Foi só anunciar que Léo de Brito (PT) seria o escolhido na recontagem dos votos pelo TRE/AC, que Tião Bocalom apareceu para requerer o direito.

Quem pensa que a vaga deixada por Manuel Marcos (Republicanos) em Brasília, após a cassação definitiva pelo Tribunal Superior Eleitoral, não iria causar disputa, enganou-se. Foi só anunciar que Léo de Brito (PT) seria o escolhido na recontagem dos votos pelo TRE/AC, que Tião Bocalom apareceu para requerer o direito.

Candidato em 2018 pelo PSL e atualmente no Progressistas, cogita-se que Bocalom não tem mais direito à vaga por ter deixado o partido de origem. Nesse sentido, os votos seriam do Partido e não do candidato. Mas, após o julgamento, Bocalom usou as redes sociais para dizer que está no páreo.

_________________

“Aos avexados do poder, segue minha carta de liberação do PSL”, escreveu Tião Bocalom deixando claro que saiu do PSL “pacificamente” e que a sigla “não vai se opor e nem reivindicar o possível mandato parlamentar federal”.

_________________

Cassados de fato

O TSE, por unanimidade, confirmou ontem à noite a condenação e a cassação dos mandatos do deputado federal Manoel Marcos e da deputada estadual Dra. Juliana. Bem que a defesa tentou todas as artimanhas possíveis, mas o ministro Fachin foi duro em seu voto de relator.

Anulados

Mais importante ainda, o Tribunal determinou anulação dos votos que ambos receberam para que a justiça eleitoral proceda a recontagem dos votos e nova declaração dos eleitos. Poderia ter vendido a tese defendida por Tião Bocalom, que deu início ao processo. Mas o ministro Fachin manteve os votos para o partido, segundo interpretação de ontem á noite.

Imediato

A decisão tem efeito imediato, não aguardando nem a publicação da sentença. Os dois já não são mais deputados. A Justiça eleitoral acreana vai divulgar nova convocação de eleitos. Essa recontagem é o cerne da questão: quem assume a vaga de deputado federal? Bocalom ganha a legenda, Léo de Brito consegue a legenda ou Railson Correia herda os votos?

Deputado

Se for convocado, Bocalom viverá um dilema. Pode ser, de acordo com a interpretação da decisão ou com a ação do TRE acreano que dê legenda para o PSL e não interessaria para o PSL acreano questionar a legitimidade dessa convocação, por Bocalom ter abandonado o partido.

Mexida

Essa decisão, seja qual for a definição do novo deputado, mexerá em toda a campanha para prefeito na capital. Socorro Neri ganhará um forte aliado na Assembleia Legislativa, com Pedro Longo, que abdicou de sua candidatura para apoiar a prefeita.

Comentários