver a possibilidade. Portanto, ao entrar para o programa o participante deve saber que os laços afetivos devem ser construídos com base na devolução futura do menor ao núcleo familiar biológico.

Fonte: Tribunal de Justiça – AC

Comentários

Continue lendo

Acre

Asfalta Rio Branco mostra resultado de trabalho em vários bairros da cidade

Publicado

em

Por

O programa Asfalta Rio Branco da prefeitura da capital vem demonstrando resultados positivos em todos os bairros da cidade. Exemplo disso pode ser visto na Avenida Amadeu Barbosa, onde os trabalhos de tapa-buraco, remendo profundo e capa asfáltica estão em pleno andamento. Em toda avenida, os pontos comprometidos terão intervenção da empresa construtora GBM, contratada pela prefeitura.

“Temos que aproveitar o verão para fazer um bom trabalho”  (Foto: Rodilson Bardales/Assecom)

O encarregado de obras, Teomarcos Silva, falou dos resultados até aqui.

“O verão está chegando aí para dar continuidade a essas obras. Aproveitar o verão que é muito curto no nosso estado. Então a gente tem que aproveitar o máximo para fazer um bom trabalho e aproveitar bem essa parte do verão.”

Já no Bairro Santa Helena, na regional Vila Acre, a rua Rosa de Saron com a Jerusalém está em fase final. No local, a empresa Impacto Terraplenagem e Construção está com quatro frentes de serviço, com mais de 40 homens trabalhando, além de máquinas pesadas. Mais de trezentas toneladas de asfalto estão sendo aplicadas em tapa-buraco, remendo profundo e capa asfáltica, trabalho bem feito que tem agradado quem mora no bairro.

“Graças a Deus, está bom, estava muito ruim. Agora está melhorando, indo pra frente.  Estão mexendo em toda a rua aqui no bairro. Começou lá embaixo, agora está chegando aqui já”, disse o aposentado, Rubens Luiz.

Fabiana: “Hoje concluimos essa primeira etapa” (Rodilson Bardales/Assecom)

Segundo a engenheira civil da empresa Impacto, Fabiana Barroso, desde o dia 8 de abril, a equipe responsável pelo serviço de tapa-buracos entrou em ação no bairro Santa Helena seguindo as prioridades estabelecidas pela prefeitura focando, segundo ela, principalmente os corredores de ônibus. A primeira etapa está prestes a ser concluída, com planos de avançar para a Vila Acre.

“Nesse momento, a gente já está concluindo. Hoje a gente conclui essa primeira etapa e, amanhã, se tudo der certo, nós já vamos entrar na Vila Acre, trabalhando na travessa do Mineiro e, em seguida, na travessa Bom Jesus.”

Fonte: Prefeitura de Rio Branco – AC

Comentários

Continue lendo

Acre

Sistema de coleta e tratamento de esgoto do loteamento Portal Ipê é reativado

Publicado

em

Por

A Prefeitura de Rio Branco, por meio do Serviço de Água e Esgoto de Rio Branco (Saerb), reativou as elevatórias do Portal Ipê I e II e a Estação de Tratamento de Esgoto (Ete). Devido a furtos e vandalismo, o sistema que compõe a coleta e o tratamento de esgoto da capital estava parado.

O Saerb tem buscado melhorias no esgotamento sanitário, com ativação de estações que não funcionavam. Essas reformas das elevatórias foram custeadas integralmente com recursos próprios do município, vindos de arrecadação da fatura de esgoto que a população contribui.

De acordo com o diretor-presidente, Enoque Pereira, o município tem investido em melhorias para aumentar o tratamento de esgoto.

“Estamos visando elevar o percentual de tratamento em prol da população. Uma vez que na reversão do sistema, apenas 2,6% do esgoto era tratado, mas as ações já estão acontecendo e evoluindo”, explica.

Segundo o engenheiro sanitarista ambiental do Saerb, Jorginey Araújo, o sistema de tratamento trabalha com 15 litros por segundo, atendendo cerca de 400 lotes.

“Os empreendimentos que foram revitalizados vão atender uma população de mais de 1.200 pessoas e a gerência técnica de esgoto do Saerb pretende continuar com as revitalizações de novos empreendimentos como Jacarandá e o Cabreúva”, afirma.

As estações elevatórias e as Ete’s desempenham um papel importante na coleta, transporte e tratamento adequado do esgoto, contribuindo diretamente para a preservação do meio ambiente, a higiene e a saúde pública.

Fonte: Prefeitura de Rio Branco – AC

Comentários

Continue lendo