Médicos estariam também induzindo os clientes ao erro sobre a venda de lentes de grau, aponta denúncia. MP-AC instaurou inquérito para apurar práticas abusivas.

Médicos estariam também induzindo o cliente ao erro sobre a venda de lentes de grau — Foto: Aline Nascimento/G1 Acre
g1.com

O Ministério Público do Acre (MP-AC) instaurou um inquérito civil para investigar possíveis práticas abusivas contra médicos de um hospital de oftalmologia de Rio Branco. O dono de uma ótica procurou a instituição no mês de março para denunciar o caso.

O nome do estabelecimento não foi divulgado.

Segundo a denúncia, os médicos estariam prescrevendo uma lente de grau de uma determinada marca. A pessoa vai até uma ótica e manda fazer a lente e os óculos. No retorno para avaliação, o médico diz que os óculos não atendem às necessidades do paciente e faz uma nova consulta.

O cliente, então, volta na ótica com uma nova consulta e o estabelecimento tem que refazer o trabalho sem cobrar nada por isso. Segundo o denunciante, a prática seria um acordo entre as marcas de lente e os médicos.

O MP-AC destaca que a prática configura venda casada e que os médicos ainda induzem o cliente ao erro.

A reportagem tentou contato com o dono da ótica que fez a denúncia, mas não obteve resposta até a última atualização desta matéria.

“O referido Código de Defesa do Consumidor, no art. 39, inciso I, reconhece como prática abusiva nas relações de consumo condicionar o fornecimento de produto ou de serviço ao fornecimento de outro produto ou serviço”, destaca a publicação do MP-AC.

A instituição determinou ainda que haja um encontro entre o denunciante e o Conselho Regional de Medicina do Estado do Acre para que sejam apurados os fatos.

Comentários