Equipamentos são feitos por alunos de medicina da Ufac, em Rio Branco. Doação é do Poder Judiciário.

Covid-19: Mais de R$ 63 mil são doados para produções de EPIs em universidade federal do Acre — Foto: Reprodução/Rede Amazônica Acre
Por Lillian Lima, Bom Dia Acre

A produção de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) feita por alunos de medicina da Universidade Federal do Acre (Ufac), em Rio Branco, vai ganhar um reforço orçamentário.

Mais de R$ 63 mil foram doados para confecção de escudos faciais e aventais descartáveis que serão entregues aos profissionais de saúde que atendem os pacientes com Covid-19.

A doação foi feita pela Vara de Execuções Penais e Medidas Alternativas da Comarca de Rio Branco (Vepma). Um representante do projeto deve solicitar o saque dos valores com um alvará judicial e precisa prestar contas, apresentando notas fiscais e outros comprovantes.

Produções

Com a pandemia de Covid-19 que o mundo enfrenta, luvas, aventais e máscaras se tornaram itens escassos na saúde pública. Para amenizar o problema no Acre, os alunos do curso de medicina da Ufac confeccionam os EPIs para abastecer os profissionais.

A máscara é do tipo escudo facial. Por isso, os alunos se reuniram para produzir o material com produtos achados em papelarias e de baixo custo, como cartolinas. A iniciativa foi do Lucas Reis, que em conversa com um colega médico identificou a falta desses equipamentos.

“A primeira ideia que eu tive foi fazer com o que eu tinha em casa, como cartolina, clipes, grampeador e algumas transparência que tinha. Foi como montei”, explicou.

Do Lucas, a ideia foi repassada para a Talita Trancoso e atualmente já tem muitos alunos envolvidos. Já tem até gente querendo replicar a ideia outros estados.

“Outras universidades de Rondônia, Manaus e Bahia entraram em contato com a gente. Um colega nossa daqui que está em São Paulo já replicou lá também. Já está sendo aprovado em outros estados”, contou.

A estudante disse que o material é de fácil higienização também. Os equipamentos já estão sendo usados por profissionais do estado.

O médico Fernando Assis é o professor que orienta a turma de alunos. Ele contou como recebeu a iniciativa e começou a ajudar.

“A partir do momento que me perguntaram se era possível fazer esses equipamentos, encaminhei para a equipe da Secretaria de Saúde, que faz a validação desses equipamentos, em relação a segurança e esterilização, e fizemos um teste com 10 amostras e levamos para os médicos do Hospital das Clínicas, que fez a validação”, relembrou.

Assis disse também que já foram entregues 40 protetores faciais, em uma primeiro lote, para Unidade de Terapia Intensiva (UTI) que vai receber os pacientes com Covid-19. Com doações, o grupo comprou 30 óculos e levaram para os profissionais.

Os voluntários se dividem em pelo menos quatro salas do bloco de medicina da Ufac para confecção dos equipamentos. Isso para respeitar as recomendações de distância mínima e os cuidados de higiene.

A assepsia dos materiais é feita antes e depois dos equipamentos prontos. Ao todo, os alunos já produziram cerca de 604 peças e a meta é chegar a 5 mil.

Comentários