TFD informou vaga já foi solicitada e agora é necessário esperar para que o paciente seja transferido.

Menino de 12 anos aguarda para fazer cirurgia de remoção de tumor — Foto: Arquivo pessoal
Por Alcinete Gadelha, G1 AC — Rio Branco

A família de Ray Santos da Silva, de 12 anos, faz campanha para custear o tratamento dele que tem dois tumores na cabeça e afeta a visão do lado direito. Ele aguarda por uma vaga no Tratamento Fora do Domicílio (TFD) para fazer a cirurgia de remoção.

A família é de Boca do Acre, no Amazonas, e está no Acre há dois meses para tentar a cirurgia. Só que o procedimento também não é feito no estado e eles aguardam uma vaga fora. No Acre, eles contam com ajuda de amigos para poder se manter, conforme contou a mãe do menino, Nádima Mota.

Segundo informou a gerente de assistência do complexo regulador do TFD, Ana Cristina Morais, a vaga no TFD já foi solicitada e agora é necessário esperar para que o paciente seja transferido.

“A vaga nós já solicitamos para fora do estado. O paciente está inserido e aguardando. Mas, paralelo a isso, a gente está tratando ele com uma neurocirurgiã que temos aqui e está sendo avaliado por ela para ver que tipo de procedimento ele vai fazer”, informou.

Tumor afeta a visão do menino de 12 anos — Foto: Arquivo pessoal

O primeiro tumor apareceu quando o garoto tinha oito anos. Ele fez uma biópsia que constatou que o tumor não é maligno. Com esse diagnóstico em 2015, a família tentou a cirurgia, mas ele foi rejeitado quatro vezes pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

“Por quatro vezes ele foi rejeitado pelo SUS. Foi marcado, depois desmarcado. A gente não tinha o que fazer”, lamenta a mãe

Quatro anos depois, surgiu o novo caroço que começou a crescer pela parte de fora do olho direito dele, foi quando começou a sentir dores e ter a visão comprometida.

“É um orbitário por trás da do olho dele e um que saiu fora e está crescendo fulminantemente, não para de crescer e não tem mais para onde crescer no rosto”, contou.

Pedido de ajuda

O caroço, segundo descreve a mãe, é quente e ela teme pelo que pode acontecer, caso não consigam a cirurgia. Para tentar ajuda, a família anuncia em um perfil no Facebook a situação e conta com o apoio de quem se solidariza com a situação.

“Tudo está se agravando na vida dele. Afetou o lado direito da visão. Há dois meses começou a crescer. Isso está afetando a saúde dele cada dia mais. O problema está agravando tanto que agora ele está vomitando, não dorme nem se alimenta direito e sente dores, muitas pontadas na cabeça, no rosto”, conta a mãe.”

Na época do diagnóstico, além de não conseguir a cirurgia pelo SUS, a família teria que desembolsar R$ 10 mil para conseguir fazer o procedimento, dinheiro que eles não tinham e por isso têm que esperar.

Quando foi atendido no Acre, a médica disse que a cirurgia não é feita no estado e, por isso, ele precisou ser incluído no TFD e a família está desesperada para conseguir fazer a viagem e precisa de ajuda.

“Só que está demorando e a cada dia se agravando e a gente está se acabando. A sorte é que encontramos pessoas que ajudam a gente, a Kátia e o Paulo que nos hospedam e correm atrás das coisas para o Ray”, conclui a mãe.

Comentários